ORPEA | Dia Mundial da Fisioterapia – 8 de setembro

0
190
Fisioterapia-ORPEA

No Dia Mundial da Fisioterapia é celebrado o papel significativo que esta profissão desempenha na saúde e no bem-estar da população, particularmente na população sénior. Para além do papel que o fisioterapeuta desempenha na prevenção, tratamento e reabilitação da funcionalidade nas mais diversas áreas e contextos (músculo-esquelética, neurologia, cardio – respiratória, desporto, etc.), possui também um papel fundamental na prevenção de complicações associadas ao envelhecimento, nomeadamente as quedas e o síndrome da imobilidade.

Promover o envelhecimento ativo e manter a autonomia pelo máximo de tempo possível são alguns dos principais objetivos das equipas de profissionais das Residências ORPEA. Uma das opções mais interessantes para alcançar esse objetivo foca-se na prevenção dos principais obstáculos associados a um envelhecimento ativo:

A importância da prevenção das quedas nos seniores:

As quedas estão entre os problemas mais frequentes na comunidade sénior, associando-se a uma redução da funcionalidade, aumento da morbilidade e mortalidade. As quedas habitualmente resultam de uma interação de múltiplos fatores de risco, muitos dos quais podem ser corrigidos. Essa interação é condicionada também pela idade, doenças existentes e também presença de fatores ambientais.

Os objetivos da intervenção do fisioterapeuta na prevenção de quedas são definidos a curto, médio e longo prazo, desempenhando o indivíduo um papel ativo em todo este processo. Durante as sessões de fisioterapia: são aumentados os limites de estabilidade e força; são desenvolvidas e aperfeiçoadas as estratégias de equilíbrio mais adequadas e eficazes; é reduzido ou, se possível, eliminado o medo de cair; é incentivada a participação do indivíduo nas actividades do seu dia-a-dia; é aperfeiçoada a autonomia e independência, melhorando a qualidade de vida dos residentes. De acordo com a fisioterapeuta Dídia Pereira da Residência Orpea Doce Viver, em Condeixa: “A prevenção de quedas deve ser abordada e articulada sempre em equipa multidisciplinar”, pois o fisioterapeuta trabalha sempre com outros profissionais da equipa (médicos, enfermeiras, nutricionistas, etc.).

O papel da fisioterapia para combater o Síndrome da Imobilidade:

O síndrome da imobilidade é um conjunto de alterações relacionadas com o utente acamado por um período prolongado. As consequências desta síndrome incluem: problemas cutâneos (úlceras de pressão), problemas músculo-esqueléticos (perda de massa muscular, diminuição de amplitude articular, contraturas), cardíacos, respiratórios, gastrointestinais, também do foro psicológico (agitação, agravamento de demência) e infeccioso (por exemplo, infeções urinárias). Por este motivo, nos nossos centros promovemos levante diário a todos os residentes, mesmo aos mais dependentes, de forma a evitar complicações associadas à imobilidade. “Se nada fizermos e o residente não sair da cama ou for sequer estimulado para a função, este pode perder até 50% da sua massa muscular no espaço de 5 semanas”, explica Dídia Pereira.

Para além da prevenção das principais complicações que ocorrem à medida que envelhecemos a fisioterapia sénior oferece benefícios, a médio e longo prazo, em todos os níveis: cardiovascular, respiratório, muscular, articular, sistema metabólico (diabetes, obesidade …), sistema nervoso, aparelho geniturinário, aparelho digestivo e até benefícios psicológicos e socio afetivos.

Nas Residências ORPEA o fisioterapeuta que trabalha com os residentes orienta o seu plano de cuidados de forma a estimular a sua atividade física e a evitar e / ou prevenir o sedentarismo, pois é a melhor ferramenta para atingir um envelhecimento ideal, aliado a relações sociais e uma alimentação adequada.

MKA

Fisioterapia-ORPEA