“Viajar de avião com medicamentos”

DECO - Consultório do Consumidor
Tools
Typography


A DECO INFORMA…

Se vai viajar e precisa de transportar medicamentos na mala de mão deverá estar atento às regras já que, se não as seguir à risca, pode ser obrigado a deixá-los no aeroporto ou a entregar a bagagem para seguir no porão.

A generalidade dos líquidos, incluindo medicamentos, como xaropes, deve ser transportada em frascos ou tubos com capacidade até 100 mililitros.

Estas embalagens têm de seguir dentro de um saco de plástico transparente que possa ser aberto, para que as autoridades verifiquem o conteúdo. No total, cada passageiro só poderá transportar até um litro de líquidos.

Quanto aos medicamentos sólidos, como comprimidos ou cápsulas, não existem restrições. Se precisar, no entanto, de transportar mais de 100 ml de fármacos líquidos ou aerossóis (em qualquer quantidade), terá de fazer-se acompanhar pela receita médica ou a respectiva cópia.

Caso tenha deixado a prescrição na farmácia, peça ao seu médico uma declaração a indicar que precisa do medicamento. Segundo o Instituto Nacional de Aviação Civil, é recomendável que estes documentos estejam escritos em inglês ou francês, para serem compreendidos mais facilmente, em caso de inspecção no estrangeiro.

Para os medicamentos injectáveis (por exemplo, a insulina), tem, ainda, de pedir autorização ao Instituto Nacional de Aviação Civil para transportar a seringa. Para obtê-la, além dos dados pessoais, terá de fornecer o número e a data do voo, o nome da companhia aérea e o destino.

Quem não respeitar as novas regras pode ver os medicamentos confiscados ou ser obrigado a entregar a bagagem para seguir no porão. Por isso, planeie a sua viagem com cuidado e peça, antes, toda a documentação necessária ao seu médico. É meio caminho andado para uma viagem tranquila.

"DECO – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor”

 

{sharethis}