CREPC Algarve | Algarve reforça Papel da Comunicação Social no contexto da Proteção Civil

0
161
AcaoCREPC1

Três dezenas de jornalistas participam em Ação de Sensibilização promovida pelo Comando Regional de Emergência e Proteção Civil do Algarve.

Na passada quarta-feira, 11 de maio, no âmbito do processo de aprontamento do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR), e tendo em conta a capital importância da informação pública numa região que se afirma como um destino turístico internacional, teve lugar uma jornada de trabalho entre a estrutura da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) do Algarve e os diferentes órgãos de comunicação social nacional, regional e local que operam na região.

Com início pelas 09:30 horas, momento em que foram acolhidos pelo Comandante Regional do Algarve, Vítor Vaz Pinto, deu-se o arranque de um programa intenso e preenchido que incluiu a visita à área de operações e gestão de emergência apresentada pelo Comandante Operacional, Richard Marques. Na Sala de Operações e Comunicações, centro nevrálgico do sistema de emergência e proteção civil, os jornalistas assistiram a uma simulação de alerta para incêndio rural, e perceberam os indicadores de desempenho inerentes ao despacho de meios e recursos que consubstanciam uma resposta musculada e fulminante. Tiveram ainda oportunidade de conhecer a Sala de Comando e Controlo e a Sala de Situação e Apoio à Decisão onde observaram a dinâmica das plataformas e instrumentos de apoio ao processo de decisão operacional e os recursos tecnológicos de informação geográfica, comando e controlo e comunicações de emergência.

Na Base de Helicópteros em Serviço Permanente (BHSP) de Loulé, testemunharam a eficácia da equipa helitransportada da Unidade de Emergência e Proteção e Socorro da Guarda Nacional Republicana, ali sediada, num exercício de embarque e desembarque para ataque inicial no combate aos incêndios rurais, procedimento que garante a chegada do primeiro meio ao local da ocorrência até vinte minutos, objetivo operacional consignado no conceito de operação do DECIR.

O 2.º Comandante Regional, Abel Gomes, realizou uma apresentação que situou o jornalista no Sistema de Monitorização e Comunicação de Risco, de Alerta Especial e de Aviso à População, com destaque para importância da informação pública antes, durante e após as operações de proteção e socorro.

A ação terminou com a visita a uma exposição estática de meios e recursos da ANEPC e dos Agentes de Proteção Civil, nomeadamente dos Corpos de Bombeiros e dos Sapadores Florestais, que permitiu que os jornalistas conhecem as capacidades de coordenação, comando e controlo, comunicações de emergência e os meios de intervenção que no terreno materializam a resposta aos mais complexos incêndios rurais, entre os quais um Posto de Comando Operacional, uma Equipa de Reconhecimento e Avaliação da Situação, uma Equipa de Planeamento, Operações e Informações, um Ponto de Trânsito, uma Equipa Tática de Empenhamento de Máquinas de Rasto, uma unidade de coordenação de Meios Aéreos, uma Equipa de Combate a Incêndios, uma Equipa Logística de Apoio ao Combate, uma Equipa de Sapadores Florestais e a antena móvel do Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) estacionada na Base de Apoio Logístico (BAL) de Quarteira.

ANEPC

AcaoCREPC1AcaoCREPC2AcaoCREPC3AcaoCREPC4AcaoCREPC5AcaoCREPC7AcaoCREPC8