Nas Olímpiadas de Inverno

Tempo de Crónicas
Tools
Typography

Como sabemos os Jogos Olímpicos de inverno realizaram-se desta vez na Coreia do Sul. Na cerimónia de abertura, as duas Coreias marcharam à sombra da mesma bandeira com mapa a representar a Península Coreana. Sinais de reunificação, porque sem dúvida é a lógica para a mesma raça, o mesmo povo.

A história das Olímpiadas de inverno começaram em Janeiro de 1924, em Chamonix, nos Alpes franceses. O norte-americano Charles Jewtraw, foi o primeiro medalhado nessa semana Olímpica, por consequênçia a primeira pessoa a ter medalha de ouro nas Olímpiadas de Inverno. Tal como este ano, os atletas da Noruega, foram os que obtiveram maior número de medalhas.

De realçar que desta ida dos atletas russos à Coreia, apesar de problemas, lá arranjaram maneiras para a sua participação. Conseguiram e pela grande sobre a alçada da Bandeira Olímpica. A meu ver foram grandemente premiados, com a proteção das Argolas Olímpicas.

De Inverno assim como os de verão, cada vez mais estes Jogos ilustram a cosmopolita história desportiva, com a participação de tanta juventude que levaram, levam anos a fio a treinarem-se para lá chegar. Com forças e habilidade a exibirem-se, nas modalidades, direi circunferêncialmente penetrante no espaço das Olímpiadas. Como habitualmente este extraordinário evento em Pyeongchang, proporcionou na televisão ao longo de dezasseis dias, horas de espetacular programa sem precedentes.

Quanto a ter algum dia atletas algarvios a representar Portugal nas Olímpiadas de Inverno, penso que não é nada fácil. A não ser descendentes de algarvios, naturalmente de paises de muita neve e gelo, a representarem o país aonde nasceram ou que os viu crescer. Seria bom deveras de aplaudir, seria um orgulho para nós Algarvios (as).

Ireneu Vidal da Fonseca, Massachusetts E.U.A.Jogos Olimpicos

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS