Apresentação do Livro sobre Manuel Teixeira Gomes em Silves

0
227

“Manuel Teixeira Gomes: biografia”, escrito por José Alberto Quaresma, será apresentado no próximo dia 3 de junho, pelas 15h00, na Biblioteca Municipal de Silves (BMS).

Esta obra resulta de um intenso trabalho, realizado ao longo de oito anos, durante os quais o autor investigou o espólio de Teixeira Gomes na Biblioteca Nacional, o espólio do Museu da Presidência, da Fundação Mário Soares, do Ministério dos Negócios Estrangeiros, do Museu de Portimão e do Arquivo Distrital de Faro para saber as histórias mais ou menos conhecidas deste algarvio, que foi Presidente da República Portuguesa entre 1923 e 1925. Portimonense, boémio, negociante, melómano, viajante, escritor, diplomata, Manuel Teixeira Gomes, nascido em 1860 acabaria por morrer na Argélia em 1941, após um autoexílio ocorrido quando decidiu abandonar a Presidência da República para se dedicar exclusivamente à literatura. Notável homem das artes, viveu os principais momentos do início do século, tendo contactado com as mais ilustres figuras da cultura, das artes e da política e deixou uma marca na sociedade portuguesa, que por todos é reconhecida.

O livro, cuja apresentação na BMS estará a cargo de Jorge Vaz de Carvalho (músico de carreira internacional, licenciado em Línguas e Literaturas Modernas pela Universidade Clássica de Lisboa, Mestre em Literaturas Comparadas pela Universidade Nova de Lisboa e Doutorado em Estudos de Cultura pela Universidade Católica de Lisboa), foi disponibilizado ao público por ocasião dos 75 anos da sua morte. Divide-se em sete partes, iniciando-se no princípio do século XIX e vendo a ação terminar em 1950, quando os restos mortais do antigo presidente regressam à sua terra natal, Portimão. É, segundo o autor afirmou ao jornal Sul Informação, «quase um diálogo entre mim e o Teixeira Gomes», sendo de algum modo «inovador em termos de biografia», uma vez que é «escrito no tempo presente».

A obra revela muitas novidades da personalidade e da vida de Teixeira Gomes, tendo sido escrita para que o público em geral pudesse apreciar e conhecer o pensamento do homem e do estadista, que se revela ainda hoje atual, bem como do tempo em que viveu e dos acontecimentos que o país pode experimentar então.

A entrada nesta atividade é livre e mais informações poderão ser recolhidas junto da BMS através do telefone 282 440 899 ou do email [email protected].

SOBRE JOSÉ ALBERTO QUARESMA

José Alberto (de Oliveira) Quaresma nasceu em Portimão. Licenciado em História pela Universidade de Lisboa, prosseguiu os seus estudos em História Moderna e Contemporânea, na Universidade de Paris-Sorbonne (Paris VI), e em História das Mentalidades Religiosas, com Jean Delumeau, no Collège de France. Tem repartido a sua atividade profissional pela investigação, ensino e formação pedagógica. Obteve o Prémio Revelação de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores (1989), pelo livro A Pose Extática (Afrontamento). Além da poesia, tem também trabalhos publicados na área da educação, de que se destaca Direito ao erro – A batalha da educação em Portugal (Vega). Colaborou, como colunista, em vários periódicos, nomeadamente O Independente, Público, Correio da Manhã e Expresso. Em 2010, foi comissário das Comemorações Nacionais dos 150 Anos de Manuel Teixeira Gomes.

SOBRE JORGE VAZ DE CARVALHO

Jorge Vaz de Carvalho, além de músico de carreira internacional, é licenciado em Línguas e Literaturas Modernas pela Universidade Clássica de Lisboa, Mestre em Literaturas Comparadas pela Universidade Nova de Lisboa e Doutorado em Estudos de Cultura pela Universidade Católica de Lisboa. O seu trabalho literário inclui obras de poesia (A Lenta Rendição da Luz, Relógio d’Água, 1992), conto, ensaio e tradução (Ciência Nova de Giambattista Vico, Fundação Calouste Gulbenkian, Prémio de Tradução Científica e Técnica FCT/União Latina 2006; Canções de Inocência e de Experiência de William Blake, Assírio & Alvim, 2009; Vida Nova de Dante Alighieri Relógio d’Água, 2010). Exerce constante atividade de articulista e de conferencista, no país e no estrangeiro. Foi Diretor da Orquestra Nacional do Porto e Diretor do Instituto das Artes. É professor e coordenador científico da área de Estudos Artísticos da Universidade Católica Portuguesa.

Fonte: GIRP do Mun de Silves

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui