Pordata faz o Retrato de Portugal na Europa

Nacionais
Typography

Para assinalar o Dia Europeu das Estatísticas (20 de Outubro de 2017), a Pordata, a base de dados estatísticos da Fundação Francisco Manuel dos Santos, acaba de editar o novo “Retrato de Portugal na Europa”.

Propondo uma leitura evolutiva e comparada entre Portugal e os países membros da União Europeia, o Retrato apresenta um resumo de indicadores sobre 11 áreas da sociedade:

População; Rendimento e condições de vida, Educação; Saúde; Emprego e mercado de trabalho; Proteção social; Macroeconomia; Ciência e tecnologia; Ambiente, energia e território; Turismo e Transportes.

«Ao fornecer uma visão panorâmica sobre o Portugal de hoje no contexto da União Europeia, o Retrato de Portugal na Europa convida a conhecer melhor o país em que vivemos, para lá das nossas percepções ou opiniões infundamentadas que muitas vezes damos por certas.» refere a Directora da PORDATA, Maria João Valente Rosa.

O que sabemos realmente sobre a Europa? Que países valem mais na União Europeia em Residentes, em Superfície, em emissões de gases com efeito de estufa ou despesas por viagens de turismo? Que países lideram na esperança de vida à nascença, escolarização ou produtividade laboral? Como se compara Portugal com os países da União Europeia nestas diversas áreas? Em que áreas nos distinguimos? Estas são algumas perguntas que o Retrato de Portugal na Europa permite esclarecer.

«O retrato também permite desfazer alguns mitos ou ideias feitas que temos sobre Portugal no contexto europeu, através dos factos que os desmentem. Por exemplo, “Portugal é um país pequeno na Europa de 28 países” – em população é o 12º país mais populoso e em superfície é o 13º com maior área – “Portugal é um país com os preços mais baixos em tudo” – olhando para os preços da electricidade para as famílias, nivelando as diferenças de preços entre países, Portugal ocupa o 1º lugar por ter os valores mais altos – “os trabalhadores em Portugal trabalham pouco” – o número médio de horas de trabalho semanal é muito superior ao da média da UE ou a países como a Alemanha, Holanda ou Dinamarca, contudo em termos de produtividade odesempenho é muito inferior à UE ou ao dos países referidos – “Estudar não compensa em Portugal” - Portugal é o 6º país com maior diferença de rendimentos anuais entre quem tem o ensino superior e quem tem, no máximo, o 3º ciclo - etc.», conclui.

O Retrato de Portugal na Europa pode ser descarregado em http://www.pordata.pt/EuropaRetrato Port EuropaFonte: JLM&A

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS