Cinco conselhos que Favorecem a Fertilidade e a Saúde - Semana Europeia da Fertilidade

Consultório Médico
Tools
Typography

Quando um casal decide que está na hora de ter um filho é habitual que possa surgir, pelo menos, um nervoso miudinho. Em muitos casos, quando a espera começa a ser longa instalam-se níveis mais elevados de ansiedade, o que pode contribuir ainda mais para o adiar do sonho da maternidade. Como explica a Dra. Catarina Godinho, médica ginecologista e especialista em Medicina da Reprodução do IVI, “é extremamente importante relaxar e gerir o stress durante o período em que o casal tenta uma gravidez, não só pela saúde do próprio casal, como pela própria relação que deve ainda mais fortalecida nesta altura”.

A infertilidade é mais frequente do que se pensa. Pode afetar cerca de 10 a 15% dos casais e 30% dos casos estarão relacionados com causas femininas, outros 30% com causas masculinas, 20% com causas mistas e outros 20% inexplicados. “Atualmente, graças à ciência, estamos em condições de ajudar a concretizar o sonho da maternidade mesmo quando há patologia. Quando não há uma explicação aparente para a infertilidade a ciência, em combinação com alguns conselhos que passam, por exemplo, pela adoção de um estilo de vida mais saudável, podem favorecer uma gravidez”, afirma a médica.

Na sua opinião, “o estilo de vida que se vive em grandes cidades, com muito stress, alimentação pouco variada e com recurso a fast-food, aliada à falta de atividade física, leva-nos a problemas de excesso de peso e obesidade, o que tem um impacto negativo na fertilidade”. Quando esse stress conduz a quadros de depressão que obrigam à toma de medicação – antidepressivos por exemplo – é mais um fator de risco para quem pretende engravidar. 

Acrescenta que a alimentação e o exercício físico têm um papel muito importante na fertilidade e que há estudos que o comprovam. Ao contrário, o tabaco e álcool prejudicam a fertilidade de homens e mulheres. Outro aspeto fundamental está relacionado com a idade da mulher. “Por razões económicas ou profissionais, as mulheres estão a ser mães mais tarde o que traz consequências para a fertilidade. A quantidade e a qualidade dos ovócitos diminuem a partir dos 35 anos”, alerta a Dra. Catarina Godinho. Em relação aos homens, assistimos também a um aumento dos casos de infertilidade nos últimos anos. A infertilidade masculina representa metade dos casos atendidos atualmente nas clínicas de procriação medicamente assistida. “Alguns estudos realizados em diversos países concluem que as substâncias químicas presentes em pesticidas, os solventes e recipientes de plástico que utilizamos diariamente contribuem para uma qualidade reduzida do sémen e, logo, para casos de infertilidade. O uso de alguns aparelhos como telemóveis ou portáteis/tablets e a utilização frequente de saunas e banheiras aquecidas estão entre os fatores considerados como possíveis causas da queda da qualidade do sémen”, salienta.

Divirta-se! Saia de casa

Tentar engravidar não é sinónimo de repouso. Divirta-se, saia com amigos, sem excessos, claro. Programe também passeios a dois para relaxar e namorar. Marque uma visita a um SPA, sozinha ou para o casal. Cuidar da sua vida social, afetiva e do seu corpo vai ajudar a relaxar e a aliviar alguma pressão que possa estar a sentir em torno da gravidez. Por vezes o casal está tão focado na gravidez e nas mudanças que a maternidade implica que se esquece de outros aspetos da vida que são essenciais para manter o equilíbrio do corpo e da alma.

Respire, medite, pratique exercício

Não deixe que as tensões se acumulem no corpo. De acordo com a médica, “os exercícios de respiração são uma ótima opção, uma vez que obrigam a pessoa a estar focada na respiração e não noutros assuntos que possam estar a perturbar a mente”. A atividade física, que pode ser a caminhada ou a prática de uma modalidade, produz benefícios cardiovasculares, metabólicos, endócrinos e neurológicos. Por outro lado, há estudos que demonstram que o exercício melhora a qualidade dos espermatozoides.

Escolha bons alimentos e controle o peso

Evite os alimentos processados. Dê primazia aos alimentos naturais e faça uma dieta variada com sementes, grãos, legumes, proteínas animais e/ou vegetais e produtos não refinados, ricos em fibras. Os alimentos mais amigos da fertilidade são os que contêm vitaminas e minerais como: ácido fólico (ajuda a prevenir defeitos e malformações no feto), DHA – ácido docosahexaenóico (essencial para a saúde do nosso cérebro, olhos e neurónios, além de revigorar os espermatozoides masculinos e promover o equilíbrio hormonal nas mulheres), Vitaminas B, C, D e E (para o controle hormonal, proteção espermática, desenvolvimento ósseo fetal, entre outros), selénio e cálcio. Uma alimentação variada, rica em produtos naturais evitará o excesso de peso corporal, grande inimigo da fertilidade. A obesidade também leva a um aumento das taxas de aborto e duplica o risco de morbidade fetal. Prepare lanches e refeições ligeiras saudáveis e faça piqueniques. Alie os piqueniques a dias ou tardes ao ar livre.

Partilhe ansiedades e medos

Não guarde os problemas só para si. Partilhe as ansiedades e medos com as pessoas mais próximas. Vai sentir-se mais aliviada e descontraída. É importante ter uma boa rede de suporte e vai acabar por se sentir menos pressionada. Se mesmo assim achar que não está a conseguir gerir as emoções sozinha ou achar que o problema da infertilidade está a prejudicar a vida do casal procure ajuda especializada.

Durma bem

Mantenha um ciclo de sono saudável para carregar baterias. É tão importante quanto a alimentação. Devemos dormir, no mínimo, oito horas por dia. O descanso adequado, com rotinas e horas certas para deitar e levantar vai melhorar a produção de melatonina no nosso corpo, que desempenha um papel importante no desenvolvimento dos folículos ovarianos.

https://ivi.es/ - http://www.rmanj.com/

TRCatarinaGFondoDra

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS