SAL

Saborear com Peso e Medida
Tools
Typography

Em algumas religiões, o sal era considerado como uma bênção e o seu valor era de tal forma reconhecido que chegou mesmo a ser usado como “salário”.

O sal ou sal de cozinha, designado por cloreto de sódio é constituído por dois minerais: o sódio e o cloro. Estes minerais são essenciais ao normal e saudável funcionamento do organismo. No entanto, o seu consumo excessivo implica consequências, e por isso, é necessário fazer um uso controlado deste produto.

A Organização Mundial de Saúde, indica como consumo máximo 5 gramas de sal por dia.
A maior parte do excesso de sal consumido no dia a dia, provém de alimentos pré-preparados comprados fora de casa, isto é, alimentos já cozinhados e prontos a comer, como sopas instantâneas, enchidos, enlatados, caldos de carne, molhos, pizzas, entre outros.

Quando esta quantidade de sal é ultrapassada origina problemas graves de saúde, como o aumento do risco do aparecimento de determinados tipos de cancro, de hipertensão arterial, de doenças cardiovasculares, sobrecarga do funcionamento renal (isto é, um esforço aumentado do rim para excretar o excesso de sódio), maior retenção de líquidos pelo organismo (o que provoca aumento de peso e contribui para o aparecimento de celulite).

Para reduzir o consumo diário de sal, é necessário que a população adote alguns hábitos relativos à sua alimentação, tais como:
- Ler os rótulos dos alimentos, de forma a tomar conhecimento da quantidade de sal presente no alimento,
- Ao ler o rótulo dos alimentos dar atenção a ingredientes como o glutamato monossódico e o bicarbonato de sódio que acrescentam aos alimentos quantidades elevadas de sódio,
- Diminuir gradualmente o sal que se adiciona durante a confeção dos alimentos,
- Não levar o saleiro para a mesa, evitando desta forma, adicionar sal fino aos pratos já cozinhados,
- Substituir o sal usado na confeção dos alimentos por ervas aromáticas, especiarias, vinho ou sumo de limão,
- Marinar a carne ou o peixe antes dos confecionar, usando temperos sem sal,
- Enriquecer os cozinhados com alimentos coloridos como o tomate, a cenoura, o pimento verde, amarelo, vermelho ou laranja, os brócolos, o milho, o feijão, a beringela, a couve roxa, a beterraba, a laranja, a maça, entre outros produtos hortofrutícolas,
- Evitar o consumo de alimentos com elevado teor de sal, como os alimentos pré-confecionados e os cubos de tempero.

Referências Bibliográficas
Candeias, V., & Morais, C. (n.d.). Minerais. Acedido a 12 de Março de 2016.
Candeias, V., & Al, E. (2004). Sal 2. Computer Aided Verification, 251–254. Acedido a 13 de Março de 2016. Disponível em: http://www.springerlink.com/index/ENM6F9NCA4ME7FRJ.pdf
Sal, M. (n.d.). Menos sal, 7. Acedido a 13 de Março de 2016.
Direção-Geral da Saúde. Princípios para uma Alimentação Saudável. Sal. 8724
Direção-Geral da Saúde. Minerais. 8389

NOTAS:
Para saber mais sobre nutrição, pode seguir a nossa página de facebook: Saúde para todos
Para contactar com o serviço de nutrição, pode usar o email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.


Inês Racha
Estagiária do curso de Dietética e Nutrição da Universidade do Algarve 

Serviço de Saúde de Apoio à População da Freguesia de Faro

ufaro brasao

Freguesia de Faro (Sé e S. Pedro)
Rua Reitor Teixeira Guedes nº2
Tel: 289 803 416
Fax: 289 803 417
www.uf-faro.pt