Orçamento da Câmara de Alcoutim para 2012 aprovado por maioria

0
177
O orçamento para 2012 foi aprovado por maioria na última reunião da Assembleia Municipal de Alcoutim, no passado dia 16 de dezembro, com 9 votos a favor, seis abstenções e 2 votos contra

Este orçamento prevê uma despesa e uma receita global de 13.313.963€, sendo de despesas e receitas correntes 4.793.163€, o que representa 36% do orçamento e 8.520.800€ de despesas e receitas de capital representando 64% do total do orçamento.

Tendo “a crise nacional como pano de fundo na execução deste orçamento”, a autarquia de Alcoutim definiu como prioridades para o novo ano económico as áreas da ação social e da saúde.

Na ação social, a Câmara Municipal de Alcoutim vai reforçar os apoios económicos às famílias carenciadas, implementar o programa habitacional para pessoas idosas, atribuir bolsas de estudo reforçadas aos estudantes, continuar a abdicar dos 5% no IRS dos munícipes e investir nos protocolos com diversas entidades competentes na intervenção. A construção do Lar dos Balurcos é a maior obra prevista nesta matéria, devendo começar já no início do ano.   

As iniciativas já em curso há alguns anos, vão manter-se no próximo. A promoção da saúde oral, hidro e fisioterapia, combate à surdez, às doenças de pele e a dependências de tabaco, álcool e outras drogas, a Unidade Móvel de Saúde, o “Alcoutim ainda + Solidário” e o “Vamos à Vila”, são alguns exemplos, referidos pela autarquia.

No próximo ano, vai ser concluído o abastecimento de água a Barrada e Santa Justa, para além da construção de um reservatório de abastecimento de água a Martim Longo, Vaqueiros e Santa Justa e um novo parque de estacionamento em Alcoutim.

No novo orçamento, destacam-se ainda a remodelação do edifício Paços do Concelho, a requalificação do cais de Laranjeiras e a construção de um auditório na vila de Alcoutim.

Ainda segundo o orçamento, a Câmara Municipal de Alcoutim funcionará com menos um milhão de euros em 2012, resultado da redução de pessoal (número de horas extraordinárias, ajudas de custo e cortes dos subsídios) e de aquisição de bens e serviços.

“Continuar a promover o crescimento económico do município e das nossas populações, sem pôr em risco a estabilidade financeira e não hipotecar o investimento futuro”, garante o executivo municipal no novo orçamento, acrescentando que a autarquia vai continuar a ser uma referência nacional em termos de consolidação orçamental e estabilidade financeira.
 
Fonte: CMAlc

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui