fbpx

Rubricas

magda_folgadoCom Magda Folgado...

magda_folgadoCom Magda Folgado...

magda_folgadoCom Magda Folgado...

monica_pinhoCom Mónica Pinho...

 


 

 

 

monica_pinho

monica_pinhoCom Mónica Pinho...

A DECO INFORMA… O projeto Sitestar.pt, com o apoio do .PT, vai já na sua 9ª edição com o objetivo de promover a literacia digital dos mais novos.

A iniciativa Sitestar.pt já envolveu mais de 5.500 alunos na construção de 530 sites sobre as suas escolas, sobre os seus grupos, projetos e atividades. Ao mesmo tempo que aprenderam a fazer sites e a trabalhar em equipa, são promotores de projetos e criadores de conteúdos digitais.

Ao criarem os seus sites aprendem a planear os seus projetos, a trabalhar em equipa, a criar conteúdos escritos e audiovisuais, a respeitar os direitos de autor, a promover as suas ideias e a terem um sentido crítico que lhes permite navegar em segurança e com confiança na internet, em tempos de excesso de informação e muita desinformação.

As equipa têm até 14 de dezembro para formar e pedir a um professor para inscrever a sua proposta de projeto numa das categorias:

Escalão 1: dirigido a alunos entre os 13 e os 15 anos e/ou a frequentar o 8º e 9º ano letivos com propostas de site sobre temas na área do consumo e proteção dos consumidores.

Escalão 2: dirigido a alunos entre os 15 e os 18 anos e/ou a frequentar o ensino secundário regular, profissional e de aprendizagem e de projetos de competências de inclusão social com propostas de site numa das seguintes categorias: (a) Escola mais Digital, (b) Faz a diferença! e (c) Jovens com Talento.

Serão selecionadas 160 propostas de sites que receberão grátis um voucher 3 em 1, válido para 1 ano, e que integra as ferramentas necessárias para a construção do site – domínio para o site em .pt, ferramenta para a construção do site e respetivo alojamento e caixas de correio eletrónico.

Os melhores sites serão selecionados por um júri e serão atribuídos 3 prémios por escalão/categoria – um computador para o 1º lugar, drone para o 2º lugar e colunas de som para o 3º lugar. Os professores que inscreverem e apoiaram as equipas premiadas terão também direito a um prémio.

São parceiros deste projeto a Direção Geral de Educação, a Direção Geral do Consumidor, o IGAC – Inspeção Geral das Atividades Culturais, o INPI – Instituto Nacional da Propriedade Industrial, o PNL 2027- Plano Nacional de Leitura 2027 e a RBE – Rede de Bibliotecas Escolares, a ANPRI – Associação Nacional de Professores de Informática e o Centro Internet Segura.

Podem participar todas as escolas de Portugal Continental e Regiões Autónomas, bem como organizações ou entidades que desenvolvem projetos em contexto de educação informal que envolvam os jovens, desde que façam parte da rede DECOJovem. Mais informação em:  www.sitestar.pt ou  Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

GPI DECO Algarve

DECOSitestar

A DECO INFORMA…

O que já mudou:

Desde 1 de julho de 2021 que é proibida a disponibilização gratuita de sacos de caixa, de plástico ou de outro material. Na restauração e hotelaria passou a existir a obrigação de disponibilizar aos consumidores um recipiente com água da torneira e copos não descartáveis para que possa ser bebida no local gratuitamente ou a um custo inferior ao da água embalada. Também os estabelecimentos que comercializam produtos a granel e que forneçam refeições para take-away passaram a estar obrigados a aceitar os recipientes dos consumidores.

Saiba também que, desde 1 de novembro, é proibida a colocação no mercado de produtos de plástico de uso único como cotonetes, talheres, pratos, palhas, varas para balões, bem como copos e recipientes para alimentos feitos de poliestireno expandido.

O que ainda VAI mudar:

Em setembro de 2022, o comércio a retalho deixará de poder disponibilizar ou utilizar talheres, pratos, palhas bem como copos e recipientes para alimentos feitos de poliestireno expandido.

As garrafas e outras embalagens para bebidas com capacidade inferior a três litros só poderão ser vendidas se as suas cápsulas ou tampas continuarem fixas ao recipiente.

Em junho de 2023, passará a ser proibida a disponibilização de sacos de plástico ultraleves para acondicionar e levar pão, frutas e legumes. Estes produtos alimentares deixam, ainda, de poder estar acondicionados em cuvetes ou caixas de plástico de utilização única.

A DECO louva esta medida, que vai ao encontro de uma das principais reivindicações da iniciativa #plasticoamais: acabar com as embalagens injustificadas.

No entanto, não há tempo a perder na transição para um planeta mais sustentável, e apesar do papel fundamental que os consumidores desempenham as empresas têm, também, que assumir a sua responsabilidade para, rapidamente, reduzirmos a presença do plástico descartável no nosso dia-a-dia!

Os exemplos enviados pelos consumidores de fotografias de produtos, excessiva ou injustificadamente embalados em plástico continuam a chegar à DECO, sendo depois encaminhados para os produtores/retalhistas sempre com vista a que sejam apresentadas soluções de redução ou alternativas para as respetivas embalagens.

Por isso, se se deparar com plástico a mais, não hesite em enviar-nos o seu exemplo através do email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

GPI DECO AlgarveFimPlasticos

 

“Já pensou em mudar o sistema de água e aquecimento da sua casa? Sabe quanto gasta com o seu sistema de aquecimento? Conhece a eficiência energética do seu sistema de aquecimento?” Estas são muitas das dúvidas dos consumidores que podem ser respondidas pela ADENE e pela DECO.

A DECO - Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor e a ADENE - Agência para a Energia lançam a ferramenta “aquecimento eficiente” para o ajudar a conhecer a eficiência do seu sistema de aquecimento e apoiar na sua substituição por soluções mais eficientes, sempre que possível, com recurso a renováveis.

O aquecimento da casa e de água representam a maior fatia do consumo energético de um agregado familiar. Na Europa e em Portugal, a grande maioria das soluções de aquecimento instaladas nas nossas casas são antigas e ineficientes, conduzindo a uma fatura energética elevada ou à falta de conforto térmico.

A aplicação online https://aquecimentoeficiente.adene.pt agora disponibilizada pela DECO e ADENE permite ao consumidor conhecer a classe energética do sistema que tem instalado e, com base nas necessidades e condicionantes da sua casa, conhecer as melhores soluções no mercado para substituir o atual sistema de aquecimento por um mais eficiente.

A aplicação está disponível para os consumidores e também para os profissionais que, tendo uma interface própria, podem assim oferecer um novo serviço e apoiar o seu cliente na tomada de decisão.

No âmbito deste projeto para a promoção de um aquecimento eficiente, a ADENE e a DECO vão desenvolver um conjunto diversificado de iniciativas para sensibilizar ativamente o consumidor para a importância do aquecimento e soluções de aquecimento eficientes durante o próximo inverno, através de redes sociais, comunicação social, seminários e outras atividades.

Destaca-se o Live ao Consumidor que será promovido na quarta-feira, 24 de novembro, às 18h, que irá, além de apresentar o projeto e a ferramenta, discutir a importância de ter um bom sistema de aquecimento e os apoios disponíveis.

Saiba mais sobre aquecimento eficiente e conheça o sistema que tem em sua casa em aquecimentoeficiente.adene.pt. Contamos com o apoio dos consumidores. Juntos conseguiremos que a publicidade cumpra o seu primeiro dever de informar.

GPI DECO AlgarveClasseEnergetica

Estamos com os azeites. Vale a pena nos debruçarmos sobre a temática que envolve o chamado ouro líquido. Durante séculos o azeite foi a real moeda de troca de varias sociedades e hoje é um ingrediente indispensável na gastronomia mediterrânica.

Aliás, o prazer do paladar começa logo numa boa entrada de azeitonas* muito bem apresentadas numa azeitoneira* com alho e orégãos*; ou então, para ávidos apreciadores, umas fatias de pão caseiro barrado com pasta de azeitona*. Seja qual for a forma que pretenda apreciar a azeitona, o azeite é sem dúvida o melhor complemento de uma refeição, por acompanhar todos os pratos.

O Mar d'Estórias, com a ajuda do livro Os 100 Melhores Azeites de Portugal, de Edgardo Pacheco* explica de forma sucinta a diferença no uso dos azeites: 

Azeite Virgem Extra – é um azeite de qualidade máxima (acidez de, no máximo, 0,8%) ideal para temperar a cru; 
Azeite Virgem – deve ser utilizado para refogar, assar, confitar ou fritar; 
Azeite Refinado – de categoria inferior e acidez superior deve ser apenas utilizado para frituras de grande volume. 

Para tornar as coisas mais divertidas, porque não fazer uma prova de azeites em casa? Junte a família e amigos e, em vez de fazê-lo como os provadores profissionais que usam os copos azuis, ou então, molhar o pão num pouco de azeite, como se faz habitualmente, sugerimos uma prova de azeites diferente - com camarão cozido descascado! Adquira 4 azeites de diferentes regiões ou produtores e experimente passar o camarão por cada recipiente de azeite. Ao fim de algumas provas vai notar a diferença de perfil de azeite de cada um e o facto de se adaptarem a diferentes criações gastronómicas. 

Boas Provas!

Sobre o Mar d'Estórias

O Mar d'Estórias visa ser um espaço inovador de valorização de tudo o que é Português, com especial ênfase para o Algarve. Este espaço pretende proporcionar a passagem equilibrada entre as diferentes secções de loja, cafe/bistro e galeria de arte, que culminam num bar-terraço a céu aberto e com vista sobre o mar.Mar dEstoriasFonte: Mar d'Estórias

 

Imagem 1O açúcar é proveniente dos hidratos de carbono, um conjunto de moléculas de açúcar presentes nos alimentos que ingerimos, e a glicose é a principal fonte de energia do nosso organismo. É importante saber distinguir os diferentes tipos de açúcar, e para isso apresentamos-lhe o seguinte esquema:

 imagem 2O consumo moderado de açúcar, apresenta alguns efeitos no nosso organismo, nomeadamente dá-nos energia, promove a saciedade, dá-nos força muscular, retarda a fome e é essencial para o funcionamento do cérebro e do coração.    

 Agora que já conhece os diferentes tipos de açúcar e os efeitos do seu consumo moderado no nosso organismo, é de salientar que quando se fala no consumo excessivo de açúcar, fala-se normalmente em açúcar simples, como é o caso da sacarose (açúcar branco), presente nomeadamente nos produtos de pastelaria, nos doces, nas sobremesas, nos refrigerantes, nos sumos de fruta, no mel, nas geleias e nos xaropes.

A sacarose não possui qualquer valor nutricional, e está repleta de calorias vazias, ou seja quanto mais calorias forem ingeridas, maior é a probabilidade do aparecimento de doenças como a obesidade, as doenças cardiovasculares, a hipertensão arterial, o cancro, a diabetes mellitus, a hipercolesterolémia, etc.

 A organização mundial de saúde recomenda que se diminua o consumo de açúcares simples, uma vez que o consumo em Portugal é muito alto. A Organização Mundial de Saúde recomenda que o consumo diário de açúcares simples não deve ser superior a 10% do total de energia diária ingerida e ainda realça que, caso seja inferior a 5%, apresenta benefícios para a saúde, em Portugal consumimos cerca de 18,8%, uma percentagem assustadora.

 Esta ingestão excessiva de açúcares simples vai provocar alterações no nosso organismo, como:

imagem 3

Para não ingerir açúcares em excesso, existem algumas regras essenciais, que nunca deve esquecer:

 

  1. Ficar atento aos rótulos dos alimentos;
  2. Saber identificar quais os alimentos que apresentam grande quantidade de açúcar;
  3. Adotar um estilo de vida saudável, praticando atividade física e preferindo sempre uma alimentação saudável.

 

NOTA: Para saber mais sobre nutrição, pode seguir a nossa página de facebook: Saúde para todos.

Para contactar com o serviço de nutrição, pode usar o email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Sofia Cardeira (1556NE - Nutricionista Estagiária à Ordem dos Nutricionistas)

Serviço de Saúde de Apoio à População da Freguesia de Faro

imagem 4

Freguesia de Faro (Sé e S. Pedro)

Rua Reitor Teixeira Guedes nº2

Tel: 289 803 416

Fax: 289 803 417

www.uf-faro.pt

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

mitos alimentaresA alimentação saudável está na moda, todos os dias abrimos a internet e vemos diversas fotografias de comida, de sumos detox, de exercício físico, etc. Todos os dias surge uma nova dieta, um “expert” em alimentação, um novo alimento ou produto milagroso.

O Dia Mundial da Luta contra a SIDA é comemorado amanhã, dia 1 de Dezembro (feriado). Abaixo seguem algumas notas com cuidados a seguir e mais informação sobre esta doença, compilado pela Associação Nacional de Estudantes de Medicina (ANEM), que espero considere útil.

A ANEM celebra esta data com a campanha ‘Põe-te à Prova: é a única maneira de saber’, que apela aos estudantes de medicina que promovam e participem no rastreio do VIH.

Portugal continua a apresentar taxas elevadas de novos casos de infeção pelo VIH e SIDA em relação aos outros países da Europa Ocidental.

Em 2019 foram diagnosticados 778 novos casos de infeção por VIH, e 172 novos casos de SIDA, havendo, cumulativamente, 61433 casos de infeção por VIH, dos quais 22835 casos em estádio SIDA. Cerca de metade dos diagnósticos de VIH são em fases tardias, daí a importância do rastreio regular.

Ainda assim, no que toca às Metas 90-90-90, Portugal continua a apresentar um panorama favorável.

O compromisso assumido para 2020 foi cumprido no nosso país em 2017, atingindo assim as 3 metas definidas pela UNAIDS (Joint United Nations Programme on HIV/AIDS): pessoas que vivem com VIH - 92.2%; pessoas que vivem com VIH, diagnosticadas em tratamento - 90.2%; pessoas que vivem com VIH, diagnosticadas, em tratamento e com supressão virológica - 93.0%.

A ANEM tem igualmente desenvolvido várias iniciativas que promovem uma vida sexual ativa saudável:

- O Guia Prático de Educação para a Sexualidade, lançado este mês, em colaboração com a APF, é um manual de apoio à realização de sessões de educação para a sexualidade, seja em escolas, lares, ambientes informais, ou para conhecimento individual. Adequado a todas as idades, com recomendações de temas e metodologias, adaptados à realidade portuguesa atual.

Are You PrEPped?, uma campanha que promoveu o conhecimento acerca da Profilaxia Pré-Exposição ao VIH (PrEP), tendo em conta os resultados de um estudo realizado em 2019 pela ANEM que mostrou haver uma falta de conhecimento da PrEP por parte dos estudantes de medicina, devido a lacunas no Currículo Médico (VIH & COVID-19: o que preciso de saber?)

F5CDiaLutaSIDA

A Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI) volta, mais uma vez, a promover o Mês da Medicina Interna, em dezembro, com o objetivo de destacar a importância desta especialidade médica e dos internistas, no setor da saúde em Portugal, em particular no Serviço Nacional de Saúde. A iniciativa insere-se nas comemorações do 70º aniversário da SPMI, que se assinala dia 14 de dezembro.

“Com a chegada do frio, aumento do número de casos de gripe sazonal e problemas respiratórios, o mês de dezembro é a altura do ano em que o trabalho dos internistas é ainda mais necessário e intenso. A ocupação destes serviços cresce 30% neste período. Com a pandemia de COVID-19 esta situação agrava-se exponencialmente”, afirma Lèlita Santos, presidente da SPMI.

“É compromisso dos internistas portugueses defender a equidade no acesso a cuidados de saúde com qualidade» frisa a presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna, sublinhando que “todos, independentemente da sua situação económica ou local onde vivem, ou por qualquer outro motivo, devem ser atendidos e tratados da mesma forma”.

Os serviços de Medicina Interna são responsáveis, anualmente, por mais de 180 mil doentes internados, 587 mil consultas e mais de 4 milhões de episódios de urgência.

A Medicina Interna é a maior especialidade médica hospitalar com mais de 2.600 especialistas. Os serviços de Medicina Interna têm mais de 5 mil camas, 30% do total de camas, com uma taxa de ocupação que ultrapassa os cem por cento. 

“Promover a progressiva ambulatorização dos cuidados hospitalares, sendo a hospitalização domiciliária um exemplo paradigmático, como forma de aumentar a capacidade de internamento, proporcionando maior satisfação a doentes e cuidadores e mantendo toda a qualidade e segurança” é outro compromisso assumido pelos internistas, afirma Lèlita Santos.

A ação dos internistas vai, no entanto, muito além da resposta à COVID-19. Nos serviços de Medicina Interna são internados 70% dos casos de AVC, 80% das insuficiências cardíacas, pneumonias e Doenças Pulmonares Obstrutivas Crónicas.

“A SPMI compromete-se a defender o fortalecimento dos serviços públicos de saúde e o acesso universal e gratuito a cuidados de saúde de qualidade, travando o caminho do Serviço Nacional de Saúde para se tornar um SNS dos pobres”, conclui a presidente da SPMI.

https://www.spmi.pt/

MiligramaMedicinaInterna

Em vésperas do Dia Nacional da Pessoa com Esclerose Múltipla (EM), assinalado a 4 de dezembro, a Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla (SPEM) apela à dignificação de todos aqueles que vivem com esta doença crónica, exigindo o acesso ao emprego, em condições de igualdade com a restante população, respeitando a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência da ONU.

De acordo com o artigo 27º da Convenção, "Os Estados Partes reconhecem o direito das pessoas com deficiência a trabalhar, em condições de igualdade com as demais; isto inclui o direito à oportunidade de ganhar a vida através de um trabalho livremente escolhido ou aceite num mercado e ambiente de trabalho aberto, inclusivo e acessível a pessoas com deficiência".

Apesar desse reconhecimento, a realidade está muito aquém do desejado, na medida em que um estudo recente concluiu que a EM provoca desemprego em mais de metade dos doentes, com 77% dos inquiridos a confirmarem que perderam o emprego como consequência da patologia e 72% a constatarem que a sua produtividade foi afetada de forma significativa.

Reforçando as declarações recentemente dadas pelo Secretário de Estado Adjunto do Trabalho e da Formação Profissional, Miguel Cabrita, a SPEM sensibiliza as entidades governamentais para o facto de que "as pessoas com deficiência têm direito a um rendimento que lhes permita uma vida digna, sendo urgente derrubar os obstáculos ao emprego destes cidadãos, através de medidas inclusivas e coordenadas. A sociedade tem muito a ganhar se tiver empresas socialmente responsáveis, que adiram à inclusão de pessoas com deficiência" sublinha Alexandre Silva, presidente da SPEM.

Para além deste apelo e de forma a celebrar o Dia Nacional da Pessoa com EM, a SPEM vai organizar Congresso Nacional de EM nos dias 3 e 4 de dezembro, de forma híbrida. A 16ª edição do evento ambiciona apresentar propostas que contribuam para melhorar as condições de vida dos portadores de EM e terá como tema central a reflexão da relação entre a dimensão da prestação de cuidados de Saúde e a dimensão do Apoio Social na EM, que se pretende que seja integral, holística e personalizada.

Programa: Aqui

Sobre a Esclerose Múltipla

Apelidada de "doença das 1000 caras" e considerada uma das patologias mais comuns do Sistema Nervoso Central (SNC), a EM é uma doença inflamatória crónica e degenerativa e a principal causa de incapacidade neurológica nos jovens adultos.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que em todo o mundo existam cerca de 2,5 milhões de pessoas com EM. Em Portugal, a prevalência estimada é de 8.000 doentes.

A longa lista de sintomas da EM depende da localização das lesões desmielinizantes no sistema nervoso central. As manifestações da doença variam de pessoa para pessoa, sendo que um doente pode ter apenas um sintoma enquanto outro pode ter vários. Fadiga e alterações da sensibilidade, marcha, visão, do sistema urinário, digestivo e cognitivo são os sinais mais comuns da patologia.

Não existe atualmente um teste único para determinar se uma pessoa tem EM. Os neurologistas têm de adotar uma abordagem multifacetada para despistar o diagnóstico de EM, que ocorre em média por volta dos 30 anos (apesar de poder surgir em qualquer idade).

BridgeCongressoEscleroseMultipla