Securitas Direct | Assaltos aumentam e Acompanham subida da Compra de Segundas Habitações

0
134
Securitas-Direct-Logotipo
  • Segundas habitações já são mais de 1 milhão e representam cerca de 20% do parque habitacional português
  • Nos primeiros meses de 2023, o número de assaltos ou tentativas de assalto cresceu 13% no Algarve e mais de 50% no Alentejo em comparação com o período homólogo de 2022, segundo dados da Securitas Direct 
  • Em 2022, o número de assaltos ou tentativas de assalto cresceu 30% no Alentejo, 34% em Leiria e 40% em Coimbra, de acordo com a empresa

No último ano registou-se um aumento de 14% no investimento feito em imóveis em Portugal face a 2021. Segundas habitações são já 1,1 milhões, o que significa que cerca de 20% do parque habitacional português está destinado a casas secundárias. Estes são os números retirados dos últimos Censos, mas que têm vindo a aumentar, seja em resultado do aumento do teletrabalho que permite a ausência, mais ou menos duradoura, dos locais de trabalho, seja pelo aumento da compra de casas por estrangeiros. Em 2022, cerca de 20% das casas vendidas em Portugal aconteceram a compradores estrangeiros, segundo dados do Banco de Portugal.

Valores que também estão ligados ao crescente número de nómadas digitais. Uma realidade cada vez mais presente no mundo atual, os nómadas digitais são atraídos para comprar em Portugal pelas condições que encontram, não só a nível financeiro como também pelo estilo de vida e condições climatéricas encontradas no país.

Contudo, os proprietários têm algumas preocupações. Independentemente da utilização dada ao imóvel, o aumento do número de assaltos ou tentativas de assalto cria preocupação nos donos das habitações. No último verão, segundo dados da PSP e da GNR, foram registados 50 assaltos por dia durante os meses de junho e julho, com os dados da Securitas Direct a reiterarem esta realidade.

Face a 2021, a Securitas Direct registou em 2022 um aumento do número de assaltos ou tentativas de assalto na maioria das zonas costeiras, muito relacionadas com segundas habitações. O crescimento foi de 40% em Coimbra, 34% em Leiria, 30% no Alentejo, 20% em Aveiro, 10% no Porto e 9% em Lisboa.

Já em 2023, a Securitas Direct volta a comprovar o aumento desta tendência. No Algarve, o número de roubos ou tentativas de roubo a casas cresceu mais de 13% até ao final de maio em comparação com o mesmo período de 2022. Fevereiro e abril foram mesmo os meses com mais incidências no Algarve este ano. A este facto, junta-se um aumento de mais de 50% de roubos ou tentativas de roubo no Alentejo até ao final de maio, quando em comparação com o mesmo período de 2022.

Para estas segundas residências, a Securitas Direct conta com soluções destinadas a prevenir roubos e outros riscos como incêndios, inundações e emergências. A aposta em câmaras de vigilância pode ser vista como a solução para este problema. Contudo, apenas uma câmara ligada 24 horas a uma Central Recetora de Alarmes (CRA) pode trazer verdadeira proteção. Para prevenir os diferentes problemas que podem existir numa segunda residência, pode apostar em alarmes como o ZeroVision, que enche a sala com um fumo denso e impede a visão do intruso em caso de assalto, ou como o Sentinel, que além de detetar possíveis intrusos também monitoriza a temperatura, humidade e qualidade do ar.

Além destas opções, a Securitas Direct também envia um vigilante para verificar se está tudo bem nas imediações da casa ou acompanhar a polícia durante a inspeção em casa do assalto. Ser proprietário de uma segunda habitação não deve ser sinónimo de preocupação e não deve representar um problema adicional de segurança. Além disso, estas opções permitem que, caso se verifique alguma anomalia, os proprietários a possam resolver rapidamente.