Rubricas

magda_folgadoCom Magda Folgado...

magda_folgadoCom Magda Folgado...

magda_folgadoCom Magda Folgado...

monica_pinhoCom Mónica Pinho...

 


 

 

 

monica_pinho

monica_pinhoCom Mónica Pinho...

A DECO INFORMA… Desde a liberalização do mercado de fornecimento de eletricidade e gás natural que são frequentes as reclamações de consumidores que, sem celebrar qualquer contrato, nem dar qualquer consentimento, têm recebido cartas de boas vindas de comercializadores de energia que não os seus.

Neste sentido, a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) aproveitou o dia mundial da energia para alertar para as más práticas comerciais no setor da energia. Foram, assim, identificadas três práticas:

  • Alguém que se apresenta à porta do consumidor e diz pertencer à empresa do gás ou da eletricidade e pede para ver a fatura;
  • Alguém que informa ser necessário mudar de fornecedor para não ficar sem gás ou eletricidade;
  • Alguém que apresenta uma oferta de energia e pede que seja assinado um documento para comprovar a visita.

Salientamos que os consumidores nunca devem assinar nada sem ler e, se tiverem dúvidas, o melhor é recusar assinar. Também não convém que entreguem faturas ou documentos pessoais se não se sentirem seguros.

Adicionalmente, devem sempre pedir um documento de identificação, de preferência com fotografia que comprove que a pessoa trabalha para a empresa referida. Por fim, só devem mudar de fornecedor se quiserem e quando estiverem bem informados sobre o novo contrato.

É importante saber que, quando estes contratos são feitos à distância – por telefone ou ao domicílio, por exemplo –, estão abrangidos pela lei das vendas à distância, pelo que os consumidores têm 14 dias para desistirem do contrato, através do envio de carta registada com aviso de receção, e voltarem à empresa anterior.

Acresce que os consumidores que se encontrem nesta situação poderão, ainda, apresentar queixa junto da ERSE, entidade reguladora do setor.Transportes DECOFonte: DECO-Delegação Regional Algarve

A DECO INFORMA… As granolas estão na moda, e já não são feitas só a pensar nos adultos. É fácil encontrar embalagens com imagens de cachorros ou leões que vendem a ideia de refeições “saudáveis” ou “equilibradas” por conterem cereais integrais. Mas a palavra “integral" pode induzir em erro.

Analisámos o Chocapic Granola, Lion Granola, Clusters Granola Crunchy Muesli (versões caramelo e chocolate e chocolate de leite), dirigidos sobretudo aos mais novos. Todas as marcas apresentam mais de 400 kcal por 100 gramas, sendo extremamente calóricas. É como se as crianças estivessem a comer bolachas ou doces ao pequeno-almoço. Pepitas de chocolate, pasta de caramelo, coco ou mel são alguns dos ingredientes incluídos, que aumentam os teores de gordura e açúcar e, consequentemente, o valor calórico.

Da análise que fizemos, as recomendações para doses de referência para as crianças, são feitas sob a forma de colheres mas o peso fica próximo da dose de referência para adultos. Por exemplo, quatro a cinco colheres de sopa recomendadas para crianças pela Lion e Chocapic equivalem a 34 e 41 gramas, respectivamente. São quase os 45 gramas de referência para adultos, o que pode levar a um consumo excessivo pelos mais novos.

Na nossa página www.deco.proteste.pt pode encontrar informação mais detalhada sobre a comparação entre as diferentes marcas de granola no mercado. Se gosta deste tipo de cereais, é preferível fazer em casa, reduzindo os excessos de ingredientes para adoçar e incluir produtos naturais. Veja a nossa receita de granola com cacau cru e nozes.

Granola com cacau cru e nozes

Ingredientes

  • 3 chávenas de aveia integral fina; 1 colher de sopa de cacau cru; 2 colheres de sopa de nozes picadas; 1 colher de sopa de coco ralado; 2 colheres de sopa de mel; 1 colher de chá de canela em pó; 1 folha de papel vegetal.

Preparação

  1. Pré-aqueça o forno a 160ºC;
  2. Junte todos os ingredientes numa taça e envolva-os muito bem;
  3. Forre um tabuleiro de forno com a folha de papel vegetal;
  4. Coloque o tabuleiro no forno. Mexa a cada 5 minutos, para que fique mais tostada. A granola estará pronta em 20 minutos;
  5. Deixe arrefecer. Se quiser, pode juntar sultanas ou outros frutos secos. Guarde num recipiente bem fechado, num local fresco ou no frigorífico.Granolas P AlmocoFonte: DECO-Delegação Regional Algarve

A DECO INFORMA… Os bancos têm vindo a descer os spreads (margem de lucro do banco no crédito) e as taxas de juro mantêm-se em mínimos históricos. Mas, se vai contratar agora, não se iluda com as facilidades. Como os empréstimos para compra de casa são a longo prazo, é natural que ao longo do contrato as taxas de juro voltem a subir e a sua prestação aumente como consequência.

Com o aumento do valor médio do imobiliário, para muitos jovens e famílias o problema está em conseguir ver aprovado um crédito à habitação.

Se já encontrou o imóvel e tem hipóteses de ter um crédito aprovado, antes de avançar para a compra, há 3 aspetos essenciais a ter em conta:

O valor da prestação mensal e os encargos com a casa não devem exceder 35% do seu orçamento. Por exemplo: se tem um vencimento mensal de €1000, os encargos com a casa não devem exceder os € 350 mensais.

A maioria dos bancos só empresta 80% do valor da compra ou da avaliação (normalmente, o valor menor). Um dos problemas verificados atualmente com o aumento do preço das casas é que há avaliações bastante inferiores aos preços de compra, o que inviabiliza a concessão de crédito, a menos que o consumidor tenha bastante dinheiro para dar de entrada.

Mais do que comparar spreads ou prestações mensais, compare a taxa anual efetiva (TAE) de cada banco, pois este é o indicador que reflete o custo total do empréstimo. A maior parte dos bancos oferece diferentes propostas de spread, em função do designado cross-selling. Na prática, o cliente aceita contratar outros produtos na mesma instituição (domiciliação de ordenado, seguros ou cartões, entre outros) para beneficiar de condições mais vantajosas. Avalie até que ponto vale a pena contratar estes serviços, pois o empréstimo pode-lhe sair mais caro no final. A TAER (taxa anual efetiva revista) é o indicador que considera todos estes custos. Quanto mais baixa, melhor.Deco comprar Casa 1Deco comprar CasaFonte: DECO-Delegação Regional Algarve

Estamos com os azeites. Vale a pena nos debruçarmos sobre a temática que envolve o chamado ouro líquido. Durante séculos o azeite foi a real moeda de troca de varias sociedades e hoje é um ingrediente indispensável na gastronomia mediterrânica.

Aliás, o prazer do paladar começa logo numa boa entrada de azeitonas* muito bem apresentadas numa azeitoneira* com alho e orégãos*; ou então, para ávidos apreciadores, umas fatias de pão caseiro barrado com pasta de azeitona*. Seja qual for a forma que pretenda apreciar a azeitona, o azeite é sem dúvida o melhor complemento de uma refeição, por acompanhar todos os pratos.

O Mar d'Estórias, com a ajuda do livro Os 100 Melhores Azeites de Portugal, de Edgardo Pacheco* explica de forma sucinta a diferença no uso dos azeites: 

Azeite Virgem Extra – é um azeite de qualidade máxima (acidez de, no máximo, 0,8%) ideal para temperar a cru; 
Azeite Virgem – deve ser utilizado para refogar, assar, confitar ou fritar; 
Azeite Refinado – de categoria inferior e acidez superior deve ser apenas utilizado para frituras de grande volume. 

Para tornar as coisas mais divertidas, porque não fazer uma prova de azeites em casa? Junte a família e amigos e, em vez de fazê-lo como os provadores profissionais que usam os copos azuis, ou então, molhar o pão num pouco de azeite, como se faz habitualmente, sugerimos uma prova de azeites diferente - com camarão cozido descascado! Adquira 4 azeites de diferentes regiões ou produtores e experimente passar o camarão por cada recipiente de azeite. Ao fim de algumas provas vai notar a diferença de perfil de azeite de cada um e o facto de se adaptarem a diferentes criações gastronómicas. 

Boas Provas!

Sobre o Mar d'Estórias

O Mar d'Estórias visa ser um espaço inovador de valorização de tudo o que é Português, com especial ênfase para o Algarve. Este espaço pretende proporcionar a passagem equilibrada entre as diferentes secções de loja, cafe/bistro e galeria de arte, que culminam num bar-terraço a céu aberto e com vista sobre o mar.Mar dEstoriasFonte: Mar d'Estórias

 

Imagem 1O açúcar é proveniente dos hidratos de carbono, um conjunto de moléculas de açúcar presentes nos alimentos que ingerimos, e a glicose é a principal fonte de energia do nosso organismo. É importante saber distinguir os diferentes tipos de açúcar, e para isso apresentamos-lhe o seguinte esquema:

 imagem 2O consumo moderado de açúcar, apresenta alguns efeitos no nosso organismo, nomeadamente dá-nos energia, promove a saciedade, dá-nos força muscular, retarda a fome e é essencial para o funcionamento do cérebro e do coração.    

 Agora que já conhece os diferentes tipos de açúcar e os efeitos do seu consumo moderado no nosso organismo, é de salientar que quando se fala no consumo excessivo de açúcar, fala-se normalmente em açúcar simples, como é o caso da sacarose (açúcar branco), presente nomeadamente nos produtos de pastelaria, nos doces, nas sobremesas, nos refrigerantes, nos sumos de fruta, no mel, nas geleias e nos xaropes.

A sacarose não possui qualquer valor nutricional, e está repleta de calorias vazias, ou seja quanto mais calorias forem ingeridas, maior é a probabilidade do aparecimento de doenças como a obesidade, as doenças cardiovasculares, a hipertensão arterial, o cancro, a diabetes mellitus, a hipercolesterolémia, etc.

 A organização mundial de saúde recomenda que se diminua o consumo de açúcares simples, uma vez que o consumo em Portugal é muito alto. A Organização Mundial de Saúde recomenda que o consumo diário de açúcares simples não deve ser superior a 10% do total de energia diária ingerida e ainda realça que, caso seja inferior a 5%, apresenta benefícios para a saúde, em Portugal consumimos cerca de 18,8%, uma percentagem assustadora.

 Esta ingestão excessiva de açúcares simples vai provocar alterações no nosso organismo, como:

imagem 3

Para não ingerir açúcares em excesso, existem algumas regras essenciais, que nunca deve esquecer:

 

  1. Ficar atento aos rótulos dos alimentos;
  2. Saber identificar quais os alimentos que apresentam grande quantidade de açúcar;
  3. Adotar um estilo de vida saudável, praticando atividade física e preferindo sempre uma alimentação saudável.

 

NOTA: Para saber mais sobre nutrição, pode seguir a nossa página de facebook: Saúde para todos.

Para contactar com o serviço de nutrição, pode usar o email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Sofia Cardeira (1556NE - Nutricionista Estagiária à Ordem dos Nutricionistas)

Serviço de Saúde de Apoio à População da Freguesia de Faro

imagem 4

Freguesia de Faro (Sé e S. Pedro)

Rua Reitor Teixeira Guedes nº2

Tel: 289 803 416

Fax: 289 803 417

www.uf-faro.pt

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

mitos alimentaresA alimentação saudável está na moda, todos os dias abrimos a internet e vemos diversas fotografias de comida, de sumos detox, de exercício físico, etc. Todos os dias surge uma nova dieta, um “expert” em alimentação, um novo alimento ou produto milagroso.

Um grupo de investigadores do MD Anderson Cancer Center, da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, desenvolveu um estudo sobre a utilização de células do sangue do cordão umbilical modificadas para tratar alguns tipos de linfomas ou leucemias. Os resultados deste estudo foram recentemente publicados na revista Leukemia.

Decorre atualmente um ensaio clínico em 36 doentes oncológicos.

Os investigadores utilizaram as células “Natural Killer” (NK), células do sistema imunitário que têm uma apetência inata para reconhecer e eliminar vários tipos de células infetadas ou disfuncionais presentes no organismo.

Os investigadores conseguiram modificar células NK do sangue do cordão umbilical para que estas consigam mais eficazmente localizar e destruir células cancerígenas. A modificação permite também que as células permaneçam durante mais tempo no organismo. As células NK modificadas podem persistir durante meses e produzir um efeito antitumoral mais prolongado. As células NK modificadas demonstraram grande capacidade de multiplicação e, em modelo animal, migraram para locais afetados pela doença, produzindo efeitos notáveis na eliminação de células tumorais. Decorre atualmente, no MD Anderson Cancer Center, um ensaio clínico em 36 doentes oncológicos para testar este método de tratamento, após o sucesso dos estudos em modelo animal.

“A metodologia agora desenvolvida permite potenciar a capacidade das células NK para localizar e eliminar células cancerígenas causadoras de certas leucemias e linfomas. Embora seja possível recolher células NK do doente, estas apresentam uma capacidade de tratamento limitada. Como não são necessários testes de compatibilidade para administrar células NK, estas podem ser isoladas de forma relativamente fácil a partir de sangue do cordão umbilical. As unidades criopreservadas podem ser utilizadas prontamente para obter células NK para tratamento, o que representa uma vantagem muito significativa”, explica Bruna Moreira, Especialista em Células Estaminais e Investigadora no Centro de I&D da Crioestaminal.

A estratégia de modificação de células NK para localizar e eliminar células cancerígenas poderá ser utilizada para o tratamento de uma grande variedade de tumores em doentes oncológicos.

A técnica de modificação de células NK surgiu, essencialmente, para contornar as limitações da estratégia que tem sido utilizada ao longo dos últimos anos, com a recolha das células T (um tipo de células do sistema imunitário). Este método baseia-se na colheita das células do doente, seguida da sua modificação e reinfusão no próprio após a quimioterapia, ajudando a eliminar células cancerígenas remanescentes. Contudo, esta metodologia apresenta obstáculos, já que o doente tem de esperar algumas semanas até que as células modificadas possam ser utilizadas para o tratamento, uma situação pouco favorável em doenças de evolução rápida.

Sobre a Crioestaminal

A Crioestaminal, fundada em 2003, foi o primeiro banco de criopreservação em Portugal, sendo o maior da Península Ibérica e o quarto a nível europeu. Sediada no Biocant – o maior parque de Biotecnologia português, emprega mais de 80 colaboradores e tem presença em quatro países da Europa (Portugal, Espanha, Itália e Suíça). É o único banco ibérico acreditado pela AABB (American Association of Blood Banks), sendo um dos mais influentes e inovadores bancos de células estaminais do cordão umbilical do mundo. Tem mais de 100 mil amostras recolhidas e criopreservadas desde a sua fundação, sendo o player em Portugal com o maior número de amostras resgatadas e transplantes realizados, com 15 utilizações em dez crianças. Promove um trabalho de referência na terapêutica com células estaminais, com quatro patentes internacionais registadas e vários projetos de investigação em curso. Investe, anualmente, cerca de 10% do seu volume de negócios em Investigação & Desenvolvimento.CrioestaminalFonte: Atrevia

As férias tendem a ser um período propício à exposição solar excessiva e os cuidados com a pele acabam, muitas vezes, por ser descurados. O dermatologista Joaquim Cabrita, da Clínica Lusíadas Faro e do Hospital Lusíadas Albufeira, explica quais os cuidados a ter antes, durante e após a exposição ao sol.

“Os filtros solares demoram cerca de meia hora a atuar; logo se a aplicação for feita aquando da chegada à praia ou à piscina, a nossa pele fica exposta ao sol sem qualquer proteção durante esse período. A aplicação do protetor solar deve ser sempre feita antes de sair de casa para minimizar o impacto causado, uma vez que a exposição solar já é, por si só, perigosa e um acelerador do envelhecimento da pele”, explica o dermatologista.

O médico realça ainda que “a melhoria do estado de hidratação da pele é conseguida pela aplicação de tópicos com capacidade hidratante e emoliente. A incorporação de antioxidantes nestes produtos é também importante para neutralizar alguns efeitos negativos do sol na pele”.

Durante o período de exposição ao sol, para além da reaplicação do protetor solar de 2 em 2 horas, o médico deixa também outros conselhos: “apanhar sol com moderação nos primeiros dias de praia, manter-se à sombra nas horas de maior risco (entre as 11h30 e as 16h30), usar óculos escuros e chapéus de abas largas, utilizar batom hidratante e evitar deixar o creme protetor ao calor e ao sol, uma vez que a temperatura ajuda à degradação desses produtos”.

“Evitar os banhos quentes, mantendo a água à temperatura ambiente ou fria, é muito importante para arrefecer a temperatura corporal após a exposição solar”, aconselha Joaquim Cabrita, reforçando ainda que “é muito importante o consumo de frutas e legumes”. De acordo com o médico, “uma alimentação rica em antioxidantes ajuda a diminuir a degradação do colagénio, importante para preservar a estrutura da pele”.Clinica Lusiadas FaroFonte: LPM

Agosto de 2017: Com a aproximação do regresso às aulas, a campanha “Olhe Pelas Suas Costas” alerta a população para a importância de escolher a mochila escolar em função das suas características ergonómicas e sensibiliza os pais para a utilização correta deste acessório.

O tamanho, o peso e o material da mochila são fatores a ter em conta no momento da compra, para assegurar o bem-estar da criança e prevenir as dores na coluna provocadas, muitas vezes, pelo peso exagerado e má utilização da mochila escolar. Segundo o coordenador da campanha Olhe pelas Suas Costas, o neurocirurgião Paulo Pereira, “escolher uma mochila com base nos “bonecos” que as crianças mais gostam ou nas tendências da moda” pode significar uma má escolha.”

Para ajudar os pais e as crianças a fazer a escolha certa da mochila escolar para o próximo ano letivo, minimizar os riscos para a coluna vertebral no seu transporte diário, a campanha deixa algumas recomendações:

  • A mochila deve ter duas alças largas bem acolchoadas.
  • O peso da mochila, já com os livros e material, não deve ultrapassar 10% do peso corporal da criança/jovem.
  • A mochila deve ser utilizada de forma simétrica nos dois ombros.
  • Deve ficar centrada a meio da coluna (alargar o comprimento da alça para retirar a mochila mais facilmente não é aconselhado).
  • O material mais pesado deverá ser colocado junto ao corpo para evitar alterações na postura.
  • Especialmente em mochilas com bolsas laterais, o peso do conteúdo deve ser distribuído de forma simétrica
  • Se o percurso até à escola for longo e sem escadas, uma mochila com rodas é vantajosa para diminuir o esforço. Noutros casos não é tão aconselhada.
  • A mochila deve conter apenas o material necessário para o dia em questão.

“Para além destes aspetos inerentes à escolha da mochila escolar, que são muitas vezes ignorados, o aumento progressivo do peso do material escolar a que temos assistido nos últimos anos é uma situação preocupante e que deve ser combatida por todos, a começar pelos pais e pelos educadores em prol da saúde das gerações mais jovens”, acrescenta o coordenador da campanha.

Sobre a campanha Olhe Pelas Suas Costas:

A campanha Olhe pelas Suas Costas visa sensibilizar a população em geral para as dores nas costas, alertar para as suas consequências na vida pessoal e profissional dos portugueses, e educar sobre as formas de prevenção e tratamento existentes. A campanha conta com o apoio científico da Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral, da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, da Sociedade Portuguesa de Neurocirurgia, da Sociedade Portuguesa de Medicina Física e de Reabilitação e da Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia.

Para mais informações visite a página de Facebook: https://www.facebook.com/paginaolhepelassuascostasOlhe Suas CostasFonte: LPM