Temporada Portugal-França

0
459

Programação de Julho 2022

30 novos eventos propostos pela Temporada Portugal-França prolongam-se por 11 cidades, de norte a sul de Portugal.

9 festivais de verão, da gastronomia à música, passando pelo cinema e pelo teatro, têm a presença da Temporada.

O primeiro festival internacional de comida de rua de Lisboa, Foodtopia: A Feast of Food & Stories, recebe 50 chefs de renome de todo o mundo, que, juntos, somam mais de 10 Estrelas Michelin.

A cineasta e curadora francesa Marie Losier é celebrada na 30.ª edição do festival de cinema Curtas Vila do Conde com um programa especial.

O corpo de programação da Temporada Portugal-França continua a desenrolar-se de vento em popa. Depois do arranque d’O Verão da Temporada, em julho são conhecidos 30 novos eventos de mão cheia que se estendem por Portugal, do Porto a Sines, de Vila de Rei a Tomar.

Já este fim de semana, 2 e 3 de julho, no Jardim Botânico Tropical, em Belém, acontece o primeiro festival internacional de comida de rua de Lisboa, Foodtopia: A Feast of Food & Stories. Na edição número um deste evento organizado pela Amuse Bouche, no âmbito da Temporada e com apoio do Turismo de Portugal, contam-se 50 chefs nacionais e internacionais – muitos deles à frente de restaurantes com estrelas Michelin. Do lado de Portugal, estão convocados Henrique Sá Pessoa, Rui Paula, Michele Marques, Marlene Vieira ou António Galapito, e, do lado de França, Vincent Farges, Krishna Léger e Jean-Luc Damien-Verdeau, entre oito franceses convidados. Neste encontro, onde todos oferecem pratos com história e irreverência, privilegia-se a importância dos fluxos migratórios para a riqueza gastronómica que hoje é partilhada num mundo globalizado.

A norte, a 30.ª edição do Curtas Vila Conde – Festival Internacional de Cinema (9 a 17 de julho) homenageia a cineasta e curadora Marie Losier através de um conjunto de atividades, com destaque para a exposição inédita “Excesso Chamalo” (de 9 de julho a 4 de setembro), desenvolvida pela artista em parceria com David Legrand. Em paralelo com a mostra que ocupa a Solar – Galeria de Arte Cinemática, estão previstas uma performance, uma visita guiada e uma conversa. E, durante o festival de cinema, uma seleção de filmes de Losier e de realizadores que marcaram o seu percurso artístico, em regime de carta branca.

Na música, a invasão francesa toma alguns dos mais ilustres festivais de verão, como o FMM Sines – Festival Músicas do Mundo, no Alentejo (22 a 30 de julho), que, através da Temporada, desenvolve uma colaboração e um intercâmbio com o Festival Imaterial (Évora) e o JSLP – Festival Jazz Sous les Pommiers (Coutances) da Normandia. O incontornável ZêzereArts (14 a 31 de julho), dedicado à música erudita, ocupa quatro cidades históricas da região do Médio Tejo, e recebe a violoncelista Ophélie Gaillard para desenvolver o programa “Travessias – Um Projeto de Cooperação Europeia”. Através de vários momentos, desde concertos no património a masterclasses, Gaillard vai inspirar profundas trocas culturais entre Portugal e França. A ocupar todos os fins de semana do mês, o Festival Internacional de Carrilhão (2 a 31 de julho) faz uso de um dos mais significativos conjuntos sineiros do mundo instalados, desde o século XVIII, no Palácio Nacional de Mafra.

Ainda na programação musical, destacam-se os concertos “Salve Regina Revisitada”, em Aveiro (4 de julho, no Museu de Aveiro / Santa Joana), e “Leva Leva: Litanie des Pêcheurs Portugais”, em Lisboa (15 e 16 de julho, no maat – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia) e no Porto (21 de julho, no Non Verbal Club, e 22 de julho, no Passos Manuel – local a confirmar).

A oferta da Temporada Portugal-França, em julho, também é extensa e diversa nas áreas do teatro e da dança. Nas salas de espetáculo de Lisboa e do Porto, a não perder: “Catarina e a Beleza de Matar Fascistas”, de Tiago Rodrigues (6 a 10 de julho, no Teatro Nacional D. Maria II), e as estreias nacionais de “Falaise”, de Camille Decourtye e Blaï Mateu Trias – companhia Baro d’evel (7 e 8 de julho, no Teatro Rivoli), e “Ils Nous Ont Oubliés”, de Séverine Chavrier (8 e 9 de julho, no Teatro Nacional São João). Na 39.ª edição do Festival de Almada (4 a 18 de julho) são apresentadas as criações “Mailles”, de Dorothée Munyaneza, “Fado dans les veines”, de Nadège Prugnard, e novamente, mas inserido no festival, “Falaise”, de Camille Decourtye e Blaï Mateu Trias – companhia Baro d’evel (esta ocasião, no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém). No Alentejo, em Serpa, o festival NNN – Noites na Nora (8 a 23 de julho) revela o espetáculo “A Corda Bamba”, consequência de uma cocriação entre a Companhia de Teatro BAAL17 de Serpa e a Companhia Nómada de Tango de Bordéus, Nova Aquitânia. E, em Sintra, acontece o colóquio “Migrações musicais e teatrais: práticas performativas europeias nos séculos XVII e XVIII” (8 a 10 de julho, no Palácio Nacional de Queluz).

Acordada entre o Presidente da República Francesa, Emmanuel Macron, e o Primeiro-Ministro da República Portuguesa, António Costa, a Temporada Portugal-França 2022 é organizada pelo Instituto Camões, lnstituto da Cooperação e da Língua, I.P. – Ministério dos Negócios Estrangeiros, e pelo Gabinete de Estratégia, Planeamento e Avaliação Culturais (GEPAC) – Ministério da Cultura, com o apoio da Presidência do Conselho de Ministros (Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género); do Ministério da Economia e da Transição Digital; do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; do Ministério da Educação; do Ministério do Ambiente e da Ação Climática; do Ministério do Mar; e da Embaixada de Portugal em França.

De fevereiro a outubro, sob a temática “O Sentimento Oceânico”, a Temporada Portugal-França 2022 mergulha num grande acontecimento que junta dois países em cocriação, unidos pela amizade e pelos valores que defendem e partilham, através de mais de 200 eventos (84 cidades em França e 55 cidades em Portugal).

Veja a programação completa aqui: https://temporadaportugalfranca.pt/programacao/

GC