DECO Algarve continua preocupada com o setor dos transportes públicos coletivos

DECO - Consultório do Consumidor
Tools
Typography

Nova Ação: “A Paragem da vizinha é melhor que a minha!” é a ação da DECO Algarve que pretende manter acesa a discussão pública sobre a problemática dos transportes públicos coletivos, mobilizando desta vez os consumidores a denunciar o estado em que se encontram as paragens e estações da região. Todas as denúncias recebidas serão remetidas às autoridades competentes.

As plataformas de embarque e desembarque constituem um elemento essencial da rede de transportes, já que é a partir delas que os seus utilizadores têm acesso ao sistema, mas a verdade é que frequentemente assistimos à sua degradação. Abrigos de passageiros - paragens, estações e apeadeiros - totalmente expostos a condições atmosféricas adversas, sem assentos ou iluminação, sujos e desprovidos de informação sobre o serviço são apenas alguns exemplos daquilo que podemos encontrar Algarve fora. E, espantosamente, estas situações são enfrentadas pelos passageiros não apenas em abrigos com estruturas antigas, mas também naqueles recentemente construídos e/ou em zonas de grande afluência.

Urge olhar o espaço público e exigir mais e melhores condições para quem aguarda pela chegada dos transportes públicos. A função principal dos abrigos é garantir a proteção, a comodidade e a segurança dos passageiros, e a promoção da sua conservação constitui uma obrigação legal. Não é admissível que os mesmos continuem a ser vistos sobretudo como suportes publicitários. Por outro lado, na conceção destes espaços devem ser asseguradas a modernização e a adequação dos equipamentos às atuais exigências e contextos de mobilidade.

O projeto da DECO Algarve visa assim alertar para a necessidade de reabilitar a rede de infraestruturas de apoio aos transportes públicos coletivos na região, pelo que apelamos à participação dos consumidores - que poderão apresentar as suas queixas e sugestões na plataforma www.queixasdostranspotes.pt -, para que melhor possamos reivindicar as necessárias melhorias junto das entidades competentes.

Fonte: GPI-DECO AlgarveParagemAutocarro