Tempo de Crónicas | Maio Diferente e no Caminho para Melhor...

Tempo de Crónicas
Tools
Typography

Sábado que passou de manhã com hora e meia de sol, desci uns quantos degraus com máquina fotográfica nas mãos para clicar. A preferência, tulipas mas já com tonalidade de Maio, mais claras, no mês passado estiveram com intensa vivacidade mas de tom mais sombrio.

Estas tulipas levaram-me a relembrar o pequeno limoeiro no Algarve. Quem o tivese aqui para de seus limões ter sumo com um pouco de água beber lá por vezes, e ajudar no tempero do salmão semanal - bom é prevenir contra o malvado coronavírus que ninguém quer, e que por essas terras lusas do sul tem causado poucas vítimas.

Tudo indica que no Algarve e Alentejo com muita vitamina D, a pandemia não tem sido devastadora graças ao excelente trabalho de prevenção desenvolvido em Portugal, e naturalmente porque no dizer de entendidos o novo coronavírus não se aguenta no calor. Conclusões veja-se números, no estado do Massachusetts, com perto de 7 milhões de habitantes, e clima diferente e outras circunstâncias vai nos 4.000 por aí acima que já perderam a vida.

Na América toda está nos 70.000, numa população de 330 milhões que tem os Estados Unidos, tem andado melhor que Espanha, França e Itália juntas a rondar 180 milhões de habitantes, e neste início de Maio com muito mais mortalidade.

É de ver que nos países muita gente a viver nalguns lugares, as infeções aumentaram, e parece na maneira como em determinadas áreas têm encarado o problema. Não terão sido muito atenciosos para com o problema. A cultura, a compreensão, o civismo, tudo conta e a dar para futuramente fazer correr muita tinta para livros, estórias e relatos - testar a humanidade.

Até nas compras que por vezes mais vale uma só pessoa, (no meu mundo) em princípio, vou só eu, ou a Maria. Que irão fazer nalguns casos mais que uma pessoa juntas, como tenho visto quanto ao espaço tão precioso nesta altura para manter distânciamento fisíco num supermercado por exemplo. É de evitar andar perto de faladores(as), sem boca nem nariz tapados, que podem ser portadores do vírus sem saberem. Lembro que acidente fatal por conduzir com máscara já aconteceu por cá.

Da foto escolhida para este escrever parece-me ficar de bem, porque é fresca recente, coisa nova que é do que precisamos para dar coragem neste tempo diferente que parece infinito. Mas com as reaberturas por etapas, o trabalho vem no caminho e do regresso à dita normalidade, não podemos esquecer que para confiar na segurança tem de haver prudência.

Ireneu Vidal da Fonseca, Massachusetts, EUA

MaioDiferente

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS