Ténis | Países Baixos vencem as primeiras finais do Mundial de Ténis em Cadeira de Rodas

0
317
Ténis-Países-Baixos-Selecao-Feminina

Os Países Baixos venceram, este sábado, a final feminina e a final de quad do BNP Paribas World Team Cup — Campeonato do Mundo de Equipas de Ténis em Cadeira de Rodas. Organizado pela Federação Portuguesa de Ténis e pela Premier Sports na Vilamoura Tennis & Padel Academy, o torneio ficará concluído no domingo com outras duas finais (masculina e juniores) e o derradeiro encontro da seleção nacional portuguesa.

Tricampeões em título, os neerlandeses começaram a jornada deste sábado a revalidar o título de quad (categoria destinada aos atletas com deficiência em três ou mais membros do corpo) graças a uma vitória por 2-0 sobre Israel.

Sam Schroder, o atual número dois mundial e detentor de quatro títulos de singulares em torneios do Grand Slam e seis em pares, abriu a final com um triunfo por 6-1 e 6-4 contra Noam Gershony, que há uma década passou pela liderança do ranking.

Depois, coube ao atual líder da tabela mundial, Niels Vink, de apenas 20 anos, resolver a decisão. Campeão em título de Roland-Garros e do US Open e finalista nas edições mais recentes de Wimbledon e do Australian Open, o neerlandês aplicou os parciais de 6-2 e 6-2 a Guy Sasson (39.º) e assegurou a revalidação do título.

Com o troféu garantido na categoria quad, os Países Baixos prolongaram a tarde de festa na Vilamoura Tennis & Padel Academy com uma vitória por 2-1, no par decisivo, contra o Japão na final feminina.

Diede De Groot e Jiske Griffionen foram as responsáveis pelo ponto decisivo ao imporem autoritários 6-0 e 6-1 a Momoko Ohtani e Manami Tanaka no duelo decisivo, mas as neerlandesas precisaram de se aplicar para vencerem pela 33.ª vez a prova feminina.

Isto porque a final de senhoras arrancou com um triunfo de Momoko Ohtani (número cinco mundial) por 0-6, 6-1 e 6-3 perante Jiske Griffioen, terceira classificada (foi líder do ranking pela primeira vez em 2015) e vencedora de quatro títulos do Grand Slam em singulares e 14 em pares, para além de medalhas de ouro olímpicas nas duas variantes).

Entre a espada e a parede, os Países Baixos precisavam de triunfar no encontro entre as duas melhores jogadoras da atualidade para manterem viva a decisão. E o ligeiro favoritismo de Diede De Groot acabou por confirmar-se, com a líder da hierarquia (que apresenta um currículo impressionante composto de 17 títulos do Grand Slam em singulares, 16 em pares e uma medalha de ouro olímpica em cada variante) a impôr-se a Yui Kamiji (que também já esteve no topo do ranking) por 7-5 e 6-3.

Vencedores das primeiras duas finais, os Países Baixos poderão voltar a celebrar no domingo, o derradeiro dia de competição na Vilamoura Tennis & Padel Academy, pois a partir das 9h45 discutirão o título masculino com a Grã-Bretanha.

Para além dessa, a comitiva britânica também terá a disputar a final de juniores, mas com os Estados Unidos da América, a partir das 10h30.

Entre as duas decisões, a partir das 10h, a seleção nacional portuguesa disputará o seu último confronto nesta edição do Campeonato do Mundo: derrotada pelo Chile na sexta-feira, a equipa ‘da casa’ conclui a participação com o conjunto de Marrocos no fecho do play-off que permitirá definir as posições 13, 14 e 15 do quadro masculino.

FPT

Ténis-Países-Baixos-Selecao