Mercedes-Benz | Função “Mudança Automática de Faixa de Rodagem” no mercado Europeu

0
544
Mercedes-Mudança-Faixa-Rodagem

Com a função “Mudança Automática de Faixa de Rodagem”, a Mercedes-Benz irá oferecer um desenvolvimento inteligente adicional dos seus sistemas de assistência à condução SAE Nível 2[1] para o mercado europeu – frequentemente designados também por Nível 2+. A empresa está atualmente a trabalhar na adaptação da função a situações de trânsito europeias. O lançamento de mercado está previsto para coincidir com a entrega das primeiras unidades do novo Classe E.

A Mudança Automática de Faixa de Rodagem funciona em estradas semelhantes a auto-estradas, com marcas rodoviárias e separador central.

A Mudança Automática de Faixa de Rodagem, ou ALC, já está disponível nos modelos Classe C, Classe E e Classe S, bem como nos modelos da marca Mercedes‑Benz EQ comercializados nos EUA e no Canadá. 

A função ALC é uma peça integral do Assistente Ativo de Distância DISTRONIC com Assistente Ativo da Direção. Se for detetado um veículo à frente a circular a uma velocidade inferior, o sistema pode iniciar uma mudança de faixa na gama de velocidade de 80‑140 km/h e efetuar automaticamente uma manobra de ultrapassagem completa se forem detetadas as marcações das faixas de rodagem e existir espaço suficiente. Para que tal seja possível, o sistema deve conhecer o limite de velocidade legal da estrada e o veículo deve estar equipado com o Sistema de Navegação MBUX. O sistema sofisticado não necessita de qualquer ação adicional por parte do condutor para executar a mudança automática de faixa de rodagem.

Com a orientação de itinerário ativa, o sistema também assiste durante a entrada e a saída de autoestradas. Como um sistema SAE Nível 2 não isenta o condutor da sua responsabilidade de condução mesmo durante a mudança automática de faixa de rodagem, a Mercedes-Benz determinou que as mãos do condutor devem permanecer no volante. A segurança é a prioridade máxima da Mercedes‑Benz e isto inclui, por exemplo, assegurar que não existe confusão causada por falsas expetativas.

O DISTRONIC com Assistente Ativo da Direção ajuda os condutores a uma velocidade até 210 km/h
Na gama SAE Nível 2, a Mercedes-Benz utiliza o Assistente Ativo de Distância DISTRONIC com Assistente Ativo da Direção na condução parcialmente automatizada, ajudando o condutor nas manobras na direção a uma velocidade do veículo de até 210 km/h. O sistema pode ser ativado em todos os tipos de estradas. Uma característica especial é o facto de, a velocidades inferiores a 130 km/h, o assistente de direção também funcionar com marcas rodoviárias de difícil deteção. O DISTRONIC, por sua vez, regula automaticamente a velocidade, ajustando a distância ao veículo da frente e ajudando no arranque em situações de pára-arranca.

DRIVE PILOT: sistema para condução automatizada intensiva (SAE Nível 3)
Com o DRIVE PILOT, a Mercedes-Benz oferece o primeiro e único sistema do mundo com aprovação válida internacionalmente para condução automatizada intensiva (SAE Nível 3). Permite que os clientes transfiram as tarefas de condução ao sistema em certas condições de trânsito intenso ou situações de congestionamento em troços de vias rápidas apropriados até uma velocidade de 60 km/h. Isto significa que os clientes aproveitam melhor o seu tempo e podem concentrar-se em determinadas atividades secundárias. O sistema DRIVE PILOT está disponível na Alemanha desde maio de 2022 para os modelos Classe S e Classe E. A Mercedes-Benz tornou-se também o primeiro fabricante automóvel a receber a correspondente aprovação nos estados da Califórnia e Nevada nos EUA. O DRIVE PILOT estará disponível no mercado dos EUA como equipamento opcional para os modelos Classe S e Classe E de 2024. A entrega dos primeiros veículos aos clientes está prevista para o final de 2023.

A segurança de todos os utentes da via é a máxima prioridade da Mercedes-Benz
A Mercedes-Benz foi sempre uma referência em matéria de segurança automóvel com inovações tecnológicas e é considerada uma pioneira da condução “manual” segura. Quer seja o ABS (1978, Classe S W116), os airbags para o condutor em combinação com tensores dos cintos de segurança (1981, Classe S W126) ou o ESP® (1995 S-Coupé C140) – a Mercedes-Benz foi a primeira a introduzir no mercado inúmeras inovações em matéria de segurança automóvel. O mesmo se aplica aos sistemas de assistência à condução: a Mercedes‑Benz foi o primeiro fabricante automóvel a introduzir o sistema de controlo de proximidade DISTRONIC (1998, Classe S W220), que é agora um sistema SAE Nível. A marca da estrela tem vindo a estabelecer padrões para as funções SAE de nível 2 há muitos anos.

A Mercedes-Benz também concentra as atenções na segurança e fiabilidade da condução automatizada intensiva (SAE Nível 3). O DRIVE PILOT é, portanto, criado com base numa arquitetura de sistemas que torna possível gerir em segurança qualquer situação que possa surgir, em qualquer momento. As quatro áreas nucleares da arquitetura redundante do sistema incluem o sistema de travagem, a direção, a alimentação de energia e componentes do sistema de sensores. Neste caso, em particular, a utilização de LiDAR é indispensável, juntamente com o radar e as câmaras. Eventuais défices de um sensor em função da situação podem ser compensados pelas características de outros sensores. Com este conceito de sistema focado na segurança, a Mercedes-Benz estabelece padrões totalmente novos na condução automatizada.

[1] Os sistemas de assistência à condução e de segurança da Mercedes-Benz são auxílios e não isentam os condutores das suas responsabilidades. O condutor deve consultar a informação no Manual do Proprietário e respeitar os limites do sistema nele descritos.

Mercedes Benz