Tempo de Crónicas | Ano 2023 a Ver Vamos

0
492
Crónica-Ireneu

Entradas da noite para novo ano continuam motivo de espalha alegrias, e a euforia é campeã, toma conta de multidões, a pirotecnia com seus fogos de artifício encantam, basta ver nas notícias, mais os espumantes grandes favoritos nas passagens de anos – do meu lado a passagem para o 2023, foi na U.P.B. em Pawtucket no vizinho estado de Rhode Island. Noite com música DJ. Gente amiga contribuiram para a boa disposição.

A dada altura apercebi-me que estava metido no pecado da gula, isto de encher barriguinhas torna-se perigoso. Senti que tinha de ir à rua tomar outros ares mesmo a chover, mas abrigado na aba do edifício. Teve medo a esposa. Uns quinze ou vinte minutos a normalidade veio refazendo-se no meu ser. Ao que parece comecei a exagerar da mesa dos aperitivos, nas bolachas e queijo, e do jantar nada de viandes, optei por deliciar-me com arroz de marisco sei que exagerei, dizem que nas bebidas fui fora da conta no tinto.

Passou e daqui para a frente a ver vamos, o desagradável momento quero que fique de emenda.

Com mais um ano, outro raiar de esperanças, porque a vida é isto. Resistir e a pensar no futuro, procurando não gastar energias a resmungar pelo que já passou em termos da vida do dia-a-dia. Preparemo-nos para o que há-de vir. A ver vamos, das coisas de jogar mãos à cabeça ajeitarmos quanto positivamente possível por novas janelas de oportunidades nos mais diversos quadrantes, nem só material, mas afetivo. Na vida tenha-se espírito, transcendências ponha-se de parte, mas vamos acreditando nalguma coisa, temos de acreditar é um andar de mão dada com as benevolências. 

Veremos o que nos irá reservando o 2023, nesta crónica votos para que haja mais atenção para com a sinalização rodoviária, muita consideração para com os animais com menos abandonos de caninos e felinos. E claro proteja-se a natureza, a luz do planeta em que vivemos, tirando conclusões do que as pessoas da ciência dizem. Promova-se o exercicio fisíco, nos trabalhos de muito esforço ou movimentos pouco têm a preocupar-se com isso. Feliz Ano.

Ireneu Vidal da Fonseca, Massachusetts, EUA

Crónica-Ireneu