Fernando Cunha | Novo Tema “Do Mar ao Cais”

0
329

Fernando Cunha é uma daquelas figuras sem as quais é impossível contar a rica história do pop-rock em Portugal. O seu novo single, Do Mar ao Cais– extraído do seu mais recente trabalho, A Linha do Tempo – Ao Vivo em Lisboa -, conta, na verdade, a sua particular história que nasce nos Delfins, passa pela Resistência e pelo colectivo Ar de Rock e desagua em 25 anos de percurso a solo.

Neste tema, que conta com letra de Joana Alegre e melodia da sua autoria, Fernando revela que conseguiu “uma vida cheia” e que agora segue “livre como um rio”. E conclui: “Hoje lembro quem eu sou / De onde vim, pra onde vou / Sei que tornei real tudo o que sonhei”. A Linha do Tempo é, afinal de contas, a sua história de vida traduzida em canções. Nas que fez suas, nas que escreveu para os Delfins, nas que de uma forma ou outra se foi envolvendo ao longo da sua carreira.

Gravado para celebrar 25 recheados anos de canções em nome próprio, esse álbum A Linha do Tempo foi também um pretexto para reunir à sua volta novos e velhos amigos: João Gomes (sintetizadores e coros), João Alves (guitarra eléctrica 12 cordas, guitarra eléctrica e coros), Tiago Maia (baixo), Francisco Cunha (bateria) e ainda João Campos (coros e guitarra acústica) completam a banda que o acompanha.

Pelo palco do Maria Matos onde esse trabalho foi registado passaram ainda vários convidados como Diogo Campos, Maria León, Pedro Jóia, Paulo Costa e Olavo Bilac. Mas é Fernando Cunha que assume, sem outro apoio que não o da banda que juntou para este projecto, o tema “Do Mar ao Cais“. É uma história pessoal, como já sublinhado, que precisa dessa primeira pessoa, um retrato franco e transparente do artista que Portugal aplaude há já várias décadas. Porque, como explica também na canção, Fernando Cunha teve sempre “a força de acreditar” naquilo que mais ama: ou seja, na música como fonte de vida, como forma de partilhar histórias e segredos, como ferramenta para construir um mundo melhor e veículo para chegar às pessoas.

Fernando Cunha fez tudo isso. Do mar ao cais e mais além.

P&C