Vinhos Portugueses afirmam-se cada vez mais lá fora.

Regionais
Typography

No Fórum Anual dos Vinhos de Portugal, organizado pela ViniPortugal, foram apresentados os mais recentes dados estatísticos e estudos sobre a prestação dos vinhos portugueses no plano nacional e internacional, sendo as perspetivas bastante animadores para os agentes económicos ligados ao setor do vinho.

No caso do Algarve o destaque vai para o crescimento da produção em 50% face à campanha anterior.

Realizado no emblemático Hotel Curia Palace, ícone da hotelaria portuguesa dos anos 20, o Fórum Anual dos Vinhos Portugueses, reuniu mais de três centenas de pessoas ligadas ao setor, nomeadamente a vertente institucional e interprofissional com a presença dos principais organismos e Comissões Vitivinícolas das regiões portuguesas.

A CVA – Comissão Vitivinícola do Algarve, esteve presente no evento e atenta aos números apresentados, ressaltando desde logo um deles que foi a confirmação do crescimento face à produção de vinho do ano anterior que ultrapassou largamente as previsões iniciais de 20%, para se fixar nuns impressionantes 50%, tornando-se na região vitivinícola que mais cresceu a nível nacional, com destaque também para as boas prestações das regiões do Minho, Dão e Beira Atlântico.
Este crescimento dá excelentes perspetivas para a continuação da afirmação dos Vinhos do Algarve, sobretudo quando se conjugam com os dados nacionais apresentados que registam uma subida de 4% em volume (litros) e de 6,5% em valor (euros) face ao período homólogo de 2016. Já no plano internacional o crescimento é mais favorável, registando-se um crescimento de 5,7% em volume e de 8,5% em valor.

Alguns destes números são usados na definição do Plano sectorial de Marketing e Promoção para 2018, cujas linhas gerais foram apresentadas no encerramento do Fórum, e que definem estratégias e linhas de ação para a promoção dos Vinhos Portugueses em mercados considerados emergentes ou com taxas de crescimento muito relevantes caso do Canadá, EUA e China, destacando-se estes últimos dois pela evolução positiva, no período de 2012 a 2016, de 27% e 74%, respetivamente.

No caso do Algarve o benefício da afirmação da marca Vinhos de Portugal lá fora, traduz-se pela ligação da região ao vinhos nacionais, não esquecendo que sendo um destino turístico de eleição, somos desde logo uma das portas de entrada privilegiada de visitantes, que tendo acesso às feiras e ações de promoção dos vinhos portugueses nos seus países, terão desde logo curiosidade de os experimentar in loco na região e neste caso nada melhor do que degustar um vinho algarvio aliado à gastronomia ímpar da região.

Outro aspeto importante que se retira da análise dos números apresentados, é a prestação portuguesa nos diferentes países importadores, destacando-se o ressurgimento do mercado angolano, que tanto tinha decaído em 2016, e que como consequência apresenta agora um crescimento de 102%, a que se junta uma boa prestação do Brasil, com uns também expressivos 55% de crescimento, igualmente face ao período homólogo de 2016.

Os dados estatísticos apresentados merecem também ser analisados à luz do mercado europeu. De uma forma geral os principais países da Europa consumidores de vinho, apresentam uma estagnação ou diminuição do consumo, porém o vinho português consegue dar a volta por cima em dois mercados emblemáticos, por estarem entre os 5 principais importadores mundiais de vinho, e que no caso são o Reino Unido e a Alemanha, apresentando no caso germânico um saldo muito positivo, pois enquanto este mercado, em termos globais, desce ligeiramente em 2016, Portugal regista um impressionante aumento de 20% de 2016 para 2017.ForumVinho CVA1ForumVinho CVA3ForumVinho CVA4Fonte: CVA

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS