Odiana promoveu iniciativa que Esbateu Fronteiras e Apontou Soluções Conjuntas

Regionais
Tools
Typography

Unidos por um rio mas não só. Rotas transfronteirças que experienciam a gastronomia/enoturismo, o binómio património/cultura, a Natureza e o Turismo Ativo, e a Água como um bem e meio turístico, são os produtos-chave cuja viabilidade permite esbater as fronteiras e unir as margens de uma região vizinha e irmã.

Decorreu hoje, dia 13 de Novembro, no Castro Marim Golfe & Country Club, um «Encontro Empresarial Transfronteiriço» que não só informou sobre as condições que a fronteira oferece, como providenciou ferramentas para exponenciar a raia transfronteiriça luso espanhola, seja em matéria de empregabilidade e mobilidade, como em matéria de potenciação e desenvolvimento turístico.

“A organização da Odiana de uma manhã dedicada aos temas transfronteiriços é espelho do trabalho desenvolvido nos vários projetos de cooperaçao, mas também da importância que esta tem para o território do Baixo Guadiana. Foi neste contexto que a Odiana afirma a sua posição de promoção e desenvolvimento do Baixo Guadiana e dos seus Municípios «UNIDOS POR UM RIO», explica Sílvia Madeira, Diretora da Odiana.

A abertura do evento a cargo da Presidente da Odiana, Conceição Cabrita, da Vice-Presidente do Município de Castro Marim, Filomena Sintra, a Consejala de Cooperação Transfronteiriça de Ayamonte, Remédios Sánchez, da Delegada Regional do IEFP, Madalena Feu e de Alicia Jariego, Servicio Andaluz de Empleo.

A primeira parte desta iniciativa, com o selo do projeto EURES Transfronteiriço, falou de temáticas como a mobilidade e o recrutamento além-fronteiras abordadas pelo IEFP e Servicio Andaluz de Empleo. Este serviço promove a mobilidade através da remoção de obstáculos aos trabalhadores/ empregadores fronteiriços. O Município de Tavira abordou ainda o empreendedorismo e as oportunidades no mercado de trabalho além-fronteiras.

O primeiro painel da manhã fechou com André Rodrigues, Consultor de Recursos Humanos da Timing uma empresa ibérica jovem (2015) de recrutamento temporário, sendo a única que dispõe de escritório no sotavento algarvio (Tavira). O consultor evidenciou que a área agrícola, nomeadamente na produção de framboesas, foi a que teve maior recrutamento de trabalhadores Tendo em conta a sazonalidade, a aposta da Timing consiste na mobilidade de trabalhadores entre Portugal e Espanha. Teceu elogios aos trabalhadores portugueses apelidando-os como «únicos» na União Europeia, sendo que são os que mais valências apresentam ao nível dos idiomas, maior versatilidade laboral e flexibilidade horária.

A segunda parte do evento abriu com a apresentação dos resultados do projeto DESTINO FRONTEIRA, com Sílvia Madeira, Diretora da Odiana enumerando um conjunto de resultados provenientes de entrevistas a empresários de ambas as margens do Guadiana, realizadas no âmbito do Plano de Ação Estratégico do projeto. Os pontos fracos continuam a ser a: sazonalidade, fuso horário, circulação de bicicleta entre os países repleta de obstáculos, alojamentos locais isolados, ausência de promoção e desconhecimento recíproco do território (Portugal-Espanha). Os pontos fortes são efetivamente: a Potencialidade da Eurocidade; e a Viabilidade de rotas transfronteiriças várias: Autocaravanas; Enoturismo; Cultural e Gastronómica; Ciclismo; Desenvolvimento do Rio Guadiana a nível turístico. Foi também apresentada uma banda desenhada e Guia de Fronteira concebidos como ferramenta de promoção da raia ibérica.

Ana Ladeiras protagonizou a apresentação sobre a «Promoção do Efeito Fronteira para a potenciação do Turismo». Como casos de sucesso reais estão exemplos de Gastronomia e Enoturismo. No turismo ativo o nicho turístico do birdwatching começa a ganhar cada vez maior expressão, mas é nos «Caminhos de Santiago» que o turismo de fronteira ganha dimensão com mais de 80 mil caminhantes a iniciar marcha em Portugal. Uma das mais fortes fragilidades reconhecida é o facto da raia transfronteirça estar geograficamente fora dos centros de decisão. Entre as temáticas com mais viabilidade a desenvolver conjuntamente são: Natureza Ativa, Agua Ativa, Bird Watching, Fronteira Histórica e Artística, Rotas do contrabando, Enoturismo. No final, a especialista em turismo lançou o repto com que inicou a apresentação: DESAFIO: construir marca e produto sem perder a identidade.

A encerrar os trabalhos esteve a equipa da AECT Eurocidade do Guadiana com o Diretor Executivo, Luís Romão e Oo Diretor Técnico, Fran Muñoz, que apresentaram o Projeto  EuroGuadiana 2020.

A sublinhar que a primeira parte deste evento foi realizada no âmbito do projeto EURES Transfronteiriço Andaluzia Algarve, liderado pelo Servicio Andaluz de Empleo e pela Delegação Regional do Algarve do Instituto do Emprego e Formação Profissional I.P., e do qual a Odiana é parceira, cofinanciado pelo Programa para o Emprego e a Inovação Social (EaSI) da União Europeia. A segunda parte da iniciativa, focada no Turismo de Fronteira, inseriu-se no projeto DESTINO FRONTEIRA, aprovado no âmbito da Primeira Convocatória do Programa Interreg V-A Espanha- Portugal (POCTEP) 2014-2020, cofinanciado pelo FEDER.

OBS: Na sequência deste encontro a Odiana gostaria de  recolher dados sobre a realidade do recrutamento transfronteiriço e aspetos a melhorar e para isso está a recolher informaçãoes através do preenchimento do seguinte questionário simples e rápido. Se não esteve presente e não teve a oportunidade de preencher o questionário, pode fazê-lo neste link: https://forms.gle/9mP3quoN44qf6mDU6

Contribua! Gostaríamos de saber a sua opinião!

Fonte: OdianaOdianaDestinoFronteira1OdianaDestinoFronteira2

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS