Loulé | Dia Mundial da Água – Sustentabilidade Hídrica

0
348
Água

Assinala-se hoje, 22 de março, o Dia Mundial da Água, efeméride proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 1992, com o objetivo de chamar a atenção para a importância deste recurso natural e para a sua utilização sustentável.

O Município de Loulé associa-se às celebrações, que este ano têm como mote “Acelerar a mudança para resolver a crise de água e saneamento”, e faz o balanço de um trabalho importante que tem vindo a ser desenvolvido ao longo dos últimos anos e que está a contribuir para a mudança.

Um dos resultados mais relevantes deste trabalho respeita aos indicadores de desempenho da qualidade de serviço das redes de distribuição da água e o empenho para melhorar os mesmos.

De acordo com os indicadores da ERSAR (Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos), as empresas municipais do concelho de Loulé são as entidades gestoras de água no Algarve que apresentaram um melhor desempenho no ano de 2021 ao nível da água não faturada. A Infraquinta destaca-se com 3%, seguida da Infralobo com 6,4% e da Inframoura com 8,6%.

Por seu turno, a Câmara Municipal de Loulé, que gere fora da área de atuação destas “infras”, tem também vindo a apresentar uma tendência decrescente em relação às perdas, passando dos 40,9% em 2019, para os 33,4% em 2021.

A preocupação com a sustentabilidade hídrica acompanhou toda a trajetória da política local de ação climática, mas acentuou-se em 2019, altura em que foi constituída a Unidade Operacional de Eficiência Hídrica. Com uma equipa multidisciplinar, esta unidade orgânica tem como funções a elaboração e atualização do cadastro das redes de abastecimento, definir estratégias de combate a perdas de água, desenvolver projetos de origens alternativas de água e o controlo analítico da qualidade da água distribuída e tem contribuído para levar a cabo a implementação de ações para a resolução de perdas e promoção da sustentabilidade no território.

Para ajudar a reduzir as perdas, a Câmara Municipal tem adotado diversas medidas. No campo das perdas aparentes, a renovação do parque de contadores, a fiscalização de usos ilícitos e a análise de consumos próprios são algumas das intervenções que têm tido lugar. Já no campo das perdas reais, o cadastro, a medição de volumes reais, a criação de 101 zonas de medição e controlo e de 43 de zonas de pressão controlada, o controlo ativo de fugas, são projetos que irão ser desenvolvidos, mas ainda não estão a ser implementados. Finalmente, no que concerne aos consumos autorizados não faturados, a Autarquia tem vindo a quantificar os volumes utilizados pelos serviços de Bombeiros ou pelos serviços de Salubridade para lavagens de ruas e contentores, mas tem instalado também contadores em espaços públicos onde não existia medição para faturação, o que permitiu reduzir o valor das perdas.

No âmbito do PEES (Programa de Estabilização Económica e Social) e do PRR (Plano de Recuperação e Resiliência), foi aprovado um financiamento de 550 mil euros para projetos neste setor, como a modernização do sistema de telegestão da rede de abastecimento e adoção de sistemas de rega urbana inteligentes e eficientes.

Em curso estão projetos emblemáticos de eficiência hídrica no concelho, como a reconversão do coberto vegetal em espaços verdes públicos (substituição de relvados por inertes e plantas autóctones), a diminuição de consumos em espaços desportivos com a instalação de redutores de caudais, o projeto-piloto no Jardim das Comunidades em Almancil em parceria com a UAlg, a revisão do regulamento e da estrutura tarifária do serviço de abastecimento de água, a utilização das águas de recirculação das piscinas de Quarteira, o aproveitamento de água proveniente da Mina de Sal-gema para rega e outros fins, rega de espaços verdes com água das Bicas Velhas, o reaproveitamento de águas cinzentas na Escola E.B. 2, 3 Padre João Coelho Cabanita para rega ou o PERLA – Programa Estratégico de Recuperação de Linhas de Água”.

A nível do saneamento básico a autarquia tem igualmente realizado um trabalho importante em diversas zonas do concelho. Encontram-se neste momento várias obras em curso para abastecer as populações do interior do município com água de qualidade, nomeadamente na Charneca de Querença e Porto Nobre, assim como em Monte Ruivo e Azinhal (freguesia de Alte). Ao longo dos últimos anos foram realizadas diversas obras para aumentar a rede de esgotos e de fornecimento de água nas zonas que ainda não dispunham dessas infraestruturas, como, por exemplo, nalgumas povoações da freguesia de Salir e de São Clemente (Clareanes). Existem igualmente projetos que aguardam o visto do Tribunal de Contas para arrancar, como é o caso do abastecimento de água e rede de esgotos no Cerro do Galo, em Almancil.

CM Loulé

Água