AHRESP | Boletim Diário AHRESP de 23.04.2021

0
115
AHRESPLogotipo

Agendamento de vacina para pessoas com mais de 65 anos – Desde hoje que as pessoas com 65 ou mais anos que ainda não foram vacinadas podem pedir o agendamento da 1ª inoculação da vacina contra a COVID-19 neste site do Ministério da Saúde https://covid19.min-saude.pt/pedido-de-agendamento/

Endividamento das empresas continua a crescer – Dados do Banco de Portugal indicam que, em fevereiro de 2021, o endividamento do setor não financeiro (setor público, empresas privadas e particulares) situava-se em 751,4 mil milhões de euros, mais 5,4 mil milhões de euros face a janeiro e o valor mais alto dos últimos 14 anos. Em fevereiro de 2021, a taxa de variação anual do endividamento total das empresas privadas foi de 1,8%, mais 0,5 pontos percentuais do que o verificado no mês anterior.

Consulte o site AHRESP. (https://bpstat.bportugal.pt/conteudos/noticias/1315/).

Reajuste do calendário fiscal de 2021 – O Despacho n.º 133/2021 XXII, do Secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Fiscais, veio flexibilizar o cumprimento de algumas obrigações fiscais, nomeadamente:

  • As declarações periódicas de IVA do regime mensal, a entregar em junho e julho de 2021, podem ser submetidas até dia 20 de cada mês. O pagamento do imposto exigível pode ser efetuado até dia 25. Este prazo aplica-se igualmente às declarações a entregar em abril e maio (dos regimes mensal e trimestral);
  • A entrega da declaração periódica de rendimentos de IRC (Modelo 22), referente ao período de tributação de 2020, bem como o respetivo pagamento, podem ocorrer até 30 de junho;
  • As faturas em PDF continuam a ser consideradas faturas eletrónicas até 30 de setembro de 2021. 

Necessidade de incentivos diferenciados para setores mais expostos aos impactos da pandemia – Um estudo da Informa D&B concluiu que as restrições decretadas para a contenção da pandemia produziram impactos muito desiguais nos diversos setores de atividade, criando efeitos também desiguais ao nível da quebra de atividade e do volume de negócios, nos atrasos nos pagamentos a fornecedores ou na criação de novas empresas. Os impactos são sentidos de forma mais profunda pelos setores com maior exposição aos efeitos das restrições de circulação e atividade das empresas, como é o caso do setor do Alojamento e Restauração. Os impactos no turismo tiveram também consequências regionais – é em regiões com uma forte dependência das atividades associadas ao turismo, como o Algarve e a Madeira, que se encontram maiores percentagens de empresas em setores com impacto alto. O nível de exposição dos diversos setores aos impactos da pandemia e a capacidade das empresas de os enfrentar sugerem que a recuperação será feita a velocidades diferentes, com os setores e as empresas a necessitarem de incentivos também diferenciados e que correspondam à sua situação real. Consulte o estudo completo aqui.

Fazer férias em segurança é possível – O Algarve foi o destino escolhido pelo movimento “Save the Travel Industry” (“Rettet die Reisebranche”) – iniciativa que nasceu na Alemanha, fruto da união dos profissionais do setor do turismo – para demonstrar como é possível viajar e fazer férias em segurança neste momento atípico que ainda atravessamos. Neste contexto, seis representantes de reconhecidas agências de viagens do mercado alemão, que integram este movimento, estão na região durante uma semana, desde 18 até ao próximo dia 25 de abril. O convite surgiu por parte do Turismo do Algarve e do operador turístico Olimar que, reconhecendo a importância desta aliança e partilhando as mesmas preocupações, viram aqui a oportunidade para colaborar na persecução do objetivo em causa e para consolidar o posicionamento da região como um destino seguro e totalmente preparado para voltar a receber turistas.

OMT e IATA lançam Destination Tracker A Organização Mundial do Turismo (OMT) e a International Air Transport Association (IATA) anunciaram ontem uma nova ferramenta online que tem como objetivo reativar a confiança e acelerar a recuperação do setor turístico mundial assim que as fronteiras reabrirem. O “Destination Tracker” tem como objetivo fornecer informação sobre os requisitos e as medidas impostas por cada país. A ferramenta estará disponível nos sites de ambas as organizações e fornecerá informação sobre indicadores COVID-19 como taxas de infeção, ponto de situação da vacinação por país; regulamentos para as viagens aéreas, incluindo necessidade de testagem e quarentena; medidas nos destinos, incluindo de saúde geral e segurança, tal como utilização de máscara, viagens dentro de cada país, regras nos restaurantes e em oferta turística.

Veja a informação completa sobre esta plataforma aqui: https://www.unwto.org/news/unwto-and-iata-collaborate-on-destination-tracker-to-restore-confidence-in-travel

Roadhsow Hotel 4.0 – É já na próxima terça-feira, 27 de abril, que a AHRESP realiza o primeiro webinar do Roadshow Hotel 4.0, iniciativa totalmente dedicada à aceleração digital da hotelaria e turismo. O debate terá a participação da Secretária-Geral da AHRESP, Ana Jacinto, e será moderado por Victor Jorge, diretor da Publituris. Participam com Luís Ferreira, da Birds & Trees; Raúl Filipe, da Escola Superior de Turismo do Estoril, Francisco Nogueira, Country Manager da Hijiffy, Jorge Portugal, General Manager da Cotec Portugal. Inscrição obrigatória aqui: https://ahresp.com/eventos/hotel-4-0-talks/

MEDIDAS AHRESP

Empresas necessitam de apoios a fundo perdido – Segundo notícias publicadas hoje na Comunicação Social, o Governo estará a ponderar avançar com a 4ª fase de desconfinamento, dependendo da situação epidemiológica na próxima semana, assim como da opinião dos especialistas na denominada reunião do Infarmed. Todavia, a reabertura gradual não tem sido uma solução para a recuperação económica da maioria das empresas, que continuam com grandes dificuldades na sua sobrevivência, devido ao enorme decréscimo no consumo, às limitações que existem ao seu funcionamento quer quanto à capacidade, quer quanto aos horários, ao maior nível de teletrabalho e à inexistência de turismo. A AHRESP considera por isso que os apoios às empresas devem ser reforçados, entre os quais apoios a fundo perdido e à manutenção dos postos de trabalho.

AHRESP informa empresas “porta a porta” – A campanha da AHRESP “Informar para Cumprir” vai continuar na rua com o objetivo de esclarecer os empresários sobre as dúvidas em relação às regras que devem cumprir. A campanha consiste na visita a estabelecimentos de restauração e bebidas por equipas AHRESP e na distribuição de informação. Se não for associado da AHRESP e pretender receber informação, envie-nos um email. Consulte o Site AHRESP.

AHRESPAHRESPLogotipo

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui