Apresentação do Livro de Paulo Cunha encheu a Biblioteca Municipal de Faro

0
870
Livro-Paulo-Cunha-1

No dia 6 de abril a Biblioteca Municipal de Faro ficou repleta de amigos e admiradores do professor de Educação Musical Paulo Cunha, que se juntaram para acolher o seu livro “Subscrevo!? Reflexões e Provocações”.

A festa começou com o grupo Vá-de-Viró, fundado por Paulo Cunha há 30 anos, e que contou com a presença dos músicos Cláudia Matias e Patrícia Martins nas vozes, Igor Martins no baixo acústico, Paulo Girão na flauta transversal, Adriano St. Aubyn, Aníbal Madeira e Jorge Semião na guitarra e Paulo Cunha e André Lopes na percussão. Este grupo brindou o público com duas composições originais de Jorge Semião e um tema já editado no último álbum do grupo, Por Aí, também de Jorge Semião, intitulado Saudade atrás de Saudade.

Depois deste momento de euforia acompanhado pelo público, seguiu-se a apresentação mais formal do livro de Paulo Cunha. Dando início ao painel, a diretora da Biblioteca, Sandra Martins, apresentou o autor através do seu currículo diversificado, enquanto homem da cultura na cidade de Faro. A apresentação prosseguiu com os contributos das representantes das duas editoras, Cláudia Aragão pela AlgarCongress e Ana Oliveira enquanto presidente da Música XXI, relevando o papel humanista que Paulo Cunha tem desenvolvido enquanto criador, diretor musical e professor. Como afirmação deste caráter humanista um aluno do Clube de Teatro Tapete Mágico, João Baptista, leu a crónica “Falar Música”, emocionando o auditório com a história comovente de um aluno ucraniano que, sem conhecer a nossa língua, conseguiu comunicar com os colegas através de uma canção. Finalmente, Maria de Lourdes Cêa apresentou o livro, realçando as suas qualidades, tanto ao nível formal, como ao nível do conteúdo, abrindo o apetite para um devorar contínuo e voraz das 173 crónicas nele inseridas.

Finalmente, o coral feminino Outras Vozes, criado há 20 anos também por Paulo Cunha, apresentou três temas, mostrando a versatilidade e os matizes que sete vozes (Ana Corte-Real, Carla Lúcio, Cláudia Cabanita, Isabel Trindade Marisa Mendes, Patrícia Martins e  Vera Rocha) podem harmoniosamente criar.

Foram muitas as emoções partilhadas, foram intensas as emoções vividas. Lágrimas que se soltaram numa alma plena de generosidade e talento, às quais a plateia agradeceu com uma sentida ovação.

Foi caso para dizer: “Foi bonita a festa, pá!”

Música XXI