Badminton | Portugal às portas do Pódio no Grupo de Qualificação Para o Europeu de Equipas Mistas

Desporto
Typography

O CAR Badminton, em Caldas da Rainha, foi palco, de 9 a 12 de dezembro, do Grupo 6 de Qualificação para o Campeonato Europeu de Equipas Mistas a disputar-se no próximo mês de fevereiro na Finlândia. Além da Seleção Nacional, integraram este grupo as Seleções de Escócia, Espanha, Letónia e Ucrânia. As cinco equipas defrontaram-se ao longo dos quatro dias de competição com o vencedor do grupo a garantir a presença na fase final do Europeu. Um evento interdito a público e que respeitou todas as regras de segurança sanitárias implementadas no contexto pandémico atual, entre as quais se destacam a obrigatoriedade de todos os participantes no certame apresentarem teste COVID negativo e de seguirem todas as estipulações de isolamento definidas pela Federação Portuguesa de Badminton em articulação com a Badminton Europe e as autoridades locais.

Portugal partia para o evento com o objetivo de tentar, pelo menos, repetir o terceiro lugar conseguido na qualificação de 2018 (num grupo de quatro equipas). Para o efeito a equipa técnica liderada por Jorge Cação, Fernando Silva e Diogo Silva convocaram os atletas Adriana Gonçalves, Ana Fernandes, Catarina Martins, Mariana Chang, Mariana Neves, Sónia Gonçalves, Bernardo Atilano, Bruno Carvalho, Daniel Mendes, Duarte Anjo, Gabriel Rodrigues e Tomás Nero. Esperavam-se encontros de alto grau de dificuldade e tal veio a confirmar-se.

Na primeira jornada, Portugal derrotou a Letónia por 5-0. Uma exibição séria e competente da Seleção Nacional que não permitiu veleidades à equipa letã e garantiu uma entrada forte na competição. Os singulares Bernardo Atilano e Sónia Gonçalves e os pares Bruno Carvalho/Tomás Nero, Adriana Gonçalves/Sónia Gonçalves e Bernardo Atilano/Mariana Chang, todos eles campeões nacionais das respetivas provas no fim-de-semana anterior, venceram tranquilamente não perdendo qualquer set no encontro.

A Escócia foi a adversária que se seguiu para as cores portuguesas. A equipa escocesa revelouse demasiado forte para a turma nacional mostrando estar um nível acima nas provas de pares e com um singular feminino classificado em 27º lugar do ranking mundial que também confirmou o seu poderio. Bernardo Atilano viria a conseguir que Portugal pontuasse para o marcador do encontro ao vencer o seu singular terminando o encontro com uma derrota de Portugal por 4-1.

O terceiro encontro de Portugal foi um duelo com o país vizinho, Espanha. Antevia-se um encontro complicado mas com fortes possibilidades de equilíbrio em várias das partidas e tal prognóstico veio a verificar-se apesar do resultado final de 4-1 favorável a Espanha. Duarte Anjo e Adriana Gonçalves não conseguiram converter em vitórias duas prestações em singulares com bons momentos exibicionais. A partida mais disputada e equilibrada de todo o encontro esteve a cargo do par masculino de Bruno Carvalho e Tomás Nero que num jogo repleto de emoções e de trocas constantes no marcador acabariam derrotados no terceiro set depois de 55 minutos em campo. O ponto português foi conquistado pelo par misto de Bernardo Atilano e Mariana Chang que derrotaram os adversários espanhóis numa partida sem sobressaltos.

A última jornada colocou Portugal frente a frente com a sua congénere ucraniana num jogo que decidia o terceiro posto do grupo de qualificação. Portugal partiu para este encontro sabendo do ligeiro favoritismo dos adversários, mas determinado a vencê-los. A equipa técnica portuguesa terminou como começou e escolheu os mesmos titulares que defrontaram a Letónia na jornada inaugural. Sónia Gonçalves, apesar de todo o seu esforço, não conseguiu a vitória no singular senhora. Bernardo Atilano entrou em campo sabendo da importância de uma vitória sua para as ambições nacionais e não desapontou ao ganhar o seu jogo de singulares depois de estar em campo três sets e mais de uma hora. As irmãs Gonçalves partiram embaladas para o jogo de pares femininos apresentando-se a alto nível durante dois sets mas acabariam por ceder e ser derrotadas no terceiro set. Seguiu-se a partida de par homem que se saldou em novo jogo decidido apenas no terceiro set. Bruno Carvalho e Tomás Nero, aguentaram a pressão dos seus adversários e mantiveram Portugal na luta pela vitória no encontro ao ganharem este jogo após uma exibição de grande qualidade. Tudo se decidia no jogo de par misto. Bernardo Atilano e Mariana Chang tudo fizeram e tentaram para conseguir a vitória para Portugal e, apesar da sua boa prestação, os oponentes ucranianos foram mais fortes e com uma grande exibição selaram a vitória final para a Ucrânia por 3-2.

Na última ronda do grupo de qualificação, Espanha e Escócia, invictas até esta fase, defrontaram-se para decidir o apurado para a fase final do Campeonato da Europa. Apesar de «nuestros hermanos» serem os primeiros cabeças de série deste grupo, a equipa escocesa foi impressionando ao longo da semana pela sua competência e qualidade e partia com mais possibilidades para o encontro final. Sem surpresas a Escócia ganhou a partida de par misto mas viria a perder o singular senhora após a sua representante se ter retirado no início do segundo set devido a lesão. O singular masculino espanhol rapidamente colocou a sua seleção na frente por 2-1 encostando os congéneres escoceses às cordas. Foi então que, no melhor jogo do torneio, a Escócia venceu a partida de pares senhoras, num drama de uma hora e onze minutos, decidido apenas num 23-21 no terceiro set. No último jogo, o par homem escocês confirmou o seu favoritismo ao ganhar com facilidade e carimbando o bilhete da Escócia para a Finlândia no próximo mês de Fevereiro.

Mais uma vez, a organização da FPB demonstrou a competência habitual promovendo um evento de excelência para todos os envolvidos. Portugal classificou-se no quarto posto e deu bons sinais nos duelos com os oponentes que viriam a classificar-se à sua frente. Num evento sem público é de destacar o espírito de equipa e o forte apoio na bancada dado por todos os elementos da seleção nacional, transmitindo toda a energia e ânimo necessários aos seus representantes em campo, e ainda por todos os que acompanharam a transmissão online dos encontros de Portugal. A força do badminton português está bem viva e a seleção nacional deixou uma boa imagem do seu valor.

Este foi o último compromisso internacional de Portugal em 2020. No próximo fim-de-semana realiza-se a última competição nacional da época, o Campeonato Nacional de Não Seniores, encerrando uma temporada que já leva um ano e seis meses de duração. O fim aproxima-se, mas um novo ano e uma nova época estão à porta, com algumas novidades e o desejo de que todos possamos retomar alguma normalidade e praticar a modalidade que nos apaixona com a liberdade a que nos habituámos.

FPBBadminton1

 

 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS