Loulé | 19º Festival MED apresenta-se na BTL

0
678
MED-2023-BTL-2

O Festival MED esteve uma vez mais na BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa, para dar a conhecer a sua 19ª edição, que acontece de 29 de junho a 2 de julho de 2023, na Zona Histórica de Loulé. Durante esta semana, no stand do Município de Loulé e no “Espaço Algarve”, através de momentos de apresentação, o público que passar por este certame ficará a conhecer alguns detalhes sobre o que se perspetiva para aquele que é um dos momentos altos da animação de verão no Algarve.

90 horas de música, 66 concertos, 400 músicos, 18 nacionalidades, 12 palcos, 100 expositores de artesanato, 4 exposições de arte espalhadas pelo recinto e 8 grupos de animação de rua que diariamente irão percorrer as ruas e ruelas do festival são alguns dos números para este ano.

Neste momento a Autarquia “levanta o véu” e anunciou hoje os primeiros 17 nomes que sobem ao palco nos 5 dias com o melhor das músicas do mundo. São eles: Amadou&Mariam (Mali), Amaro Freitas (Brasil), AYWA (Marrocos/França), BandaAdriatica (Itália), Bandua (Portugal), Bateu Matou (Portugal), Bia Ferreira (Brasil), Bulimundo (Cabo Verde), Club Makumba (Portugal), Horace Andy (Jamaica), Lavoisier (Portugal), Omar Souleyman (Síria), Onipa (Gana/UK), Sara Correia (Portugal), Sarah McCoy (EUA), Sétima Legião (Portugal) e Pedro Mafama (Portugal).

Um dos destaques vai para o regresso do jamaicano Horace Andy, uma verdadeira instituição no que toca ao reggae. O artista já esteve em Loulé em 2009 e, para este concerto, prevê-se mais uma onda de “boas vibrações”.

Quem também volta a pisar o palco do MED é Amadou & Mariam, vindos diretamente do Mali. Esta dupla musical, que esteve neste festival algarvio em 2008, alcançou o seu sucesso global combinando as influências da África Ocidental com R&B e é um dos mais acarinhados projetos na área das músicas do mundo.

Na música portuguesa, o MED conta este ano com um dos três concertos que irão assinalar os 40 anos de carreira dos Sétima Legião; além de Lisboa e Porto, a banda vem a Loulé para um espetáculo comemorativo.

A brasileira Bia Ferreira protagonizou, em maio de 2022, no Cineteatro Louletano, o “aquecimento” para o MED, e agora, esta voz da luta pelos direitos LGBTQl+, contra o racismo e a xenofobia, integra o cartaz deste ano. Espera-se que este concerto seja um espaço de esclarecimento e, ao mesmo tempo, de provocação, em defesa das causas em que acredita.

A par da Música, o Cinema, Poesia, Teatro, Animação de Rua, Artes Plásticas, Conferência temática e Gastronomia voltam a fazer parte do programa deste ano. Também a aposta na sustentabilidade ambiental, na promoção da igualdade de género e na união dos povos continuam a merecer uma atenção especial por parte da organização.

Desde 2004, o Festival MED tem dado um importante contributo para a projeção turística da região algarvia, valorização cultural e dinamização da economia local.

Evento aplaudido pelo público e reconhecido pela crítica, o Festival MED está, uma vez mais, nomeado para os Iberian Festival Awards, nas seguintes categorias: Melhor Festival de Média Dimensão, Melhor Festival Lusófono e Hispânico, Melhor Promoção Turística, Melhor Atuação Internacional com o concerto dos colombianos Guetto Kumbé, Contributo para a Sustentabilidade, Contributo para a Igualdade e Melhor Foto/David Pereira.

O MED já contou com 50 nomeações desde o início destes galardões e foi distinguido como Melhor Festival de Média Dimensão da Península Ibérica, em 2017 e 2018; Melhor Promoção Turística (Portugal), em 2018 e 2020; Contributo para a Sustentabilidade na Península Ibérica, em 2019; Melhor Festival Lusófono e Hispânico da Península Ibérica, em 2020.

Ao longo destas 18 edições, já passaram pelo Festival mais de 600 bandas, em representação de mais de 50 países. Durante o momento de apresentação à Comunicação Social e entidades, que teve lugar esta sexta-feira, o vereador do Município de Loulé e diretor do Festival MED, Carlos Carmo sublinhou o facto de “este ser um festival de músicas do mundo, que tenta abraçar todo o planeta” mas que “não se cinge só a este aspeto cultural”.

O responsável abordou algumas das matérias ambientais que têm sido implementadas ao longo dos anos neste evento, com destaque para o desafio lançado em 2022 aos designers do Loulé Design Lab no sentido de reaproveitarem “os resíduos que normalmente são deitados fora” para mobiliário que esteve em vários espaços do recinto, por exemplo puffs feitos de lonas ou mesas criadas a partir de garrafas de plástico.

Este responsável sublinhou ainda o impacto turístico que o MED tem: mais de 40% dos visitantes são turistas e 39% deles escolhe vir para o Algarve e para Loulé por causa do Festival MED. “Além da música, o que mais motiva o visitante é a experiência que o MED oferece”, disse ainda Carlos Carmo.

A Antena 1, Antena 2 e Antena 3 voltam a ser media partners radio e em breve serão anunciados outros parceiros.

Pedro Mafama, um dos artistas que faz parte do cartaz musical do MED’23, associou-se a esta apresentação na FIL e deixou algumas palavras aos presentes: “Estou muito entusiasmado por tocar no MED, vai ser a primeira vez. A cidade é linda! Vou trazer o meu próximo projeto, ‘Estava no abismo mas dei um passo em frente’. Encontramo-nos lá!”.

Todas as informações em: https://www.facebook.com/festivalmedloule

CM Loulé

Loulé | 19º Festival MED apresenta-se na BTL

MED-2023-BTL-4
MED-2023-BTL-1
MED-BTL-2023-5
MED-2023-BTL-2
MED-2023-BTL-3
MED-2023-BTL-6
MED-2023-BTL-4 MED-2023-BTL-1 MED-BTL-2023-5 MED-2023-BTL-2 MED-2023-BTL-3 MED-2023-BTL-6