Vídeo: “Waste” é o novo Single de bunny kills bunny

0
337

Vídeo filmado nas idílicas paisagens da Islândia e edição limitada em vinyl são o novo cartão de visita da dupla bunny kills bunny

Bunny kills bunny, projeto do casal Ricardo Coelho (Loto, Cavaliers of Fun) e Joana Pena estreou-se em março do ano passado, fruto dos confinamentos de 2020 com o single “brave new world”, falando sobre a esperança de um mundo novo em mudança. Seguida da “the loop”, onde passaram pelas rotinas e hábitos comuns em tempos pandémicos. E agora, estreia “waste”, a canção mais visceral deste novo projeto que promete abalar o panorama musical nacional. As misturas, mais uma vez, estiveram a cargo de Hugo Valverde e a masterização por Pieter de Wagter.

O videoclipe, filmado por André Tentúgal, surgiu através da ideia de ser possível viajar mentalmente na expressão das múltiplas vivências e emoções. Nesta viagem, em linha reta, curvilínea, imprevisível, incerta, não linear, a modelo Sara Carvalho ao volante, convida a viver e sentir através da intensidade das suas expressões. Em cenários de tirar o fôlego, entra-se nesta viagem com ela, enquanto o passado, o presente e o futuro se mesclam naquele preciso momento.

Numa edição limitada de 300 exemplares, o duo disponibiliza este single  em vinyl de 7″, com o Lado B dedicado ao single que lançou o projeto, “brave new world”. O vinyl encontra-se em pré-venda no site oficial www.bunnykillsbunny.com

De acordo com a banda, “…foi uma descoberta mútua, a de que que podíamos fazer algo com um registo tão diferente para ambos, tanto na sonoridade, como nas vozes. As letras, essas, saíram lá do fundo”.

bunny kills bunny, com quase um ano de existência, é já apontada como uma das mais promissoras bandas do novo indie português, tendo realizado o seu primeiro concerto em agosto de 2021, na comemoração dos 50 anos do Festival Vilar de Mouros.

Uma última nota para indicar e reforçar a importância do Programa Garantir Cultura, essencial para que durante o ano de 2021 esta banda pudesse concretizar o sonho de ter uma edição em vinyl, um videoclipe realizado por um realizador notável, uma sessão fotográfica com Arlindo Camacho, os préstimos de um misturador essencial da nova música portuguesa, Hugo Valverde, e um cem número de portas abertas em troca de um apoio na altura certa. “Este programa contribuiu para que se fizesse mais e cabe-nos agradecer ao Ministério da Cultura pela coragem”.

RB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui