Visita às Coleções de Fruteiras no Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT)

0
156
Dir Reg Agricultura Pescas Alg

No decorrer da V Feira da Dieta Mediterrânica a DRAP Algarve irá marcar presença com um stand institucional, e com uma visita no dia 8 de setembro, sexta-feira, às Coleções de Fruteiras existentes no Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT).

A hora prevista para o inicio da visita será às 10h:00, sendo conduzida pelos Técnicos da DRAP Algarve que irão falar sobre o trabalho desenvolvido ao longo dos últimos anos, esclarecer duvidas e divulgar este património único que só existe no CEAT.

Sugerimos que os participantes levem roupa e calçado confortável e apropriado para caminhar, chapéu e água, pois prevemos que o dia seja quente e a visita exige que se caminhe entre as fruteiras.

“CENTRO DE EXPERIMENTAÇÃO AGRÁRIA DE TAVIRA ABRE PORTAS À POPULAÇÃO A PARTIR DAS 10:00H NO DIA 8 DE SETEMBRO NO ÂMBITO DA D.M.(visita a Coleção única no País).

Estas mostras, que se encontram instaladas no CEAT, são o resultado do trabalho desenvolvido pela Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve entre 2011 e 2015, no âmbito de dois projetos apoiados pelo Programa de Desenvolvimento Rural (Proder): o Projeto FRUTALG, intitulado «Prospeção, Recolha, Conservação e Caraterização de Variedades Tradicionais de Fruteiras Algarvias com Interesse para a Agricultura Portuguesa» e o Projeto SULCASTAS, denominado «Prospeção e Caraterização da Variabilidade Genética de Castas de Videiras Autóctones nas Regiões do Alentejo e Algarve».                                                                                                      

Estes dois projetos enquadram-se na salvaguarda da Dieta Mediterrânica.

Os Projetos iniciaram-se em 2011, com a prospeção e recolha de material vegetal de citrinos, alfarrobeiras, amendoeiras, figueiras, nespereiras, romãzeiras e macieiras (Pero de Monchique), com a posterior instalação dessas variedades tradicionais nas Coleções, na sua maioria no CEAT. Estes materiais vegetais serão numa fase posterior caracterizados, tendo em vista avaliar as suas potencialidades, selecionar as mais interessantes e proporcionar material vegetativo a viveiristas autorizados, para uma futura multiplicação e utilização por parte do setor produtivo, que permitirá também a preservação deste material genético. Já o SULCASTAS, tinha como principais objetivos, numa primeira fase, descobrir e preservar diversas castas de uva em vias de extinção e plantá-las em coleções de âmbito nacional e regional. Esse trabalho desenvolvido poderá ser visto e explicado ao longo da visita. Numa fase seguinte será feita uma caracterização do material plantado, a sua avaliação, efetuados estudos de microvinificação, podendo o mesmo em caso de interesse ser utilizado na produção. Estas Coleções são das mais importantes do País.”.Dir Reg Agricultura Pescas Alg

Fonte: DRAPAlg

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui