Dos Tempos, e pelas grandes Tradições do último trimestre do Ano

Tempo de Crónicas
Tools
Typography

O estado do tempo reflete-se nas tonalidades, pelo escuro ou pintado desta época que agora vivemos por cá. Claro que depende imensamente do momento hora e dia. As previsões meteorológicas a prever chuva nestes dias, e muito vento, caindo folhagem o topo do Outono previsto por cá nestes dias, risca-se a não ser tão perfeito como poderia ser.

Mas no passado domingo de manhã, depois do cereal com almond milk e fruta, lá tomei o meu habitual café preto que desde há meses é bebido sem nada que adoçe. Meti-me a caminho, não a pé, optei pelo pequeno truck. A manhã estava calma, a ideia o objetivo principal foi para ter desta inspiradora época que temos aqui, e somente a poucos quilómetros de onde habito, algumas imagens digitais que me pudessem satisfazer. Consegui, e de seguida apeteceu-me ouvir Zarzuelas, a música clássica bastante interpretada pelos nossos Irmanos Ibéricos.

Pronto, agora enveredamos também pelas grandes tradições do último trimestre do ano. Oxalá que para a próxima o Halloween no seu dia, 31 deste mês de Outubro, faça bom tempo pelo menos nas primeiras horas da noite, sobretudo para as crianças a vibrarem de contentamento envergando suas vestes, make-ups virão de porta em porta, para dar-mos guloseimas. Cá da casa levam mini-chocolates que nos parecem mais benéficos para a saúde. Lembro que já em 2008, aí na Falfosa, um grupo visitou-nos. Portanto convencido estou que o Halloween de há muito tempo não é coisa nova no Algarve, e como por estes lados, serve para dar asas a refúgios de entretenimento nas caricaturas.

Depois do Halloween, é tempo de pensar no Thanksgivingday, considerado como grande tradição de família, este ano celebrado a 23 de Novembro. Parecido com o Natal em termos de viagens pela América, para reencontro famíliar, sentarem-se à mesa, comer peru, o prato favorito da tradição.

Nessa altura, tão próximo de Dezembro, o ambiente de Natal vigora com entusiasmo. Muitos emigrantes anseiam celebrar em Portugal, no Algarve para os algarvios festejar a tão universal tradição natalícia. Pensando assim e com decadas sem passar por esse momento, o que já é muito tempo assim como entrar em Novo Ano, será mesmo desta, e se formos a ver encontramos muito quem goste disso, na emigração.

Ireneu Vidal da Fonseca, Massachusetts E.U.A.Tempo Cronicas

 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS