Vídeo: Garcia lança disco “Canção” em homenagem aos grandes cantautores

0
50

Garcia, músico e compositor de Lisboa, acaba de lançar o seu segundo disco de estúdio “Canção”, uma homenagem aos cantautores mas também à tradição do cancioneiro popular português, aos que ensinaram que “uma canção que é aguentada apenas ao piano é uma boa canção”.

Depois de dois singles de avanço, “O Famigerado Quebra-Corações”, uma homenagem a um dos grandes autores nacionais, Carlos Tê, e de “Cigarra no Outono”, em que presta tributo a um dos  dos maiores fazedores de canções de sempre, Bob Dylan, chega agora o disco “Canção” com dez temas co-produzidos por Marco Reis e Vasco Teodoro, já disponível em todas as plataformas digitais. Este é um trabalho produzido durante o último ano, em plena pandemia, que motivou no músico um enorme sentido de urgência de partilha. Passados sete anos desde o seu primeiro trabalho de estúdio, e sem mais tempo a perder, apresenta o seu segundo álbum: ‘Canção’. Uma homenagem aos fazedores de canções, um tributo de Garcia aos que escrevem e compõem, aos autores, mas também a quem escuta e sabe escutar canções. É uma viagem às primeiras memórias de curiosidade em conhecer quem está por de trás das criações, de descobrir as suas motivações, inspirações… Este é o tempo das canções, das que fazem parte de todos e de cada um. Um trabalho onde veste a pele de quem escreve para vestir, de novo, a pele de quem escuta e ama as canções. Urge a escuta destes temas porque “o Mundo só pode mudar quando alguém souber cantar o que vai no seu coração.”

“O nome (Canção) surge da ideia de homenagear, na música e na escrita, os criadores de canções portugueses, mas também algumas das minhas maiores influências como Bob Dylan. Quando fiz a primeira canção deste novo álbum, comecei a escrever e mencionei uma ou outra influência. De seguida, surgiu-me o conceito de canção e essa acabou por ser uma palavra repetida em todos os temas, essa e a palavra coração, e pensei que a canção tem de ligar-se ao coração das pessoas. Não é de estranhar ao ouvir-se este disco que nos lembremos de algumas das minhas maiores referências, do Carlos Tê, ao Jorge Palma, Pedro Abrunhosa e tantos outros. Todas essas canções e esses autores me disseram alguma coisa. Cresci com eles, formei o meu ser através das canções que eles escreveram e algures neste disco que espero que ouçam pergunto-me ‘Para que serve uma canção quando alguém ouve’?” partilha o Garcia.

RR

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui