Rubricas

magda_folgadoCom Magda Folgado...

magda_folgadoCom Magda Folgado...

magda_folgadoCom Magda Folgado...

monica_pinhoCom Mónica Pinho...

 


 

 

 

monica_pinho

monica_pinhoCom Mónica Pinho...

“Sei que a DECO apresentou a sua Agenda do Consumidor, para as Autárquicas de 21-25. Quais as sugestões apresentadas?”

 A DECO E O CCMAR INFORMAM…

A DECO apresenta a sua Agenda do Consumidor para as Autárquicas 21-25 definindo 4 prioridades para os próximos anos: 

  • A Sustentabilidade, 
  • A Transformação Digital, 
  • A Habitação
  • A proteção de consumidores mais vulneráveis.

Acelerar a desindexação da tarifa de resíduos ao consumo de água, alargar os pontos de acesso gratuitos com rede Wi-Fi, criar balcões municipais de habitação e reforçar o Fundo Municipal de Emergência Social são algumas das medidas que constam desta agenda e traduzem a Voz do Consumidor naquelas que são as suas necessidades locais.

A DECO considera que a pressão digital, a transição ecológica, a habitação inclusiva e a proteção social serão, certamente, os maiores desafios que os municípios irão enfrentar, pelo que só centrando as políticas locais no cidadão se contribuirá para uma melhor qualidade de vida e bem-estar dos munícipes.

“Muitos consumidores perderam o seu rendimento, as suas economias e outros encontram-se atualmente em situação de dificuldade e até mesmo em risco de exclusão social, pelo que as autarquias locais têm uma responsabilidade acrescida em mitigar as lesões provocada pela pandemia do COVID-19”, afirma a Diretora-Geral da DECO, Ana Tapadinhas.

Para contribuir para esta mitigação, a DECO divulga um conjunto de recomendações essenciais para tornar a proteção do consumidor local mais justa, inteligente e inclusiva.

A parceria e a colaboração próxima com as autárquicas são um objetivo da nossa Associação para defender os direitos de todos os cidadãos!

Informe-se com a sua associação e conheça o nosso projeto DECO REGIÕES. 

Conte com o apoio da DECO ALGARVE através do número de telefone 96 37 93595/289 863 103, do endereço eletrónico Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

Pode também marcar atendimento via Skype. Siga-nos nas redes sociais Facebook, Twitter, Instagram, Linkedin, Youtube e no nosso site DECO!

GPI DECO-AlgarveAgendaConsumidorDECO

A DECO E O CCMAR INFORMAM… As beatas de cigarros são uma combinação de um filtro de plástico e os restos de cigarros fumados. 12% dos plásticos encontrados nas praias do Algarve são beatas de cigarros e outros itens relacionados com a indústria tabaqueira. Investigadores do Centro de Ciências do Mar (CCMAR) que têm monitorizado a costa Algarvia nos últimos 5 anos encontram uma média de 9 beatas de cigarros a cada 100 metros de praia percorrida durante os meses de inverno e primavera. Nos meses de verão, este número dispara para valores muito mais elevados.

Gerardo Zardi, investigador do CCMAR explica, contudo, que “o aumento de beatas no verão não se deve apenas aos fumadores que fumam na praia, mas também ao maior número de pessoas que se encontram na região Algarve. Grande parte das beatas de cigarros que se encontra nas praias provém de cidades e zonas urbanas até 100 km de distância! São lançadas para o chão, entram nos cursos de água através das sargetas e sistemas de escoamento, e eventualmente vão ter ao oceano.”    

As beatas de cigarros são compostas por acetato de celulose, um tipo de plástico, e libertam para o ambiente vários químicos e metais pesados - como chumbo e arsénico (usado para matar ratos) – ​​que são tóxicos para os seres humanos e para a vida selvagem. Segundo estes investigadores, “Infelizmente, encontramos frequentemente beatas de cigarros nos estômagos de aves que vivem na costa do Algarve.

Assim caso seja fumador, tenha o cuidado de não deitar as suas beatas para o chão. Utilize cinzeiros existentes à sua volta ou cinzeiros portáteis que possa levar sempre consigo – não só nas praias, mas em todo o lado.

GPI DECO-AlgarveBeataCigarroDECO

A DECO apresenta a sua Agenda do Consumidor para as Autárquicas 21-25 definindo 4 prioridades para os próximos anos: a Sustentabilidade, a Transformação Digital, a Habitação e a proteção de consumidores mais vulneráveis.

Acelerar a desindexação da tarifa de resíduos ao consumo de água, alargar os pontos de acesso gratuitos com rede Wi-Fi, criar balcões municipais de habitação e reforçar o Fundo Municipal de Emergência Social são algumas das medidas que constam desta agenda e traduzem a Voz do Consumidor naquelas que são as suas necessidades locais.

A DECO considera que a pressão digital, a transição ecológica, a habitação inclusiva e a proteção social serão, certamente, os maiores desafios que os municípios irão enfrentar, pelo que só centrando as políticas locais no cidadão se contribuirá para uma melhor qualidade de vida e bemestar dos munícipes.

“Muitos consumidores perderam o seu rendimento, as suas economias e outros encontram-se atualmente em situação de dificuldade e até mesmo em risco de exclusão social, pelo que as autarquias locais têm uma responsabilidade acrescida em mitigar as lesões provocada pela pandemia do COVID-19”, afirma a Diretora-Geral da DECO, Ana Tapadinhas.

Para contribuir para esta mitigação, a DECO divulga um conjunto de recomendações essenciais para tornar a proteção do consumidor local mais justa, inteligente e inclusiva.

Saiba mais em: https://deco.pt/

GPI DECO-AlgarveDECOAgendaConsumidor

Estamos com os azeites. Vale a pena nos debruçarmos sobre a temática que envolve o chamado ouro líquido. Durante séculos o azeite foi a real moeda de troca de varias sociedades e hoje é um ingrediente indispensável na gastronomia mediterrânica.

Aliás, o prazer do paladar começa logo numa boa entrada de azeitonas* muito bem apresentadas numa azeitoneira* com alho e orégãos*; ou então, para ávidos apreciadores, umas fatias de pão caseiro barrado com pasta de azeitona*. Seja qual for a forma que pretenda apreciar a azeitona, o azeite é sem dúvida o melhor complemento de uma refeição, por acompanhar todos os pratos.

O Mar d'Estórias, com a ajuda do livro Os 100 Melhores Azeites de Portugal, de Edgardo Pacheco* explica de forma sucinta a diferença no uso dos azeites: 

Azeite Virgem Extra – é um azeite de qualidade máxima (acidez de, no máximo, 0,8%) ideal para temperar a cru; 
Azeite Virgem – deve ser utilizado para refogar, assar, confitar ou fritar; 
Azeite Refinado – de categoria inferior e acidez superior deve ser apenas utilizado para frituras de grande volume. 

Para tornar as coisas mais divertidas, porque não fazer uma prova de azeites em casa? Junte a família e amigos e, em vez de fazê-lo como os provadores profissionais que usam os copos azuis, ou então, molhar o pão num pouco de azeite, como se faz habitualmente, sugerimos uma prova de azeites diferente - com camarão cozido descascado! Adquira 4 azeites de diferentes regiões ou produtores e experimente passar o camarão por cada recipiente de azeite. Ao fim de algumas provas vai notar a diferença de perfil de azeite de cada um e o facto de se adaptarem a diferentes criações gastronómicas. 

Boas Provas!

Sobre o Mar d'Estórias

O Mar d'Estórias visa ser um espaço inovador de valorização de tudo o que é Português, com especial ênfase para o Algarve. Este espaço pretende proporcionar a passagem equilibrada entre as diferentes secções de loja, cafe/bistro e galeria de arte, que culminam num bar-terraço a céu aberto e com vista sobre o mar.Mar dEstoriasFonte: Mar d'Estórias

 

Imagem 1O açúcar é proveniente dos hidratos de carbono, um conjunto de moléculas de açúcar presentes nos alimentos que ingerimos, e a glicose é a principal fonte de energia do nosso organismo. É importante saber distinguir os diferentes tipos de açúcar, e para isso apresentamos-lhe o seguinte esquema:

 imagem 2O consumo moderado de açúcar, apresenta alguns efeitos no nosso organismo, nomeadamente dá-nos energia, promove a saciedade, dá-nos força muscular, retarda a fome e é essencial para o funcionamento do cérebro e do coração.    

 Agora que já conhece os diferentes tipos de açúcar e os efeitos do seu consumo moderado no nosso organismo, é de salientar que quando se fala no consumo excessivo de açúcar, fala-se normalmente em açúcar simples, como é o caso da sacarose (açúcar branco), presente nomeadamente nos produtos de pastelaria, nos doces, nas sobremesas, nos refrigerantes, nos sumos de fruta, no mel, nas geleias e nos xaropes.

A sacarose não possui qualquer valor nutricional, e está repleta de calorias vazias, ou seja quanto mais calorias forem ingeridas, maior é a probabilidade do aparecimento de doenças como a obesidade, as doenças cardiovasculares, a hipertensão arterial, o cancro, a diabetes mellitus, a hipercolesterolémia, etc.

 A organização mundial de saúde recomenda que se diminua o consumo de açúcares simples, uma vez que o consumo em Portugal é muito alto. A Organização Mundial de Saúde recomenda que o consumo diário de açúcares simples não deve ser superior a 10% do total de energia diária ingerida e ainda realça que, caso seja inferior a 5%, apresenta benefícios para a saúde, em Portugal consumimos cerca de 18,8%, uma percentagem assustadora.

 Esta ingestão excessiva de açúcares simples vai provocar alterações no nosso organismo, como:

imagem 3

Para não ingerir açúcares em excesso, existem algumas regras essenciais, que nunca deve esquecer:

 

  1. Ficar atento aos rótulos dos alimentos;
  2. Saber identificar quais os alimentos que apresentam grande quantidade de açúcar;
  3. Adotar um estilo de vida saudável, praticando atividade física e preferindo sempre uma alimentação saudável.

 

NOTA: Para saber mais sobre nutrição, pode seguir a nossa página de facebook: Saúde para todos.

Para contactar com o serviço de nutrição, pode usar o email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Sofia Cardeira (1556NE - Nutricionista Estagiária à Ordem dos Nutricionistas)

Serviço de Saúde de Apoio à População da Freguesia de Faro

imagem 4

Freguesia de Faro (Sé e S. Pedro)

Rua Reitor Teixeira Guedes nº2

Tel: 289 803 416

Fax: 289 803 417

www.uf-faro.pt

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

mitos alimentaresA alimentação saudável está na moda, todos os dias abrimos a internet e vemos diversas fotografias de comida, de sumos detox, de exercício físico, etc. Todos os dias surge uma nova dieta, um “expert” em alimentação, um novo alimento ou produto milagroso.

Alterações hormonais e de humor, dores lombares, dificuldade em dormir ou descansar e ansiedade são situações características na gravidez e que têm impacto na saúde da mulher e do bebé. A pensar no bem-estar da grávida, as Conversas com Barriguinhas vão ensinar as futuras mamãs a promover uma gravidez saudável a vários níveis, nas sessões online dos dias 23, 28 e 30 de setembro, pelas 17h00. As inscrições são gratuitas e já se encontram disponíveis na plataforma.

Movimentos simples como levantar da cama, caminhar, sentar ou ficar de pé podem ser desconfortáveis para a grávida devido às alterações corporais. Para que apliquem no seu dia-a-dia hábitos posturais saudáveis, a fisioterapeuta pélvica Rita Avelino partilhará na sessão do dia 23 de setembro (inscrições disponíveis aqui) dicas para que tenham o máximo de conforto e segurança nas atividades diárias. A terapeuta familiar Carolina Vale Quaresma estará também presente para abordar o tema “Tudo começa na gravidez!”.

No evento de 28 de setembro, cujas inscrições já se encontram disponíveis aqui, a ansiedade durante o período de gestação vai estar sob análise com a psicóloga clínica Inês Prior, que explicará como gerir os elevados níveis de stress. Para complementar com a componente física, a educadora pré-natal e professora de yoga Susana Lopes vai dinamizar uma aula prática de yoga para grávidas. A Enf.ª Bárbara Sousa marcará também presença para responder à questão “Cheguei a casa com o meu bebé, e agora?” com foco no banho e na muda da fralda do bebé.

Os primeiros dias do recém-nascido em casa continuarão a ser explorados pelo Prof. Doutor Manuel Magalhães, pediatra, na última sessão do mês, a 30 de setembro (inscrições disponíveis aqui). Já a Enf.ª Teresa Coutinho, especialista em saúde materna e obstetrícia, ensinará os futuros pais a promover um sono seguro no bebé.

Estas sessões dedicadas à saúde da grávida e do bebé contam ainda com a presença de um especialista em células estaminais da Crioestaminal para esclarecer dúvidas sobre o processo de guardar e doar as células estaminais do cordão umbilical do seu bebé, assim como acerca do processo de adesão ao serviço de criopreservação. Os futuros pais conhecerão também uma outra perspetiva sobre a criopreservação e porque se trata de uma opção terapêutica para todos, com o testemunho da Alexandra Mendes, diretora de recursos humanos da Crioestaminal e mãe de 4 filhos.

As sessões online das Conversas com Barriguinhas realizam-se todas as semanas e têm como objetivo ajudar as grávidas portuguesas a preparar a chegada do seu bebé, a partir do conforto da sua casa.

Programa das sessões online Conversas com Barriguinhas:

23 de setembro | 17h00

  • O processo de adesão ao serviço de criopreservação. Como tudo se processa? - com especialista em células estaminais da Crioestaminal;
  • Tudo começa na gravidez! – com terapeuta familiar Carolina Vale Quaresma;
  • Hábitos posturais saudáveis na gravidez – com fisioterapeuta pélvica Rita Avelino.

 28 de setembro | 17h00

  • Uma outra perspetiva sobre a criopreservação, em entrevista com a Alexandra Mendes, Diretora de Recursos Humanos na Crioestaminal e mãe de 4 filhos – com Crioestaminal, banco de criopreservação líder em células estaminais;
  • Como gerir a ansiedade durante o período de gestação? – com psicóloga clínica Inês Prior;
  • Cheguei a casa com o meu bebé e agora? O banho e a muda da fralda – com Enf.ª Bárbara Sousa, especialista em saúde materna e obstetrícia;
  • Ansiedade durante a gravidez & Aula prática de yoga para grávidas – com Susana Lopes, educadora pré-natal e professora de yoga.

 30 de setembro | 17h00

  • Células estaminais do cordão umbilical do seu bebé: uma opção terapêutica para todos! – especialista em células estaminais da Crioestaminal;
  • Os primeiros dias do recém-nascido em casa – com Prof. Doutor Manuel Magalhães, pediatra;
  • Como promover um sono seguro no bebé – com Enf.ª Teresa Coutinho, especialista em saúde materna e obstetrícia.

Fique a conhecer as datas das próximas Conversas com Barriguinhas aqui.

Sobre Conversas com Barriguinhas

“Conversas com Barriguinhas” é uma iniciativa de âmbito nacional que junta parceiros e especialistas em saúde materna para levar às famílias o esclarecimento acerca de temas importantes e diversificados como a amamentação, a alimentação na gravidez, a sexualidade, as células estaminais, os cuidados com o bebé e com os pais e as situações de risco, além de deixar alguns conselhos práticos sobre as várias fases do período de gestação.

Desde 2009 a percorrer Portugal, as Conversas com Barriguinhas já realizaram mais de 3 mil eventos em mais de 500 espaços de excelência, impactando cerca de 100 mil casais, com o objetivo de esclarecer dúvidas e partilhar experiências sobre os mais variados temas ligados à gravidez e maternidade. Desde então, foram estabelecidas mais de 50 parcerias com marcas de referência no mercado da puericultura e partilhados inúmeros conteúdos sobre a gravidez e maternidade referenciados pelos melhores profissionais de saúde. Com cerca de 150 eventos online previstos para 2021, este será um ano de enorme dinamismo e de consolidação da iniciativa no digital, em que a promoção do bem-estar e a informação às famílias se manterão a principal prioridade.

BCWConversaBarriguinhas

A Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH) disponibiliza três novos módulos de formação integrados no seu Programa de Aceleração Tecnológica na Saúde. Esta formação aposta numa forte componente prática, com a apresentação de case studies de sucesso, que incluem unidades hospitalares de diferentes regiões do país.

Os novos módulos focam-se em diferentes temas: Teleconsulta: como planear e implementar; Telemonitorização: como planear e implementar e Telereabilitação: como planear, implementar a promover a integração de cuidados.

“A pandemia veio acelerar um processo que já tinha sido iniciado, que impôs a utilização da tecnologia na prática clínica, como forma de aproximar os doentes e os profissionais de saúde. No entanto, para que estas soluções possam ser implementadas e ao alcance de todos, é fundamental que tanto os profissionais de saúde como os utentes estejam preparados para a sua utilização”, esclarece Alexandre Lourenço, presidente da APAH.

Ainda de acordo com o presidente da APAH “a telessaúde vem permitir aos doentes e aos seus cuidadores um papel muito mais ativo na gestão da sua doença e da sua saúde. Para tal é fundamental a aposta na literacia em saúde. Quanto maior for o envolvimento do doente, melhor será a sua adesão e resposta ao que lhe é solicitado. Esta nova realidade, que acreditamos que veio para ficar, empodera o doente na gestão da sua própria saúde”.

“A utilização da telessaúde não vem substituir o contacto pessoal e a consulta presencial sempre que seja realmente necessária. No entanto, em muitas situações, a telessaúde permite um acesso mais equitativo a diferentes especialidades, aproximando os utentes e os profissionais, mas também os diferentes níveis dos cuidados de saúde”, salienta Patrícia Loureiro, Coordenadora da Unidade de Acompanhamento de Projetos de Telessaúde - Direção do Centro Nacional de TeleSaúde - SPMS.

Esta formação procura dotar os profissionais de saúde de ferramentas que lhes permitam utilizar plenamente as mais-valias da telessaúde, dando a conhecer exemplos concretos de como diferentes serviços se adaptaram e articularam a esta realidade, como modelos para outras unidades em que a telessaúde ainda não esteja implementada. Simultaneamente, procura sensibilizar os utentes para a possibilidade de beneficiarem destes serviços, sendo a formação aberta a todos os que tenham interesse nesta temática.

Trata-se de uma formação gratuita, promovida pela Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares e pelos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, que conta com o apoio da Novartis. Os conteúdos estão disponíveis no site da APAH, no âmbito da sua Academia Digital. Os dois primeiros módulos de formação do Programa de Aceleração Tecnológica na Saúde contaram até agora com mais de 100 participantes cada um. 

Sobre a APAH:

A Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH) é a organização com maior representatividade dos profissionais com funções de administração e gestão na área da saúde em Portugal. Desde 1981, a APAH dedica-se a apoiar os administradores hospitalares no desenvolvimento de elevados padrões de exercício profissional, nos múltiplos contextos organizacionais onde desempenham funções, tendo em vista contribuir para a melhoria do seu desempenho, garantindo a qualidade e excelência dos resultados em saúde em Portugal.

Visite a APAH em www.apah.pt  e siga a APAH no Facebook, Twitter, LinkedIn & Instagram e subscreva o Canal APAH no YouTube

LPMAssociacaoAdmHospital

A Associação Portuguesa de Neuromusculares (APN) está a promover o webinar “Respostas Sociais: Intervenção em Vítimas de Violência”, que se realiza no dia 24 de setembro, pelas 18h00, via zoom. Esta iniciativa está integrada no ciclo de sessões online dedicadas à prevenção de fenómenos de violência na deficiência, cujo objetivo é consciencializar para a violência na deficiência.

“Com este evento online pretendemos proporcionar um debate construtivo, que permita a partilha de experiências e o diálogo entre os participantes. É importante que as pessoas conheçam a problemática em torno dos diferentes tipos de violência na deficiência e que existem recursos e procedimentos para as apoiar”, realça Joaquim Brites, presidente da APN.

A sessão online contará com a presença de várias especialistas de diferentes áreas de intervenção, que vão abordar temas como “Respostas de Emergência: Recursos e Procedimentos”, “Desafios no Apoio à Pessoa Vítima de Violência” e “Acolhimento em Casa Abrigo para Vítimas com Deficiência e Incapacidade”.

A iniciativa é realizada no âmbito do Projeto (IN)Segurança na Deficiência, e cofinanciada pelo Programa de Financiamento a Projetos, do INR, IP, de 2021, destinando-se a todas as pessoas com deficiência e incapacidade, aos seus familiares e cuidadores, e também à comunidade em geral.

A participação é gratuita, mas requer uma inscrição prévia: https://forms.gle/JCivipnR1UMFuXyq9

Depois de efetuada a inscrição, será enviado um e-mail com o link de acesso ao webinar.

Sobre a APN

A APN é uma Instituição de âmbito nacional, representativa de todas as doenças Neuromusculares. Tem sede na Rua Duque de Loulé, 20, no Porto, um Centro de Atendimento em S. Paio de Oleiros (Santa Maria da Feira) e outro em Lisboa. É uma Instituição Particular de Solidariedade Social, reconhecida como Pessoa Coletiva de Utilidade Pública, conforme publicado no DR Nº 30 III Série de 5 de Fevereiro de 2000. A ideia da sua constituição surgiu em setembro de 1991, quando um grupo de pais de portadores de doença neuromuscular sentiu a necessidade de se unir, procurando soluções para os problemas comuns e, simultaneamente, trocar experiências de vida. Nessa altura, a informação existente era muito dispersa e pouco disponível. Começaram então a ser dados os primeiros passos para que a APN fosse oficialmente criada, o que aconteceu a 15 de Junho de 1992. Nos últimos anos, o trabalho da APN tem sido desenvolvido essencialmente no âmbito do apoio humano, social, psicológico a muitos doentes e aos seus cuidadores, ou familiares, promovendo os seus direitos sociais, facultando-lhes auxílio no acesso aos produtos de apoio, sensibilizando a opinião e os poderes públicos para os problemas dos portadores destas doenças no seu dia-a-dia, apoiando a investigação e a divulgação dos resultados que vão surgindo. Procura, assim, alimentar a esperança de uns e reinventar novas razões de viver, para outros.

MiligramaWebinarViolencia