Tempo de Crónicas | Ares de Setembro e Tanto Mais!..

Tempo de Crónicas
Tools
Typography

Bem perto da Fallseason as temperaturas por aqui estão mais confortáveis, ao que parece assim continuaram por mais meia dúzia de dias segundo previsões meteorológicas desta terça-feira 8 de Setembro. De certo que na praia chapéus menos a cobrir a cabeça para se proteger do abrasar do tórrido calor do verão.

Em termos de floricultura a tendência para valorizar girassóis quando está mais fresco è maior. Tanto que no meu entender demasiado calor e húmido trasmite outra variante já que o astro rei tem nome a condizer com a flor.

A foto junto a esta crónica, foi escolhida de entre muitas de uma abordagem fotográfica feita em fins do mês passado depois duma manhã com ares de pouco calorenta, após longa caminhada matinal. Rotina que pratico quando há tempo. Normalmente mais de uma hora depois do dito pequeno almoço. Cereal e frutos naturais. Quase todos dias a ementa segue-se com o pão saido da torradeira, untado com manteiga omega 3, e o blackcoffee puro nunca falta reanima alivia-me.

Por aliviado, eu não fico quando vejo nas notícias de Portugal alertando para os riscos de incêndio. Com o tempo seco e tanto mais não se esqueçam do inferno califórniano. E do Algarve nada animador. Ainda que visto nos ecrãns a tal ponto que a quantidade de água pouco se vê nos horizontes das barragens.

Setembro mês de balanço, e o deste ano vai sendo o que é com o coronavírus ainda a incomodar. Quem se sente verdadeiramente responsável respeita a sociedade em que vive, procura não ser parte do problema. Olhemos pelas regras em vigor. Tanto que nalguns locais de trabalho por vezes não deve ser fácil. Desse lado sinto-me à vontade não estou no ativo.

Mês de balanço e porque vamos deixar o verão, entra-se no outono pelo menos no calendário. Faltam-nos pouco mais de cem dias para o fim  deste ano de longos doze meses que ficaram na história, e com televisões que engrandecem, renovam formato dão-lhe toque de mudança, o telespectador fica grato por isso.

Considero que lá por haver uma pandemia ou se não houvesse aprendeu-se ontem para viver hoje, não deixaremos de ser o que somos, humanos que acertam e cometem erros, no girar da vida digamos assim. Tendo esperança como sempre, e já que estamos em ares de Setembro nos reforcem a ideia de que quando passamos um mau bocado, depois de acabado, lá vem outra alegria, valorizamos tudo mais.

Ireneu Vidal da Fonseca, Massachusetts EUATempoCronicas

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS