ORPEA | Como Cuidar da nossa Memória à Medida que Envelhecemos

0
378
Cuidar-Memória

A memória é um processo pelo qual registamos, armazenamos e recuperamos informação que adquirimos durante a nossa vida. À medida que as pessoas envelhecem, ocorrem mudanças em todas as partes do corpo, incluindo o cérebro, mas é possível cuidarmos e estimularmos o nosso cérebro para evitarmos a sua deterioração.

“Como resultado desta mudança, algumas pessoas podem reparar que levam mais tempo a aprender alguma coisa, que não se lembram da informação da mesma forma que antes, ou que perdem objetos do quotidiano. Estas circunstâncias são problemas ligeiros de memória, não costumam ser sintomas de problemas graves. Estes problemas podem ser derivados do stress, depressão, preocupações… e podem por vezes ser confundidos com demência. Porém, os problemas de memória relacionados com as emoções são geralmente temporários e desaparecem à medida que essas emoções se dissipam”, explica o Dr. André Rodrigues, médico coordenador das Residências ORPEA em Portugal.

POR QUE DEVEMOS CUIDAR DO NOSSO CÉREBRO? 
Cuidar da saúde do nosso cérebro é sinónimo de plenitude e qualidade de vida. O poder do autocuidado depende de nós. Ter um estilo de vida saudável pode retardar o envelhecimento do cérebro, prevenir o desenvolvimento de algumas doenças e também retardar o aparecimento ou a progressão de outras. É também importante reduzir os fatores de risco para o aparecimento e progressão de distúrbios neurológicos.

QUAIS SÃO OS FACTORES QUE INFLUENCIAM A PERDA DE MEMÓRIA? 
– Angústia, depressão, isolamento e inatividade; 
– Álcool e alguns medicamentos que podem interferir com a atenção; 
– Falta de sono; 
– Ansiedade; 
– Deficiência de vitamina B12 e ácido fólico; 
– Falta de exercício.

COMO ESTIMULAR O CÉREBRO E EVITAR PROBLEMAS DE MEMÓRIA 
– Planear atividades, fazer listas de coisas a fazer e usar diários, calendários… as coisas são melhor lembradas se forem escritas.
Algumas pessoas lembram-se melhor das coisas se as associarem a algo familiar da sua vida quotidiana, tal como um livro, um parente ou uma canção. A isto chama-se mnemónica. É também útil utilizar cores para fortalecer a imaginação.

– Manter-se ocupado, por exemplo com atividades que ajudam tanto a mente como o corpo. Isto alivia os sentimentos de stress, ansiedade ou depressão.
Estes incluem fazer palavras cruzadas, resolver puzzles Sudoku ou lembrar os nomes das personagens de um filme.

– Envolver-se numa atividade física. Alguns estudos associaram o exercício (por exemplo, caminhar) a uma melhoria da função cerebral.

– Oitenta por cento da memória é armazenada visualmente. Portanto, para recordar onde deixámos algo esquecido, devemos tentar “ver-nos” mentalmente para que saibamos o que estávamos a fazer.

– Comer vegetais e frutas frescas, massas, leguminosas e alimentos que contenham magnésio, iodo e fósforo.

A MEMÓRIA PODE SER MELHORADA NAS PESSOAS MAIS VELHAS? 
Em muitos casos os mais velhos podem ter uma memória com um desempenho tão bom como os mais jovens. De facto, à medida que envelhecem, os adultos saudáveis melhoram normalmente em áreas de capacidade mental, tais como o vocabulário.

Na velhice, a memória pode ser melhorada, e uma variedade de técnicas pode ser utilizada para os ajudar a permanecer saudáveis, a manter as suas capacidades mentais e assim melhorar a sua qualidade de vida.

MKA ORPEA

Cuidar-Memória