Loulé | 7º encontro municipal de equipas de vigilância e primeira intervenção no âmbito dos incêndios rurais

0
83
Equipas-Vigilância-Incêndios-1

No passado dia 28 de maio, reuniram-se na Unidade Avançada de Proteção Civil em Vale Maria Dias, freguesia de Salir, as entidades que colaboram para a defesa da floresta contra incêndio no concelho de Loulé, com as valências de vigilância e primeira intervenção.

Numa iniciativa promovida pelo Serviço Municipal de Proteção Civil, Segurança e Florestas de Loulé, este 7º Encontro contou com a presença de cerca 80 elementos em representação dos Bombeiros Municipais de Loulé, Guarda Nacional Republicana, Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, Forças Armadas, Juntas de Freguesia do interior do concelho,  Equipas Municipais de Intervenção Florestal, Sapadores Florestais, Associação de Produtores Florestais da Serra do Caldeirão, assim como os representantes da Quinta da Ombria, VigiQuinta e Associações de Caça do Concelho de Loulé. Estas entidades fizeram-se acompanhar dos respetivos veículos com capacidade de primeira intervenção para a supressão de incêndios rurais, totalizando 22 veículos com kit de primeira intervenção.

A realização deste Encontro tornou-se uma boa prática do Município pois cria sinergias entre as várias entidades que compõem o sistema de gestão integrada de fogos rurais, numa altura chave para a preparação da época mais exigente dos incêndios rurais que se avizinha, reforçando assim o trabalho em rede.

Este evento contou com um momento de palestra, com breves apresentações das entidades intervenientes sobre a problemática dos Incêndios, contextualizando os incêndios rurais no concelho de Loulé, as várias valências que o sistema dispõe, as regras de segurança na supressão dos incêndios rurais, entre outros assuntos pertinentes para a defesa da floresta contra incêndios.

Culminou numa apresentação elaborada pelo Serviço Municipal de Proteção Civil de Tavira e a Federação de Caçadores do Algarve sobre o protocolo realizado com as Associações e Clubes de Caça de Tavira, protocolo esse que consiste na atribuição de uma verba financeira para implementação de sementeiras em zonas rurais, criando assim uma alteração do tipo de vegetação em locais chave, que, em caso de incêndio rural, podem ser utilizadas como janelas de oportunidade para a supressão do mesmo.

O vereador Carlos Carmo procedeu ao encerramento do Encontro, enaltecendo a importância em realizar esta atividade por forma a agilizar os procedimentos e reforçar o trabalho colaborativo entre as entidades que integram o dispositivo.

CM Loulé