Rendas duplicam em Castelo Branco e sobem mais de 65% em Faro e Beja

0
119
Imovirtual-Barómetro-Agosto

O Imovirtual, Portal imobiliário de referência, acaba de divulgar um estudo, baseado em dados disponíveis na plataforma, no qual analisa a evolução dos preços médios anunciados de venda e arrendamento em Portugal. Os dados agora partilhados referem-se ao comparativo de julho com agosto deste ano e com o período homólogo (agosto) do ano passado.

No geral, os valores de arrendamento estão cerca de 40% mais altos em agosto face ao ano passado, encarecendo 400€ em um ano. O valor da renda média também sobe em relação ao mês de julho, sobretudo em Castelo Branco e Lisboa.

Principais conclusões:

ARRENDAMENTO

  • O valor médio dos imóveis para arrendar sobe +7,2% em agosto, em relação a julho, passando de 1.317€ para 1.412€. Em agosto do ano anterior, a renda média fixava-se em 1.019€, o que representa um aumento de +38,6% (quase 400 euros mais cara).

Distritos em destaque:

  • Os distritos com o maior aumento do valor médio de renda em agosto, face ao mês anterior, foram Castelo Branco (+14%) e Lisboa (+11,5%), com as respetivas rendas médias a fixarem-se agora em 781€ e em 1.804€. A renda média também aumentou de forma significativa em Vila Real (+9,6%), Beja (+8,6%) e Setúbal (+7%).
  • Os distritos que, pelo contrário, registaram maior quebra da renda média em agosto, face ao mês anterior, foram a Região Autónoma da Madeira (-13,5%), que se fixa em 1.068€; Viana do Castelo (-11,6%), que se fixa em 698€, e Bragança (-10%), que se fixa em 461€.
  • Em comparação com o período homólogo de 2021, arrendar casa tornou-se exponencialmente mais caro em Castelo Branco, onde o valor aumentou +100,8% (de 389€ para 781€), Faro, com um aumento de 69,8% (de 821€ para 1.394€) e Beja, onde aumentou 65,3% (de 473€ para 782€).
  • O distrito com maior quebra do preço de renda face ao período homólogo é Portalegre (-25,7%), descendo de 459€ para 341€.
  • Portalegre (341€) e Bragança (461€) foram os distritos mais baratos para arrendar em agosto. Lisboa (1.804€), Faro (1.394€) e Porto (1.295€) mantêm-se os mais caros.

VENDA

  • O preço médio de venda anunciado manteve-se estável em agosto (+0,7%), face a julho, passando de 401.312€ para 403.935€. Em comparação com o período homólogo de 2021, que registava um valor médio de venda de 365.264€, há um aumento de +10,6%, que se traduz em casas 38,7 mil euros mais caras.

Distritos em destaque:

  • Os distritos com o aumento mais significativo do preço médio de venda em agosto, face a julho, foram Coimbra (+3,4%, de 197.721€ para 204.487€), a Região Autónoma da Madeira (+3,3%, de 448.592€ para 463.349€), Guarda (+3,2%, de 107.018€ para 110.414€) e Portalegre (+3,1%, de 118.620€ para 122.330€).
  • Em agosto apenas se registaram ligeiros decréscimos, pouco significativos, no preço médio de venda registado em Viana do Castelo (-0,3%) e Bragança (-0,2%), com os valores a fixarem-se agora em 251.294€ e 218.035€, respetivamente.
  • Comparativamente com agosto do ano passado, os distritos que registaram o maior aumento do preço de venda são a Região Autónoma da Madeira (+24,9%), passando de 370.942€ para 463.349€ e Setúbal (+23,2%), que sobe de 306.026€ para 376.945€.
  • Vila Real é o distritocom a maior quebradopreço médio de venda face a agosto de 2021 (-6,5%), descendo de 193.435€ para 180.812€.
  • Guarda (110.414€) e Castelo Branco (121.449€) foram os distritos mais baratos para comprar casa em agosto. Os mais caros mantêm-se Lisboa (643.450€) e Faro (566.806€).

Todos os dados podem ser consultados no seguinte link:

https://www.imovirtual.com/noticias/imoblog/barometro-precos-das-casas-em-agosto-de-2022-venda-e-arrendamento

Taylor

Imovirtual-Barómetro-Agosto