As Comemorações do Dia Mundial das Aves Migratórias em Lagoa

0
307
Aves-Migratórias-Lagoa-1

O movimento Alagoas Brancas comemora hoje o Dia Mundial das Aves Migratórias com a promoção do evento “Introdução à observação de aves para crianças/ Introduction to bird watching for children” cuja parte prática  terá lugar junto às Alagoas Brancas (cartaz e programa em anexo).

Entretanto o Município de Lagoa também decidiu celebrar esta efeméride no Sítio das Fontes de Estômbar, longe das Alagoas Brancas.

As Alagoas Brancas encontram-se cheias de água doce e detêm uma vasta biodiversidade. Até ao momento foram observadas e contabilizadas no local mais de 146 espécies só de aves, incluindo aves migratórias (Fonte eBird).

Sem desmerecer o papel do Sítio das Fontes de Estômbar que contam até ao momento com 111 espécies de aves observadas (Fonte eBird), é notório e relevante que apesar de se tratar de um local mais reduzido, as Alagoas Brancas detêm, entre outros aspectos, maior diversidade de avifauna que as Fontes de Estômbar.

Todos os lagonenses, residentes e visitantes, poderiam comemorar este dia na cidade de Lagoa beneficiando da proximidade do oásis de biodiversidade que são as Alagoas Brancas.

O Município de Lagoa poderia ir de encontro aos objectivos do Plano Inter-Municipal de Adaptação as Alterações Climáticas (P.I.A.C) – escusava de alugar autocarros para levar os cidadãos para fora da cidade neste dia e poupava as suas emissões de carbono – o Município de Lagoa poderia proteger e promover a preservação desta zona húmida (Alagoas Brancas) deste habitat no coração da cidade de Lagoa, associando-o a actividades ligadas à biodiversidade e valorizando os importantíssimos serviços que este ecossistema presta à própria cidade.

Porque é que o Município de Lagoa insiste em ignorar este ecossistema, esta zona húmida, permitindo a sua destruição?

Porque é que o Município de Lagoa não propôs a mudança de lugar do loteamento quando alegadamente o promotor Edifícios Atlântico estaria disponível para o fazer em 2018?

A União das Freguesias de Lagoa e Carvoeiro chegou a manifestar-se publicamente pela defesa das Alagoas Brancas, mas o que é que tem feito desde então?

Porque insistem os nossos  autarcas em ignorar as Alagoas Brancas?

Porque desviam sistematicamente a atenção das Alagoas Brancas?

Porque insistem em mudar (destruir) as Alagoas Brancas e não mudar o loteamento de sitio?

Sabe-se hoje que uma das contrapartidas da urbanização do loteamento é que a Câmara Municipal de Lagoa possa ficar com alguns lotes do mesmo (anexo).

Não serão as Alagoas Brancas e tudo o que representam, muito mais importantes que uns lotes?

O que o Município de Lagoa deveria fazer para celebrar este dia era invocar que dispõe de nova informação sobre o local, alterar o PDM,

não colocar pessoas e bens em risco, e usar a lei ao seu dispor para anular o loteamento a custo zero, sem qualquer indemnização.

Isto seria celebrar realmente a biodiversidade e o dia mundial das aves migratórias.

As Alagoas Brancas deveriam ser classificadas no no âmbito da convenção de Ramsar, entre outras. .

Nunca é tarde para fazer o que é correcto.

Apelamos ao bom senso de todos os partidos políticos e de todos os responsáveis políticos.

Assine a Petição: https://peticaopublica.com/mobile/pview.aspx?pi=PT114513

Manifeste-se connosco a 22 de Maio, dia mundial da biodiversidade, pelas 16h00 frente à CCDR Algarve, em Faro.

Movimentos Salvar as Alagoas Brancas