Grupo Águas de Portugal será Energéticamente Auto Sustentável com energia 100% renovável

Nacionais
Tools
Typography

O Grupo AdP – Águas de Portugal apresentou ontem o seu Programa de Neutralidade Energética ZERO, numa sessão que contou com a participação do Ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, da Secretária de Estado do Ambiente, Inês dos Santos Costa, e do Secretário de Estado Adjunto e da Energia, João Galamba.

O Programa ZERO prevê que o Grupo AdP atinja a neutralidade energética no prazo de 10 anos, assente numa estratégia continuada de redução de consumos e de aumento da produção própria de energia 100% renovável. Este projeto permitirá ainda que se posicione como o primeiro grupo de dimensão internacional a atingir a neutralidade energética em todas as suas atividades nacionais e internacionais a nível mundial.

O Grupo AdP é o maior consumidor público de energia elétrica em Portugal, com consumos da rede superiores a 725,1 GWh/ano em 2019, mais de 1,4% do consumo de energia elétrica no País. Com um investimento total de cerca de 370 milhões de euros, é expectável que este Programa neutralize o equivalente a 746 GWh – o correspondente ao consumo energético estimado para 2030 - representando uma neutralidade energética de 105,3% e uma neutralidade carbónica equivalente.

O Programa envolve ainda a neutralidade resultante do consumo de combustíveis – 765 GWh -, sendo a neutralidade energética obtida de 102,4%.

A nível ambiental salienta-se que, em 2030, o Programa de Neutralidade permitirá eliminar cerca de 205 ton/ano de emissões de CO2, representando uma poupança, para Portugal, de cerca de 5,3 milhões de euros por ano (a preços atuais).

O Programa ZERO envolve todas as empresas do Grupo AdP, incluindo as atividades desenvolvidas a nível internacional, integrando o aumento da produção própria de energia 100% renovável e contribuindo em 80% para a sua neutralidade energética.

Este Programa surge na sequência do projeto EPAL 0% que permitirá atingir a neutralidade energética e de emissões no ano 2025,o que será conseguido através de construção de centrais de produção de energia hidroelétrica nas suas condutas de água, eólica e fotovoltaica, tendo-se já adjudicado a construção da primeira central hidroelétrica para aproveitar a energia gerada pela água tratada na ETA da Asseiceira, tornando a maior ETA do país 100% autossustentável em energia.

Energia 100% renovável

O Programa ZERO prevê uma produção de cerca de 708 GWh/ano com recurso aos recursos endógenos disponíveis nas instalações das empresas do Grupo, designadamente com origem no biogás, eólica, hídrica e solar fotovoltaico, incluindo solar flutuante, a saber:

  • No que respeita ao biogás, está previsto um crescimento de 48,3 GWh/ano (+ 163,2% face a 2019);
  • Irá iniciar-se a produção de energia de fonte eólica, com a instalação de 48 torres eólicas, estimando-se uma produção de 115,9 GWh/ano;
  • O aumento da produção de energia hídrica será obtido através da instalação de 38 hídricas com uma potência total de 6,9 MW, estimando uma produção de 45,0 GWh/ano (face aos 90,5 MWh produzidos em 2018);
  • No solar fotovoltaico, é previsto um crescimento exponencial na produção (de 4,1 GWh para cerca de 478 GWh) com a instalação de centrais que produzirão um valor médio de 353 GWh/ano no primeiro ano de exploração, e a instalação de painéis solares flutuantes em 25 albufeiras, produzindo um valor médio de 125 GWh/ano. A produção de energia a partir do solar representará 70% do aumento da produção total de energia prevista no Programa ZERO.

Medidas de eficiência energética

Como medidas de eficiência energética, é objetivo do Grupo reduzir 35,6 GWh/ano nas atividades de abastecimento de água (tratamento e bombagem de água para consumo humano), correspondendo a uma redução de 8,5% dos consumos atuais. No saneamento de águas residuais a poupança estimada é superior a 13%, num valor próximo dos 37,8 GWh/ano. O investimento estimado para as ações de eficiência energética ronda os 39,6 milhões de euros, devendo estar concluído até ao final de 2024.

A atividade de abastecimento de água consome cerca de 60% do consumo total de energia do Grupo AdP – 410,3 GWh/ano no ano de 2018 -, enquanto o saneamento de águas residuais, com uma fatia de 40%, consumiu, no ano de 2018, cerca de 284,0 GWh/ano.

O Programa ZERO contempla ainda ações no domínio das perdas de água e das afluências indevidas, que deverão ser desenvolvidas pelas entidades gestoras dos sistemas municipais, isolada ou conjuntamente com as empresas do Grupo AdP.

Contemplando as ações da responsabilidade das entidades gestoras dos sistemas municipais, o investimento total do Programa ZERO ascenderá a 480 milhões de euros, com uma neutralidade equivalente – redução de consumos de energia, compensação do consumo combustíveis e produção própria de energia 100% renovável - de 117,1%.

Sobre o Grupo AdP – Águas de Portugal

O Grupo AdP – Águas de Portugal é o principal grupo empresarial português com atividade nos domínios do abastecimento de água e do saneamento de águas residuais.

Com capitais integralmente públicos, é o maior grupo empresarial português na área do ambiente, tendo por missão prestar serviços essenciais de abastecimento de água e de saneamento com impactos positivos de grande relevância na saúde pública, na qualidade do ambiente, na coesão territorial e no desenvolvimento económico e social. 

Em Portugal continental, através de 13 empresas com operação regional, presta serviços a cerca de 80% da população, atuando em todas as fases do ciclo urbano da água, desde a captação, o tratamento, o transporte e distribuição de água para consumo público, à recolha, transporte, tratamento e rejeição de águas usadas, urbanas e industriais, incluindo a sua reciclagem e reutilização, e também na produção de energia através do aproveitamento dos recursos endógenos.

Internacionalmente, associando-se a parceiros locais e a empresas portuguesas do setor, o Grupo Águas de Portugal participa em projetos em diferentes geografias, nomeadamente em países da lusofonia, como é o caso de Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, onde atua como um parceiro de referência no setor da água e do saneamento sendo reconhecido como um parceiro estratégico relevante para a implementação de projetos que visam a melhoria destes serviços e também no âmbito da implementação de iniciativas de cooperação para o desenvolvimento, em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030.

NextPower AguasPortugal

 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS