Cláudio Lima tomou posse para um segundo mandato como presidente do PSD/Loulé

0
113
Presidente-PSD-Loulé-2

A cerimónia de tomada de posse dos órgãos do PSD/Loulé marcou o arranque de um novo mandato para a concelhia social-democrata, novamente liderada por Cláudio Lima. O evento, realizado no passado dia 18 de Maio, contou com a presença de mais de uma centena de pessoas, com destaque para a vice-presidente da Comissão Política Nacional, Inês Palma Ramalho, o presidente do PSD/Algarve e deputado à Assembleia da Republica Cristóvão Norte, o líder da JSD/Algarve, Artur Gomes, a candidata pelo Algarve na lista da Aliança DemocráƟca às próximas eleições europeias, Alexandra Gonçalves, para além da deputada à AR Ofélia Ramos e da vice-presidente da câmara municipal de Castro Marim, Filomena Sintra.

O local escolhido foi o emblemático Convento Espírito Santo, um local que diz muito a José Mendes Bota, figura maior do PSD a nível regional e nacional, que tomou posse como presidente da Mesa da Assembleia de Secção, destacando na sua intervenção a recuperação do edifício como uma prioridade por si assumida enquanto autarca. “Foi com os executivos do PSD nos anos 80, que se requalificou o antigo Convento do Espírito Santo e a sua área circundante. Tive o prazer de inaugurar a Galeria de Arte que ainda hoje aqui funciona. Tive a honra de trabalhar com uma equipa liderada pela Dra. Isilda Martins a quem o concelho de Loulé muito deve. A Cultura sempre foi para mim uma área prioritária”, assinalou o antigo deputado e diplomata da União Europeia.

Às intervenções de Inês Palma Ramalho e de Cristóvão Norte seguiu-se o discurso de tomada de posse de Cláudio Lima, onde sublinhou como uma das prioridades da concelhia a descentralização das reuniões, “para continuarmos a estar próximo das pessoas e ouvir as suas preocupações”.

O líder reeleito do PSD/Loulé lamentou a incompetência do executivo camarário encabeçado por Vítor Aleixo, pela falta de ideias, de uma visão de futuro ou de desenvolvimento. “Loulé não deu nestes últimos 11 anos o salto qualitativo que os recursos ao dispor iriam permiƟr. Pelo contrário! Em muitas áreas, o concelho regrediu no tempo e não se soube impor no quadro regional e até nacional.”

Para Cláudio Lima, o panorama atual é claro: “o Partido Socialista mergulhou o maior concelho do Algarve num estado vegetativo que apenas é escondido pelos chorudos orçamentos que, ano após ano, têm estado à sua disposição, mas que pela sua inércia e incompetência, e algumas vezes por mera cegueira política, não tem sabido utilizar para melhorar a qualidade de vida das pessoas do concelho.

Por isso, vaticina que a solução é pedir ao eleitorado louletano que volte a confiar no ParƟdo Social Democrata. “Nas eleições autárquicas do próximo ano, em que Vítor Aleixo já não é candidato, e depois desta dúzia de anos desperdiçados pelo PS, com um desgaste e um cansaço impossíveis de esconder, acredito que será o tempo do PSD voltar a governar os desƟnos de um concelho que se quer próspero e atrativo.”

Alicerçado numa eleição que contou com mais 30% de votantes relativamente ao sufrágio de 2022, onde tinha sido eleito pela primeira vez presidente do PSD/Loulé, enfatizou que “é um sinal forte de que os militantes reconhecem o trabalho que fizemos nestes dois anos, que confiam em mim, em nós, e que acima de tudo percebem a importância do momento”. Cláudio Lima terminou defendendo a necessidade de “um partido reconciliado e que aprendeu com os erros do passado”, porque só assim será possível “alcançar bons resultados nas próximas autárquicas de 2025”.

Para a Comissão Política de Secção foram ainda eleitos os vice-presidentes Maria de Deus Domingos e José Leal, André Dias como Tesoureiro, João Carlos Santos na qualidade de Secretário, e os vogais João Paulo Sousa, Bárbara Amaral Correia, Sílvia Martins, Deodato João, Vânia Guerreiro, Vítor Duro, e José Borges. Na Mesa da Assembleia de Secção tomaram posse, para além do presidente José Mendes Bota, Elsa Pires como vicepresidente, João Barragão Dias como Secretário e os membros Cláudia Mendes e Márcio Rodrigues.

PSD Loulé