Lagoa | Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo “AmarAmália2020”

0
459
AmarAmalia

Em junho, o Fado de Amália Rodrigues volta ao Auditório Carlos do Carmo como mote para o espetáculo “AMARAMÁLIA 2020” da Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo de Vasco Wellenkamp. O espetáculo integra a celebração dos cem anos do nascimento de Amália Rodrigues (realizados em 2020) e estará no palco do Auditório Carlos do Carmo no dia 16 de junho, pelas 19h00.

Os bilhetes custam €10 e já se encontram à venda em: https://ticketline.pt/evento/amaramalia-vasco-wellenkamp-64930 e nas bilheteiras da Fnac, Worten, Auditório Carlos do Carmo, Centro Cultural Convento de S. José e Balcão Único da Câmara Municipal de Lagoa.

Sinopse: “O fado nasceu a bordo, aos ritmos infinitos do mar, nas convulsões dessa alma do mundo, na embriaguez murmurante dessa eternidade da água.”

Pinto de Carvalho in História do Fado

As hipóteses sobre a origem do Fado são muito diversas. Para uns, as suas raízes estão no Oriente, para outros nas canções dos escravos levados para o Brasil que cantavam ao ritmo murmurante do oceano. Gosto da imagem nostálgica de um Fado nascido em alto mar. Mas, enquanto coreógrafo, o que me seduz é sobretudo a emoção e a força dramática com que chegou até nós na voz divina de Amália.

No ano em que se celebraram os cem anos do nascimento de Amália Rodrigues, não podia deixar de me associar a tão merecidas comemorações com a alegria de voltar ao palco da Fundação Gulbenkian com uma obra que marcou uma fase tão importante da minha carreira.

O processo de trabalho dessas obras teve sempre, do ponto de vista musical a mesma linha de organização: os fados escolhidos foram enquadrados numa malha musical formada por uma colagem de diversas obras musicais que surgirão nos interstícios. AMARAMÁLIA 2020 começará como uma projeção imaginária, uma cerimónia sem tempo e personagens definidas. O seu espaço tanto poderá ser a geometria obscura das vielas e tabernas de Lisboa — na sua penumbra habitada —, como uma janela debruçada sobre a claridade de um lugar sem nome.

As flutuações do destino e das paixões humanas, a tristeza, a separação, a estranheza, o voo e o grito pela liberdade, ressurgirão como a expressão de um sentimento de vida incerta. O discurso teatral acompanhará o espírito de cada um dos poemas escolhidos —, ao mesmo tempo que se abandonará à voz de Amália, à sua emoção e às suas múltiplas interpretações —, como matéria-prima do seu sentido e da sua própria expressão coreográfica.

O que, principalmente, me move ao abordar esta nova obra é prestar uma homenagem sincera a essa extraordinária e inesquecível Artista que tornou o fado universal e orgulho do nosso povo.

Vasco Wellenkamp

Um espetáculo de dança imperdível ao som do melhor!

Mun Lagoa(Algarve)AmarAmalia