CDU | Assembleia Municipal de Lagos unânime na Homenagem ao Arquiteto e Anti-fascista José Veloso

0
144
CDU-Logotipo

A Assembleia Municipal de Lagos (AML), na reunião do passado dia 19 de Fevereiro, aprovou, por unanimidade, um voto de pesar pelo falecimento de José Veloso, ocorrido em 19 de Janeiro do presente ano.

Apresentado pela bancada da Coligação Democrática Unitária (CDU), o voto previa uma “devida homenagem ao cidadão, José Paulo Velho Geraldo de Albuquerque Veloso”, nascido em Lagos a 9 de Junho de 1930, “manifestando profundo pesar pelo seu falecimento, expressando à sua família e amigos as mais sentidas condolências”, bem como a remissão desse voto de pesar “à sua família e ao Partido Comunista Português”, partido em que militou.

José Veloso foi um empenhado combatente anti-fascista, tendo participado ativamente, em 1969, no Movimento Democrático Português/Comissão Democrática Eleitoral (MDP/CDE), partido pelo qual se candidatou, por Faro, à Assembleia Nacional. Após a Revolução de 25 de Abril de 1974, José Veloso foi candidato à Assembleia Constituinte e várias vezes à Assembleia da República.

Em Lagos, foi membro da Assembleia Municipal em vários mandatos e vereador na Câmara Municipal no mandato de 1983 a 1985. Foi, ainda, membro da Comissão Organizadora da Assembleia Constituinte da Associação Nacional dos Municípios Portugueses.

Enquanto arquiteto, José Veloso destacou-se na luta pela causa popular, social e comunitária da arquitetura, tendo prestado um enorme contributo para a concretização do direito democrático à Habitação, tal como consagrado na Constituição da República Portuguesa. Foi com esse horizonte em vista que José Veloso – lê-se no texto do referido voto de pesar – “trabalhou para o Fundo de Fomento da Habitação, como coordenador de equipas de projecto do Serviço de Apoio Ambulatório Local (SAAL), com projectos construídos em diversos concelhos algarvios. Nomeadamente no concelho de Lagos, onde por via da criação de 6 Associações de Moradores – Bairro 25 de no Apeadeiro e Bairro 1º de Maio na Duna, ambos na Meia Praia, Bairro 28 de Setembro em Lagos, Bairro 11 de Março, na Luz, Bairro da Liberdade em Espiche e Bairro da Zona Verde, em Bensafrim – foram construídas 236 habitações.”

Ainda, enquanto membro da Cooperativa BLOCO, Crl., “dedicou a sua actividade profissional quase exclusivamente a projectos de equipamentos públicos, de habitação de promoção municipal e de habitação cooperativa, com obras construídas em vários concelhos algarvios e alentejanos.”

O voto de pesar lembra que José Veloso foi um prolífico escritor, tendo publicado inúmeros artigos de opinião, sobretudo na imprensa regional do Algarve, muitos dos quais se podem ler no livro “José Veloso, a arquitetura, uma causa”, que o curso de arquitetura do ISMAT publicou em 2019, em homenagem ao percurso de vida e à militância política e participação cívica de José Veloso.

Publicou vários livros, nomeadamente “Lagos e outras terras, memórias soltas e alguns pensamentos sobre gentes da borda d`água, barcos, mar e rios”, “Houve fascismo em Portugal, testemunhos de um cidadão”, “Brevíssima foto-história da Cidade marítima, ao longo do século XX, memórias da cidade bela”, “Grandes navios de vela de bandeira portuguesa, compilação fotográfica com alguma história”.

Ainda, em 2017 foi publicado o livro “José Veloso, LUZTUR 1970-1978, Um Edifício Singular”, coordenado e editado por Nuno Arenga, que procede a uma análise não apenas daquele edifício situado na Freguesia da Luz, mas do seu propósito comunitário, revelando, mais uma vez, a articulação entre a arquitetura e a função social, política e económica do arquiteto.

José Veloso “foi participante do grupo fundador do Clube de Vela de Lagos, em 1950, e eleito em vários mandatos como Comodoro e como Presidente da Direcção. Foi membro eleito do Conselho Técnico da Federação Portuguesa de Vela, em 1973/74, foi sócio fundador e eleito Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Associação Lacobrigense de Desportistas Náuticos, e foi sócio fundador e eleito Presidente da Mesa da Assembleia Geral da TERTÚLIA, Associação Sócio-Cultural de Aljezur.”

O texto do voto de pesar termina referindo que “José Veloso teve uma vida inteiramente dedicada à luta e intervenção pela emancipação dos povos, pela democracia, o progresso social, a paz e o socialismo.”

O órgão deliberativo do Município de Lagos aprovou, ainda, recomendar à Câmara Municipal a atribuição do nome de José Veloso “a uma Avenida, Praça ou Rua” da cidade de Lagos.

CDU