Imovirtual | Porto, Setúbal, Faro, Madeira e Évora mantêm Renda acima dos 1000€ em Janeiro

0
615
Imovirtual-Logotipo

O Imovirtual, Portal imobiliário de referência, acaba de divulgar um estudo, baseado em dados disponíveis na plataforma, no qual analisa a evolução dos preços médios anunciados de venda e arrendamento em Portugal. Os dados agora partilhados referem-se ao comparativo de dezembro com janeiro deste ano e com o período homólogo (janeiro) do ano passado.

Verificamos descidas ligeiras na renda média e no preço de venda de casas, em janeiro, o que revela um ajuste do mercado à realidade económica numa fase que será de adaptação. Estes valores mantêm-se acima daqueles que foram registados em janeiro do ano passado, o que continua a demonstrar a elevada valorização dos imóveis. No caso do arrendamento, os valores aumentam de forma significativa em relação ao valor da renda registado há um ano, tornando-se 400€ mais caras», comenta Diogo Lopes, Marketing Manager do Imovirtual.

Principais conclusões:

ARRENDAMENTO

  • O valor médio dos imóveis para arrendar desce em janeiro, fixando-se em 1.445€, com uma descida de -8,8% face ao mês anterior, dezembro. Relativamente a janeiro de 2022, quando a renda média se fixava em 1.046€, há um aumento de +38,1% (cerca de 400€ mais cara).

Distritos em destaque:

  • Beja (+22,8%) e Portalegre (+17,7%) são os distritos com maior aumento da renda média em janeiro, face ao mês anterior, com os valores a subirem para 646€ e 413€, respetivamente.
  • Por outro lado, Bragança regista a maior descida da renda média em janeiro (-47,6%), comparativamente com dezembro, passando de 787€ para 412€. Castelo Branco (-28,6%), Viseu (-22,9%) e Évora (-22,2%) também registam quebras relevantes.
  • Comparativamente a janeiro de 2022, Évora tem um aumento substancial da renda média de +79,9%, subindo de 586€ para 1.054€. Segue-se Lisboa (+59,3%), onde a renda sobe de 1.308€ em janeiro de 2022 para 2.084€. Beja (+47,5%) e Leiria (+46,9%) também registam um grande aumento da renda em comparação com o mesmo mês do ano passado.
  • Em relação ao período homólogo, janeiro regista apenas uma ligeira diminuição do preço médio de arrendamento na Guarda (-0,9%).
  • Bragança (412€) e Portalegre (413€) são os distritos mais baratos para arrendar em janeiro. Lisboa é o mais caro (2.084€), seguindo-se Porto (1.322€), Faro (1.229€), Setúbal (1.216€), Évora (1.054€), e Madeira (1.018€).

VENDA

  • O preço médio de venda desceu -2,8% em janeiro, comparativamente com o mês anterior, passando de 412.469€ para 400.962€. Já em relação ao período homólogo de 2022, que registava um valor médio de venda de 372.000€, há um aumento de +7,8%, com as casas a ficar cerca de 29 mil euros mais caras.

Distritos em destaque:

  • Os distritos com o maior aumento do preço médio de venda em janeiro, face a dezembro, foram Castelo Branco (+3,4%) e Évora (+2,1%), com a maioria dos restantes a manterem-se estáveis.
  • Guarda (-8,1%) regista o único decréscimo significativo do valor de venda em janeiro, face ao mês anterior. 
  • Em relação a janeiro de 2022, os distritos que registaram o maior aumento no preço das casas foram, novamente, a Região Autónoma da Madeira (+19,5%, de 393.960€ para 470.755€), Santarém (+18,3%, de 173.002€ para 204.611€) e Setúbal (+16,9%, de 327.309€ para 382.693€).
  • Bragança (-30,2%) é o único distrito que, face a janeiro do ano passado, regista uma quebra do preço médio de venda, passando de 217.211€ para 151.795€.
  • Guarda (109.534€) e Portalegre (115.435€) mantiveram-se os distritos mais baratos para comprar casa em janeiro. Os mais caros foram Lisboa (635.441€), Faro (581.112€) e Região Autónoma da Madeira (470.755€).

Taylor

Imovirtual-Logotipo