Armação de Pêra | Apresentação do 24º Festival da Caldeirada e do Mar

0
644
Festival-Caldeirada-Arm-Pêra

O Festival da Caldeirada e do Mar será apresentado ao público no próximo dia 26 de maio, pelas 11h00, no mercado municipal de Armação de Pêra.

O evento, que vai na sua 24.ª edição, é já uma referência da gastronomia desta vila piscatória contando este ano com a participação de 14 restaurantes que apresentam os mais saborosos e frescos sabores da caldeirada e do mar.

A sessão de apresentação terá animação musical com o acordeonista Filipe Romão e contará, ainda, com uma mostra de barcos produzidos manualmente por Casimiro Prudêncio.

Toda a informação poderá ser consultada em https://www.cm-silves.pt/pt/menu/2876/24-festival-da-caldeirada-e-do-mar.aspx, canal que será atualizado com todos os pormenores desta iniciativa.

+ sobre Filipe Romão

Filipe Romão é artista de baile e kizomba com música ao vivo, organista, teclista e acordeonista do Algarve.

Iniciou a sua aprendizagem de acordeão em 1995 por ser um instrumento tradicional do Algarve e muito apreciado pela maioria da população. Inscreveu-se para ter aulas com Dulce Gonçalves Marçal; tendo ocupado todo o seu tempo livre na aprendizagem da música.

Costuma mencionar que a sua veia musical, foi herdada do seu avô materno e do seu bisavô paterno, naturais do baixo Alentejo, ambos ligados à música pela animação das festas com acordeão.

+ sobre Casimiro Prudêncio

Casimiro Prudêncio (05.01.1934-26.05.2019), natural de Armação de Pêra, aprendeu em criança, juntamente com o seu irmão António Prudêncio, a arte de talhar barcos em cortiça com o pai, durante a época da armação do atum na Ilha de Faro.

Esta arte era praticada nos tempos livres e nos dias de vendaval, em que não era possível sair para o mar.

Em adultos, os dois irmãos seguiram os passos do pai e mantiveram a tradição da pesca em Armação de Pêra e da construção dos barcos, durante os seus tempos livres. Foram, assim, aperfeiçoando a sua arte, passando, também, a utilizar a madeira em vez da cortiça.

Estas peças são verdadeiras réplicas dos barcos originais de pesca, quer ao nível da sua estrutura quer das cores utilizadas, como é o caso das traineiras (barco de pesca da sardinha).

Os barcos em exposição pertencem, atualmente, à Junta de Freguesia de Armação de Pêra.

Mun Silves

Festival-Caldeirada-Mar-Arm-Pêra