Ténis | Gonçalo Oliveira é o Novo Campeão do Loulé Open by Cimpor

0
457
Ténis-Gonçalo-Oliveira-Vasco-C

O português Gonçalo Oliveira venceu este domingo o Loulé Open by Cimpor, torneio internacional de 25.000 dólares que o Clube de Ténis de Loulé organizou pela 13.ª vez com os apoios da Câmara Municipal de Loulé e da Federação Portuguesa de Ténis.

Atrasada cerca de quatro horas devido à chuva, a final deste domingo teve pouca história — à semelhança do que aconteceu nos quatro encontros anteriores vencidos pelo tenista português de 28 anos, atualmente no 464.º lugar do ranking ATP. 6-3 e 6-2 foram os parciais que em 1h24 lhe permitiram derrotar o francês Lucas Poullain (847.º), o campeão do Faro Open há uma semana que chegou à final com nove vitórias consecutivas.

A tarefa de tomar a iniciativa perante um adversário que gosta de “esperar” na linha de fundo assentou que nem uma luva a Oliveira. Porque antes da final não conhecia Poullain, o jogador portuense (que vive há vários anos no Algarve) aproveitou os primeiros jogos para estudar o peso e a altura da bola do francês, esperou pelo timing certo e depois partiu para o ataque.

A quebra de serviço (em branco) que decidiu o primeiro parcial surgiu ao oitavo jogo, mas Oliveira já tinha ameaçado nos anteriores ao tirar proveito da capacidade de obrigar Poullain a deslocar-se constantemente de um lado ao outro da linha para ter muito mais espaço vazio a explorar.

Esta foi a primeira vez em toda a semana que Poullain perdeu uma partida, mas o tenista gaulês não desmotivou e logo no arranque da segunda conseguiu um break em branco. Só que a reação de Oliveira à ligeira quebra de concentração foi imediata e, também com um break em branco, o número seis nacional partiu novamente para o ataque e nunca mais parou: num ápice, venceu seis jogos seguidos e só descansou quando ouviu o tão aguardado “game, set and match“. 

“É o primeiro título de singulares que ganho em Portugal, por isso estou muito contente”, disse Gonçalo Oliveira no final. “É o resultado de muito trabalho em casa, com o meu pai e com a minha equipa, e resulta de uma série de coisas: estou mais maduro, mais focado, sei o que é que preciso de fazer e já não perco tempo com coisas desnecessárias. Há jogadores que amadurecem mais cedo, eu amadureci um pouco mais tarde, mas agora está tudo a encaixar.”

Surpreendido com a campanha que assinou num torneio em que não perdeu qualquer set, e do qual sai com importantes 25 pontos para reconstruir a evolução no ranking (foi 194.º em dezembro de 2017), o tenista português mostrou-se confiante em relação ao futuro: “Este título dá-me confiança para o que aí vem e sinto que a jogar a este nível não vou estar nestes torneios durante muito tempo.”

Declarações de Vasco Costa, presidente da Federação Portuguesa de Ténis: “Quero felicitar a organização, os patrocinadores e a Câmara Municipal de Loulé, que apoia o torneio. Este é o quarto torneio, ainda faltam dois da série de seis seguidos aqui no Algarve, e estou muito contente porque nos quatro que já se realizaram tivemos duas vitórias de jogadores portugueses. É para isso que trabalhamos e estou muito contente por ver que está a acontecer. E estes torneios tiveram todos quadros muito fortes, o que dá ainda mais mérito aos títulos.”

Declarações de Luís Pedro, diretor do torneio: “Foi um torneio muito forte, que inclusive contou com um jogador que já esteve no top 30 mundial. Tivemos um leque significativo de atletas portugueses e já há alguns anos que não tínhamos um vencedor português, mas felizmente hoje isso aconteceu. O Gonçalo Oliveira está de parabéns, a organização está de parabéns e todos aqueles que colaboram estão de parabéns.”

GRL