Banner Alto Página

Evento Interativo dedicado à DPOC aposta na formação dos Médicos de Família

Consultório Médico
Tools
Typography

DPOC Games: evento interativo dedicado à Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica aposta na formação dos Médicos de Família. No passado mês de novembro, dedicado à sensibilização para a Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC), a Menarini Portugal organizou uma formação interativa, com um modelo moderno e digital de jogo de tabuleiro, dirigida preferencialmente aos especialistas de Medicina Geral e Familiar (MGF), com vista a apoiar a formação contínua destes profissionais.

“O médico de família está na linha da frente no diagnóstico e tratamento de qualquer doença, nomeadamente das doenças crónicas” explicou o Dr. Rui Costa, Coordenador do Grupo de Estudos de Doenças Respiratórias (GRESP) da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) e formador da iniciativa. “Por isso, esta classe profissional tem de estar sensibilizada e saber quais são os pontos-chave para identificar um doente com DPOC. No fundo, saber se o nosso doente está ou esteve exposto a fatores de risco, com destaque para o tabaco, e avaliar se tem sintomas respiratórios”, descreveu. Nestes casos, é fundamental que o profissional que acompanha o utente solicite uma espirometria com prova de broncodilatação, o exame mais rigoroso para o diagnóstico de DPOC e, com certeza, “ficarão surpreendidos com muitos casos de DPOC que vão encontrar na sua clínica diária”.

A formação “DPOC Games” decorreu no dia 9 de novembro, em Peniche, e reuniu mais de 40 médicos de família, abordando vários aspetos da DPOC, desde a prevenção, passando pelo diagnóstico, até ao tratamento, onde foram apresentadas diferentes opções terapêuticas para controlo da doença, com respetiva demonstração do dispositivo inalatório. Para além destas vertentes do conhecimento, foi ainda incluída uma componente motivacional e comportamental, com enfoque na relação médico-doente.

“Numa patologia como esta, é fundamental a conjugação entre aquilo que é a criticidade técnica, ou seja, fazer uma abordagem adequada do ponto de vista clínico, ao mesmo tempo que se aplica uma abordagem comunicacional eficaz na relação com o doente”, esclareceu a Dr.ª Eugénia Raimundo, psicóloga e também formadora neste evento. “Faz todo o sentido, por isso, que uma iniciativa desta natureza congregue estas duas vertentes”.

A grande mensagem neste âmbito, segundo a formadora, “é não pensarmos em doente, mas pensarmos em pessoa com DPOC, para termos a noção efetiva que por detrás daquele diagnóstico está uma pessoa. A abordagem médica será tão mais eficaz, no diagnóstico e na prescrição terapêutica, quanto mais enraizada estiver esta perceção, pois permitirá uma abordagem costumizada ao doente”.

A dinâmica do evento pautou-se pela originalidade e inovação, mimetizando um jogo de tabuleiro, em formato digital, com diferentes desafios convencionais (tais como palavras cruzadas, sopa de letras, descubra as diferenças, anagrama, quiz, jogo da “batata quente”) e outros especificamente idealizados para esta iniciativa (roda dos inaladores, casos clínicos, role play, interpretação de espirometria, entre outros). Os desafios foram disputados por diferentes equipas, que competiram por uma posição vencedora no tabuleiro de jogo, com base nos conhecimentos adquiridos e considerando também o fator sorte, presente em qualquer jogo, sempre que o dado era lançado.

“Através dos vários jogos que estão incorporados nesta formação, o processo de aprendizagem torna-se mais dinâmico, atrativo e interativo, com uma envolvência direta por parte dos participantes, o que aumenta seguramente a capacidade de memorização e de assimilação do conhecimento”, considerou o Dr. Rui Costa. Reforçando esta mesma opinião, a Dr.ª Eugénia Raimundo acrescentou que “num contexto lúdico como este, os formandos quebram defesas e ficam muito mais espontâneos na interação”, destacando também o formato de dinâmica de grupo, tendo em conta o “efeito de contágio”, que estimula os vários elementos a estarem focados ao máximo no esforço de equipa. Pela sua originalidade no método de aprendizagem, a psicóloga acredita que “esta formação marcará a diferença” na consolidação de conhecimentos fundamentais para permitir um melhor diagnóstico e tratamento da DPOC em Portugal.

Em 2020, o evento será replicado pela Menarini Portugal em diversos pontos do país, permitindo a participação de um maior número de especialistas de MGF, a par da atualização de conteúdos à medida que novas evidências são publicadas.

Fonte: PR RHPEugeniaRaimRuiCostaDrs

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS