Balanço reclamações DECO 2017

DECO - Consultório do Consumidor
Tools
Typography

Há mais de uma década que o setor das telecomunicações complica a vida dos portugueses. 405 mil consumidores portugueses recorreram à DECO para procurar informação e apoio para a resolução dos seus conflitos.
80% dos consumidores que recorreram aos serviços da DECO conseguiram ver o seu conflito resolvido. Dentro dos contactos de 405.000 consumidores, no âmbito dos processos de mediação, as reclamações em que se verificava a cobrança ilegítima de valores, com a intervenção da DECO, os consumidores conseguiram não pagar 1 milhão e 25 mil euros.

Telecomunicações • 42.339 » Compra e venda • 26.194 » Energia e água • 21.670 » Serviços Financeiros • 20.756

Relativamente aos setores mais reclamados, destacamos os principais problemas:

TELECOMUNICAÇÕES
O aumento ilegal dos preços, a oferta de serviços não solicitados são um claro desrespeito dos interesses e direitos dos consumidores. A oferta de serviços não solicitados, e pagos pelo consumidor, além de ser uma prática comercial desleal, representa mais um exemplo da postura das operadoras.

COMPRA E VENDA
A falta de entrega ou atraso dos produtos, a recusa de cancelamento da compra dentro do período de reflexão e a ausência de reembolso nas vendas pela internet continuam a ser muito reclamadas pelos consumidores.

ENERGIA E ÁGUA
Falta de envio de faturação, dupla faturação, cobrança de consumos prescritos e os problemas decorrentes da mudança de comercializador e das vendas porta a porta configuram as práticas reiteradas das empresas.

SERVIÇOS FINANCEIROS
O crédito e os seguros associados ao crédito continuam a motivar denúncias dos consumidores. As comissões bancárias, cada vez em maior número e de valores mais elevados, levaram a DECO a reiterar a reivindicação de se eliminarem as comissões sem serviço.

Em 2017 os portugueses reclamaram mais de transportes
Os transportes públicos coletivos duplicaram o número de reclamações recebidas pela DECO. Cerca 3 mil Portugueses denunciaram, inclusivamente na nossa plataforma queixasdostransportes.pt, os atrasos, cancelamentos, supressão e alteração de percursos e horários dos transportes em todo o País.
No transporte aéreo, o caso RYANAIR merece especial referência. Em Setembro, milhares de passageiros viram o seu voo cancelado. A DECO, representando os consumidores junto desta operadora, conseguiu que recebessem a devida indemnização, num total de 35 mil euros.Transportes DECOFonte: DECO-Delegação Regional Algarve