DRCAlg | Música e Cinema na Fortaleza de Sagres e na Ermida de Guadalupe

0
516
Acordeão-Canto-Lírico-NS-Guadalupe

A programação cultural da DRCAlg, nos monumentos do Algarve sob sua tutela, prossegue com um recital de canto lírico e acordeão, na Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe, e mais uma sessão de cinema, do ciclo “Libertar a Memória”, na Fortaleza de Sagres.

O recital de acordeão e canto lírico, com o músico Gonçalo Pescada e a soprano Carla Pontes, acontece no próximo sábado, dia 12 de agosto, às 17h00, na Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe (Raposeira). Os músicos vão interpretar obras de compositores como J. S. Bach, Caccini, Gershwin e Astor Piazzolla, incluindo também obras dos compositores portugueses Zeca Afonso, Ferrer Trindade, Frederico Valério e Carlos Paredes.

A entrada é gratuita, sendo necessária reserva prévia através do email[email protected] ou do telemóvel 919518292.

A Fortaleza de Sagres recebe a terceira sessão do ciclo de cinema “Libertar a Memória”, promovido pelo Cineclube de Faro, no dia 26 de agosto, pelas 17h30. I Am Not Your Negro (2016, França/EUA, DOC, 1h33min M/12), do realizador Raoul Peck, é a escolha do curador, Suzano Costa, para esta sessão que assinala o Dia Internacional em Memória do Tráfico de Escravos e da Sua Abolição (23 de agosto).

O documentário do cineasta haitiano Raoul Peck foi realizado a partir do livro inacabado Remember This House, do escritor James Baldwin (1924 – 1987), e retrata os conflitos raciais nos Estados Unidos da América, a partir do assassinato de três dos principais líderes negros da história: Medgar Evers, Malcolm X e Martin Luther King.

O ciclo “Libertar a Memória” aborda questões como a (des)colonização, escravatura, segregação social,  lugares e identidades, numa pluralidade de perspetivas e visões. Os curadores convidados, embora com percursos pessoais e profissionais diversos, têm em comum a proveniência direta ou familiar de territórios afetados pela colonização e estão ligados entre si pelo estudo, pensamento, cultura e ação em temas de memória e pós-colonialismo e suas consequências ainda presentes. O projeto tem a coordenação artística e a curadoria de Luísa Baptista e a produção técnica de Pedro Mesquita.

Para complementar as exibições, irão estar disponíveis algumas publicações com a curadoria literária da responsabilidade de Marta Lança e do projeto Buala.

A entrada é livre, sujeita a inscrição prévia para o email: [email protected].

O ciclo de cinema integra a programação do DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos – com o tema “Patrimónios (des)confortáveis”, que está disponível online.

DRCAlg

Música-Cinema-Fortaleza-Sagres